Alta Fantasia

E como dito na semana passada, hoje começaremos a falar dos subgêneros da Fantasia e o primeiro que eu escolhi para falar para vocês é Alta Fantasia, provavelmente o mais popular subgênero da literatura fantástica e também precursora do gênero é nesse gênero que temos os livros que descrevem mundos totalmente novos, a explicita luta entre o “Bem” e o “Mal” e abusam de elementos como a coragem e a força dos seus personagens.

Também conhecida como High Fantasy, ela tem um desenvolvimento épico dos temas e personagens normalmente usando como plano de fundo dilemas éticos e/ou políticos com presença de guerras, destruições de nações e a iminência do fim do mundo criado.

Esse mundo criado pode ser apresentado de três formas:

  • O mundo primário (real) não existe, como Dungeons & Dragons
  • Introduzido através de um portal no mundo primário, como Seres do Além.
  • Um mundo-dentro-do-mundo, como As Crônicas de Nárnia.

Mas quando surgiu a Alta Fantasia? Foi lá no século XIX que a Alta Fantasia começou a se desenvolver, porém foi se popularizar mesmo no século XX com o clássico “O Senhor dos Anéis” de J.R.R. Tolkien que até hoje é descrito como o pai da fantasia moderna.

Em “O Senhor dos Anéis” temos o clássico modelo da luta do bem contra o mal, uma característica bem firme da Alta Fantasia, pelo menos era bem firme a um tempo atrás, já que alguns autores desse gênero da atualidade resolveram abrir mão disso, como George R.R. Martin e China Miéville, autores esses que resolveram explorar uma temática moral mais complexa e maleável, com personagens agindo de forma moralmente ambígua ou vacilante, independente de serem vilões ou heróis.

No geral, a Alta Fantasia é definida como a fantasia em um mundo alternativo, fictício, em vez do mundo “real”. O mundo fictício geralmente é internamente consistente, mas suas regras são diferentes do mundo real.

Fantasia Séria

É um dos termos usado para definir a Alta Fantasia, uma vez que suas histórias são muitas vezes narradas de forma séria e épica, lidando com temas de grandes lutas contra o sobrenatural e as forças do mal.

Nesse gênero é comum encontrarmos elementos como elfos, fadas, anões, ogros, duendes, gigantes, dragões, demônios, magia ou feitiçaria, magos ou bruxas, línguas artificiais, missões e temas coming-of-age (ou seja, uma história sobre amadurecimento, enfatizando o crescimento do protagonista da juventude para a idade adulta).

Um dos traços da Alta Fantasia que tem se popularizado muito de uns temos para cá é o de personagens do “mundo real” que acabam entrando em um mundo fantástico durante a historia, geralmente no começo dela, o interessante desse traço é que o leitor pode conhecer o mundo fantástico junto com o personagem.

O mundo criado, não precisa ser extremamente fantasioso, ele podem ser mais ou menos próximo ao nosso mundo real, como nas lendas Arturianas, por vezes, quando isso acontece, a alta fantasia se confunde com história alternativa.

Personagens

  • Protagonista

Antes de começar a falar desse personagem, vamos fazer um pequeno teste, pense em um (ou mais de um se quiser) personagem de um livro de Alta Fantasia e agora eu vou fazer um pequeno resumo de como começa a história desse personagem.

O personagem é de uma origem ou natureza misteriosa, que pode ser um órfão ou ter um dos dois pais desconhecido ou diferente dos demais irmãos, esse personagem tem um talento extraordinário para magia ou quem sabe combate. Sua história começa com ele ainda jovem, um adolescente ou até mesmo uma criança.

Então acertei? Deixa aqui nos comentários se eu acertei ou não e caso eu tenha acertado, fique calmo, não li sua mente, na real a maioria dos protagonistas da Alta Fantasia são assim, são poucas as histórias em que ele é um indivíduo completamente desenvolvido com seu próprio caráter ou espírito.

A verdade é que a maioria das histórias de alta fantasia são contadas pelo ponto de vista de um grande herói com uma narração conhecida como a “Jornada do Herói”.

Esse herói, que como vimos, na maioria das vezes começa como uma criança e amadurece bem rápido, tendo um enorme ganho de luta/capacidade ao resolver problemas em sua jornada que normalmente é contra as forças do mal.

  • Sábio

Um personagem muito comum nos livros de Alta Fantasia é a figura de um grande sábio na vida do nosso protagonista, esse personagem pode aparecer na figura de um mentor, professor, mago ou qualquer outro tipo de personagem de confiança na vida do herói.

Esse personagem vai nos dar as melhores citações, pois sua sabedoria é imensa e normalmente ele também é bastante místico.

Seu papel principal é fornecer ao protagonista ajuda e aconselhamento, por isso o veremos sempre próximo ao nosso herói.

  • Vilão

Em algumas das narrações teremos uma figura sombria, na maioria das vezes obcecado com poder para dominar o mundo (e não estou falando do Cérebro de Pink e o Cérebro) e logicamente matar o nosso herói.

Ele vai aparecer normalmente como um feiticeiro, mago, um tipo de Deus ou de Demônio, ele terá também um exército enorme em seu comando que pode ser um exército de verdade ou um grupo de seguidores/servos extremamente temidos.

Em seu passado alguns desses vilões tiveram um predecessor que pode ter sido superior ou inferior a ele em poder.

Exemplos de Alta Fantasia

Livros

  • Crônicas de Nárnia
  • O Senhor dos Anéis
  • O Hobbit
  • Trilogia Shannara
  • The Belgariad
  • The Malloreon
  • A Roda do Tempo
  • As Crônicas de Gelo e Fogo
  • O Livro Malazano dos Caídos
  • Ciclo da Herança
  • The Black Company
  • A Espada da Verdade
  • Memory, Sorrow, and Thorn
  • Seres do Além

Jogos de RPG

  • Dungeons & Dragons
  • Greyhawk (Gary Gygax)
  • Dragonlance (Tracy Hickman e Margaret Weis)
  • Reinos Esquecidos (Ed Greenwood)

Curiosidades:

  • O termo “alta fantasia” foi cunhado por Lloyd Alexander em um ensaio de 1971, “High Fantasy and Heroic Romance”.
  • Os romances de William Morris, tais como The Well at the World’s End, situado num mundo medieval imaginário, são por vezes considerados como os primeiros exemplos de alta fantasia.
  • Bildungsroman é um termo usado para definir o tipo de romance em que é exposto o processo de desenvolvimento físico, moral, psicológico, estético, social ou político de um personagem, geralmente desde a sua infância ou adolescência até um estado de maior maturidade. O que normalmente acontece na Alta Fantasia.

Ficamos com isso por hoje galera, na próxima semana vou trazer mais um subgênero da fantasia, se quiser pode deixar aqui nos comentários o seu subgênero favorito.  E não se esqueça que no decorrer dessa semana tem muitas outras postagens dos meus amigos aqui para vocês acompanharem.


Fontes:

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s