[Crítica] Nasce Uma Estrela

‘Nasce Uma Estrela’ marca a estreia de Bradley Cooper na direção, e ainda conta com Lady Gaga em um papel feito sob medida.

Contando a estoria de Jackson Maine, um astro da musica beberrão que se apaixona pela talentosa, porem perdida, Ally. Os dois logo entram em uma bela e complicada relação amorosa, cheia de altos e baixos, e muita musica boa.

Roteirista, diretor, produtor, protagonista, Bradley Cooper fez questão de participar de cada segundo do filme, e claro que isso lhe rendeu grandes elogios, e críticas. Algumas pessoas sempre encaram esse tipo de artista como o que implora por prêmios, ou nesse caso um Oscar. Mas eu sinceramente não vejo problema nenhum nisso, desde que o filme mereça toda a fama. Contando pela quarta vez a mesma estoria, ‘Nasce Uma Estrela’ de Cooper dá ainda mais foco ao declínio de Maine, seu personagem.

O roteiro do filme consegue aproveitar o melhor do que a dupla apresenta, seja no romance ou no drama, ou até mesmo nas varias cenas engraçadas espalhadas pelo filme, e por incrivel que pareça, Lady Gaga consegue ter carisma suficiente para segurar sua personagem até o fim. Não que Gaga seja uma atriz ruim, mas ela está longe de ser excelente. Sua participação em American Horror Story foi traumatizante, ela não me pareceu nem um pouco no clima da personagem, e eu quase tive pena do problema em que ela havia caído. Aqui, eu sinto uma diferença enorme entre as duas Gagas, mais madura, mais confiante em frente da câmera. É compreensível que o ambiente musical tenha ajudado, mas Lady Gaga realmente evoluiu como atriz, e isso fica claro desde o inicio.

Voltando a Cooper, a direção foi a parte que mais me chamou a atenção. Muito direto, planos e enquadramentos muito bem realizados em todas as cenas, e ainda procurando por uma assinatura própria. Eu não esperava encontrar um Bradley Cooper tão seguro de si em uma estreia com esse peso, mas ele conseguiu. Com pequenas exceções em relação a ritmo de filme, Cooper esteve muito confortável como diretor. E eu acredito que isso tenha dado uma ótima abertura como ator também, pois sua atuação estava na medida certa, e para quem já chegou perto tantas vezes de um Oscar de melhor ator, eu realmente acredito que chegou a hora. Nitidamente ele deu mais espaço para seu personagem em alguns momentos, inclusive momentos em que eu preferia ter entendido mais o lado de Ally (Gaga). Mas não vejo isso como algo ruim, e também não chega a atrapalhar. A química de Cooper e Gaga também funciona do inicio ao fim, o que equilibra muito bem a relação dos dois.

A trilha sonora é excelente, e conta com musicas escritas por Cooper e Gaga. Os dois juntos arrasaram no palco, e na tela grande você realmente se sente dentro de um show ao vivo. Claro que já esperávamos um show por parte de Gaga no quesito musical, mas Cooper foi novidade para mim. Presença de palco, cantando e tocando, ele realmente encarnou um Deus da musica no filme.

‘Nasce Uma Estrela’ não é um filme perfeito, mas marca o grande nascimento de Cooper na direção, e o renascimento de Gaga como atriz. É romântico, triste, engraçado e dramático nos momentos certos, e sem duvida merece boas menções ao Oscar 2019.

Nota: 9.0


Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s