[Resenha] Dezesseis Luas

Cidade de Gatlin, na Carolina do Sul, Estados Unidos. Ethan Wate (Alden Ehrenreich) é um estudante do terceiro ano do colegial, que não vê a hora de sair do local. Ele considera Gatlin uma cidade pacata demais, onde nada de interessante acontece, mas se vê preso ao local por ter que cuidar de seu pai, que não deixa o quarto desde que a esposa faleceu em um acidente de carro, um ano antes. Já há alguns meses Ethan é atormentado por sonhos misteriosos, onde vê uma garota desconhecida. Um dia, ele a encontra em sua sala de aula. Trata-se de Lena Duchannes (Alice Englert), uma jovem de 15 anos que está morando com o tio, Macon Ravenwood (Jeremy Irons), descendente da família que fundou Gatlin. O problema é que Macon e seus familiares têm fama de serem satanistas, o que faz com que boa parte da população da cidade se volte contra eles. Não demora muito para que Ethan se interesse por Lena, sem saber que ela e os integrantes de sua família possuem poderes. Eles precisarão lutar pelo amor que sentem um pelo outro, especialmente devido à uma maldição que assombra a união.

 

Na noite do dia 27 fui assistir a premiere do filme “Dezesseis Luas” no Cinemark Botafogo, através do convite recebido pelo “Espaço Z“, o filme estava marcado para começar as 21:00h, porém, cheguei no local as 19:00h sendo uma das primeiras a chegar, pude com isso conversar um pouco com as pessoas que foram chegando sobre as expectativas em relação ao filme, o que apenas me deixou mais ansisosa para vê-lo. Encontrei por lá o pessoal do “Progama Descontrolados“, atual parceiro de nosso blog, que fez uma cobertura muito bacana sobre o evento que será postado no nosso blog futuramente.

Mas vamos falar sobre o filme, pois a cobertura ficará por conta do “Progama Descontrolados”.

Infelizmente não consegui ler o livro antes de ver o filme, devido a dificuldade de encontrá-lo a venda, porém após ver o filme, minha vontade de ler o livro apenas aumentou. Meus amigos que leram o livro disseram que há muita diferença entre os dois, mas posso falar para vocês que o filme é simplesmente maravilhoso.

O elenco simplesmente arrasou, apesar de eu esperar um pouco mais de interpretação da atriz Alice Englert que interpreta a protagonista, pois é visível a dificuldade da mesma em chorar em cena. Lembrando a todos que eu não li os livros, por isso não sei se a dificuldade em chorar é uma característica da personagem. Também achei o ator Alden Ehrenreich um pouco velho para interpretar um garoto no ensino médio, porém não tenho do que reclamar da interpretação dele, principalmente das cenas em que o personagem estava em momentos de descontração, Alden conseguiu interpretar um adolescente divertido e fofo que todas as garotas gostariam de ter ao seu lado, nem que fosse para ser o seu melhor amigo, pois ele não fazia o estilo galã de cinema.

Jeremy Irons também arrasa na sua interpretação de Macon Ravenwood, não tem como não gargalhar da sua primeira aparição e chorar na sua cena final. Ele simplesmente demonstra ser o tio que toda garota quer ter.

Viola Davis consegue demonstrar o porque de ser a única atriz convidada para o papel de Amma, inclusive o papel dela é a junção de duas personagens presentes no livro: Amma, a dona de casa, e Marian, a bibliotecária que foi a melhor amiga da mãe de Ethan.

Emma Thompson dá um show de interpretação ao demonstrar que consegue fazer duas personalidades totalmente diferentes em um filme, ela convence muito bem como a fanática religiosa Sra. Lincoln e a louca conjuradora Sarafine.

Por último mas não menos importante, não teria como não deixar de falar da maravilhosa interpretação da atriz Emmy Rossum, sou um pouco suspeita para falar dela, pois adoro seu trabalho à anos. A primeira aparição da personagem Ridley, interpretada pela Emmy, é simplesmente espetacular, não tem como não gostar dela nesse primeiro momento e no resto do filme ela não deixa a desejar.

O diretor Richard LaGravenese acertou em cheio ao decidir que o filme teria o mínimo necessário de cenas rodadas usando o Chroma key, pois a sequencia de cenas ficaram mais emocionantes, como por exemplo a cena onde Lena e Ridley duelam na casa da família, essa cena foi rodada em um set construído sobre um motor hidráulico que permita que trechos do chão rodassem em sentidos opostos, para que as cadeiras que os atores estavam sentados não voassem, essas foram parafusadas no chão em uma escala de velocidade de 1 a 10, os atores rodaram em nível 8, somente essa sequência levou 3 dias para ser rodada.

O filme também conta com uma ótima fotografia, as cenas em que Ethan aparece correndo no começo do filme estão simplesmente lindas, e toda a paisagem do filme é deslumbrante, te dá até vontade de morar na pacata cidade de Gatlin.

O figurino, principalmente os vestidos usados pela Ridley e Lena, passam a ser desejados por qualquer garota, mesmo aquelas que não curtem vestidos.

A trilha sonora está épica, inclusive a canção que toca quando Lena faz nevar chama-se “Needle and Thread”. Ela foi composta e gravada pela atriz Alice Englert no quarto de hotel em que estava em Nova Orleans, durante a pré-produção. O diretor Richard gostou tanto que resolveu incluí-la no filme.

Recomendo a todos que assistam o filme no cinema assim que possível. Vale muito a pena.

Gostaria de fazer um agradecimento especial à: Espaço Z por ter fornecido os ingressos para a premiere e também ao meu sobrinho Pedro Gabriel por ter digitado toda essa resenha enquanto eu ditava (estou com o braço imobilizado, impossibilitada de digitar).

1 comentário Adicione o seu

  1. Sorte a minha ter assistido na Pré-Estreia também.
    Um filme bonito e com uma gama de significados legais.
    Concordo plenamente com sua resenha, Mione! ^^
    Se quiser ler a minha também, aqui vai: http://clubedolivro.potterish.com/2013/03/assisti-gostei-e-recomendo-dezesseis-luas/
    Bjs
    Obs.: Valeu por digitar, Pedro, isso foi bem bacana da sua parte!

  2. Lilian Raquel disse:

    Eu adorei o livro e não vejo a hora de assistir o filme @___@

  3. Wilmer disse:

    BEING SUED naturally like your wbteise but you have to check the spelling on several of your posts. Several of them are rife with spelling problems and I find it very bothersome to tell the truth nevertheless I will definitely come back again .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *