[Análise] O que esperar de Os Ventos do Inverno (part II): Daenerys Targaryen

Aviso de spoilers

Poucas coisas são tão centrais em As Crônicas de Gelo e Fogo quanto Daenerys Targaryen. Seu núcleo com certeza é um dos núcleos mais complexos de toda a série de livros criada por George R.R Martin, estando bem no centro das duas facetas que definem o enredo, tanta a política quanto a mágica (sobrenatural). Daenerys é uma daquelas personagens que consegue unir essas duas naturezas de As Crônicas de Gelo e Fogo de maneira que cada vez mais o enredo começa a girar – em parte – em torno dela.

Achou exagerado?

Ao pretender o Trono de Ferro, isso a coloca no caminho (a liga) aos núcleos que disputam ou se desdobram em torno dele: Lannisters, Tyrells, Greyjoys, Dorne, a misteriosa Cidadela etc. Ao cercar-se de profecias, Martin a liga ainda a outros núcleos: Bran, Jon, Stannis etc.

E embora claramente Dany seja uma carta importante nas mãos de Martin e tenha três dragões, os únicos do mundo até onde se sabe, até o momento Martin fez muito pouco por ela se você for considerar a quantidade de coisas que Daenerys une em As Crônicas de Gelo e Fogo.

E embora as coisas aconteçam para ela, com certeza Dany é uma das personagens que meio que continua na mesma, digamos assim. Ela ainda sabe muito pouco sobre si mesma (o que inclui sua misteriosa infância por assim dizer), sabe praticamente nada sobre os dragões e muito pouco sobre sua família e os Sete Reinos que deseja conquistar. Na verdade, acho que Daenerys nem sabe se conquistar os Sete Reinos é isso que ela realmente quer.

Daenerys é aquela personagem que depois de cinco livros, deixou mais perguntas do que respostas. As profecias e os mistérios mais loucos circulam em torno dela: Quem é realmente Azor Ahai? Quais são as montarias que ela precisa montar ou as fogueiras que precisa acender? Quem vai ser a terceira traição? O que era o dragão de pedra levantando voo de uma torre fumegante? E pelo amor de Deus, quem é a Quaithe, que vive sussurrando profecias pra ela? Por que ela e não Viserys ganhou de presente os três ovos de dragão? Tem alguma coisa a ver com o Rhaegar? Quem é Daario Naahis? E a Harpia? O que é a sombra que ela precisa atravessar para alcançar a luz?

Percebem o tamanho do problema. E só restam dois livros para acabar – tecnicamente.

Nos dois últimos livros, vimos que uma série de personagens se colocaram em movimento para encontrar a Mãe dos Dragões. Quentyn Martell, Victarion Greyjoy, Tyrion Lannister, o misterioso sacerdote vermelho, Moqorro e um controverso Arquimeistre da Cidadela, Marwyn, que entre outras revelações em sua aparição em o Festim dos Corvos, deixou transparecer que outros meistres iriam também atrás de Daenerys.

Então tendo em vista que muita pouca coisa aconteceu a Daenerys, embora o tanto de coisas que ela já viveu, o que a gente espera em Os Ventos do Inverno é que pelo menos 50% do que cerca a Daenerys seja finalmente desdobrado/revelado por Martin. Ele já segurou demais a Daenerys, por cinco livros. Então agora as coisas precisam se desenrolar, as cartas precisam ser postas na mesa, até porque só restam mais dois livros e no último tenho certeza que a maior importância será o confronto contra Os Outros. Pelo menos é o que a gente espera.

Conforme mencionado, ficou claro nos dois últimos livros uma movimento de caça aos dragões feitas por alguns personagens que se colocaram à caminho de Daenerys. O que precisamos saber é qual desses representa perigo para Daenerys e seus dragões.

Tyrion Lannister

Não muito diferente do que aconteceu na série, eu acredito que o anão será o primeiro a auxiliar Daenerys em sua jornada. Através de seus conselhos, do conhecimento que tem dos Sete Reinos e também sobre os dragões. Aliás, acredito ser neste livro que será definido se Tyrion é ou não uma das cabeças de dragão, já que ele, de todos os personagens que foram colocados em movimento para encontrá-la, é o que está mais perto dela no momento.

Se por um lado eu sinto que Tyrion poderá ser importante contra jogadores como Varys e Mindinho, seus arcos em A Dança dos Dragões me deixaram desconfiada com esse personagem. Neste quinto livro, Tyrion viveu profundos momentos de frustração com a vida e experimentou um ardente desejo de vingança, isso fez seu lado mais sombrio desabrochar.  Como Varys e Mindinho, ele demonstrou uma incrível capacidade de manipular e pode ter plantado as sementes para uma futura Dança dos dragões entre Daenerys e o Jovem Griff, que acredita ser seu sobrinho, Aegon Targaryen, filho do Príncipe Rhaegar, que teria sobrevivido ao Saque de Porto Real.

Então nos resta saber, quais serão as verdadeiras intenções de Tyrion quando ele finalmente reunir-se com Daenerys.

Tyrion é o personagem que tem muito a contribuir. Ele conhece os esquemas dos Sete Reinos. É um excelente jogador quando quer, porém é manipulador e vingativo. Ele é o único em Meereen que sabe sobre o Jovem Griff, o único também que desconfia que Aegon na verdade pode não ser quem ele diz ser. Essa informação é valiosa. Provavelmente será um dos caminhos pelo qual ele ganhará Daenerys. Porém ele já plantou sementes que provavelmente trarão consequências drásticas para Westeros, ao aconselhar Aegon a ir para os Sete Reinos e tomar o Trono de Ferro sem Daenerys e seus dragões.

Tyrion é um personagem tão interessante, que merece uma matéria só dele. O que pretendo fazer mais pra frente.

Porém, tecnicamente, sua presença ao lado da mãe dos dragões, facilitará o trabalho de Martin, já que teremos um outro ponto de vista auxiliado ao de Daenerys.

Daenerys com certeza não confiará em Tyrion inicialmente, por motivos óbvios. Ele é um Lannister!Que ela odeia e Quaith em uma de suas aparições misteriosas, disse a ela que não confiasse  no leão que iria até ela… porém com um tempo… para felicidade ou infelicidade da Mãe dos Dragões… eu acho que confia.

Logo virá a égua pálida, e depois dela, outros. Kraken e chama negra, leão e grifo, o filho do sol e o dragão do farsante. Não confie em nenhum deles.

Marwyn

Arquimeistre, mais conhecido como Mago, foi citado em quase todos os livros da série. Mirri Maz Duur por exemplo, a maegi que matou Khal Drogo e o filho de Dany, o cita ainda no primeiro volume:

Quando era mais nova e mais bonita, fui numa caravana a Asshai da Sombra, para estudar com os magos de lá. Chegam navios de muitas terras a Asshai, e fiquei durante muito tempo estudando os costumes de curar de povos distantes. Uma cantora de lua de Jogos Nhai deu me de presente as suas canções de parto, uma mulher do vosso povo cavaleiro ensinou-me as magias do capim, dos grãos e dos cavalos, e um meistre das Terras do Poente abriu um cadáver e mostrou–me todos os segredos que se escondem sob a pele. Sor Jorah Mormont interveio.

– Um meistre?

– Chamava-se Marwyn – respondeu a mulher no Idioma.

Comum. – Do mar. Do outro lado do mar. As Sete Terras, disse ele. Terras do Poente. Onde os homens são de ferro e os dragões governam. Ensinou-me esta língua.

– Um meistre em Asshai – meditou Sor Jorah. – Diz-me, Esposa de Deus, que usava este Marwyn em volta do pescoço?

– Uma corrente tão apertada que quase o sufocava, Senhor de Ferro, com elos de muitos metais.

O cavaleiro olhou para Dany.

– Só um homem treinado na Cidadela de Vilavelha usa uma corrente assim – disse -, e esses homens realmente sabem muito sobre curar. A Guerra dos Tronos, capítulo 61 – Daenerys VII

Não podemos esquecer que Marwyn escreveu o Livro dos Livros Perdidos.

Esse livro foi já citado por Lorde Rodrik Harlaw, tio de Asha e Theon Greyjoy.

— O Livro dos Livros Perdidos, do Arquimeistre Marwyn. — Ele levantou o olhar da página para estuda-la. — Hotho me trouxe uma cópia de Vilavelha. Ele tem uma filha, ele queria me casar. — Lorde Rodrik bateu no livro com uma grande unha. — Veja aqui? Marwyn afirma ter encontrado três páginas de sinais e presságios, visões escritas pela filha solteira da Aenar Targaryen antes da Perdição cair em Valyria. Lanny sabe que você está aqui? O Festim dos Corvos, capítulo 11 – A Filha da Lula

Da mesma forma Qyburn, que foi expulso da cidadela por seus métodos não convencionais, cita que Marwyn alegando que ele era o único que meio que gostava da sua forma de pensar. Isso só demonstra que Martin tem inserido Marwyn lentamente na trama. E agora este misterioso personagem, que inclusive tem uma vela de obsidiana em seus aposentos na Cidadela, está a caminho de Meereen para encontrar-se com Daenerys, aparentemente assumindo a tarefa de meistre Aemon em auxiliá-la.

Outra coisa bem interessante sobre este personagem é que como foi mostrado logo no prólogo de O Festim dos Corvos, há um homem sem rosto na Cidadela e este homem é ninguém menos do que Jaqen H’ghar que assume a identidade de um dos aprendiz da Cidadela, Pate. E no final descobrimos que Pate/Jaqen, estava justamente nos aposentos de Marwyn quando Samwell o encontra.

Embora o homem gentil tenha dito a Arya que a técnica/mágica usada pelos homens sem rosto é única pois nem o mais poderoso dos feiticeiros poderia descobri-la. O fato de Pate estar na sala de Marwyn e do próprio Sam sentir que há algo estranho com ele, nos faz se perguntar então porque um homem como Marwyn não perceberia a verdadeira identidade de Pate? Outra coisa interessante é que Jaqen chega a Vila Velha (onde fica a Cidadela) no papel de um alquimista (com a mesma descrição da aparência dele quando deixa Arya em A Fúria dos Reis) e antes de matar Pate para ter o seu rosto, o que Jaqen queria e consegue é uma chave que somente os arquimeistres podiam usar. Uma chave que abria todas as portas da Cidadela.

Conforme já foi mencionado em alguns dos capítulos do Tyrion, é sabido que vários livros de feitiçarias estão escondidos na Cidadela, inclusive aqueles sobre dragões, os mais raros deles.Que ensina como matá-los.

Então se Pate/Jaqen estava nos aposentos de Marwyn e Marwyn é odiado pelos meistres da Cidadela que parecem estar comprometidos numa grande conspiração para acabar com a magia do mundo, podendo estar por exemplo por trás dos acontecimentos que eliminaram os dragões dos Targaryen e depois a própria família, conforme insinua o arquimeistre. Então será que Marwyn, mesmo como um arquimeistre, teria acesso a todas as salas da Cidadela? Inclusive aquelas que poderia aumentar o seu libido por magia?

Algumas teorias apontam que Jaqen estaria na Cidadela a serviço de alguém, como o Mindinho, para conseguir esses manuscritos que poderiam prejudicar os dragões e a própria Daenerys. Embora eu não descarte essa possibilidade, eu não acredito muito nela. Até porque Jaqen quando se despede da Arya, sugere que tinha promessas a manter e não um trabalho a fazer:

[…] – por favor, não vás Jaqen.

-Jaqen está tão morto como Arry – ele falou em tom triste -, e eu tenho promessas a manter… (Arya, A Fúria dos Reis, p.447)

Claro que isso ainda não diz muito sobre o papel os planos de Martin para esse personagem. Jaqen pode até mesmo estar aliado com Euron Greyjoy,  que pode ter contratado um homem sem rosto para assassinar seu irmão, Balon Greyjoy. Mas a ligação dele como Marwyn é no mínimo curiosa e levando em consideração que Marwyn agora está indo até Dany, eu acho que tudo pode ser um ponto positivo para a Mãe dos Dragões. O arquimeistre pode ajudar e muito.

Embora Dany possa ser resistente a ele no início, até pela relação de Marwyn com Mirri Maz Duur, a verdade é que ele pode ser determinante para as estratégias de Daenerys. Ele pode ensiná-la sobre dragões, os feitiços da Velha Valíria e claro… nos esclarecer se de fato há uma conspiração da Cidadela para acabar com a magia do mundo.

Daenerys precisa começar a tomar conhecimento de coisas e para este sexto livro, eu espero que uma das tramas que se desdobre seja a que sugere que a Cidadela está atolada até o pescoço com conspiração que destruiu a família dela.  Mas essa é somente uma parte do que eu espero desse personagem. Ainda tem mais.

Victarion Greyjoy

Victarion foi em buscar de Daenerys por ordens de seu irmão, rei das Ilhas de Ferro, Euron Greyjoy, que aparentemente tem pretensões de se casar com Dany e usar seus dragões pra conquistar o Trono de Ferro.

Para a viagem até Meereen, Euron entregou a ele um berrante que ele supostamente teria encontrado nas ruínas fumegantes de Valíria. Ao ser tocado, o berrante teria o poder mágico de controlar um dragão.

Mas toda a história que Euron conta a Victarion é muito estranha. Primeiro, se ele quer Daenerys, pra que então o berrante para conquistar seus dragões? A não ser que ele esperasse que ela não fosse de boa vontade. Na verdade, acredito que toda a trama dos homens de ferro, e aqui cito Victarion e Euron, com Daenerys, é uma espécie de repetição do que aconteceu no passado, entre um ancestral dela, Aegon Targaryen e Harren, o Negro, anscentral de Victarion e Euron.

É bem conhecido na história que Aegon e suas irmãs desembarcaram em Westeros no dia em que o terrível Harren terminou de construir Harrenhal, o maior castelo de Westeros. Ao negar-se dobrar os joelhos para Aegon, Harren foi queimado vivo com toda a sua linhagem junto com Harrenhal.

Para além do berrante, Victarion contribuíra para a história de Daenerys ao levar até ela os navios dos quais ela precisa para ir para Westeros, pelo menos parte deles. Se ele conseguir tirar um dragão dela com o misterioso berrante, é muito mais provável que ganhe uma inimiga do que uma aliada como muitos cantam por aí.

– São meus – ela disse ferozmente. Tinham nascido da sua fé e da sua necessidade, tinham recebido a vida das mortes do marido, do filho natimorto e da maegi Mirri Maz Duur. Dany tinha penetrado nas chamas no momento em que nasciam, e eles tinham bebido leito dos seus seios inchados – Ninguém vai tirá-los de mim enquanto eu viver.  (A Fúria dos Reis, Daenerys I, página 125).

Muitos acreditam que Dany terá como marido um dos Greyjoys, por causa de uma visão na Casa dos Imortais.

Sua prata trotou pela grama, dirigindo-se a um riacho sombrio sob um mar de estrelas. Um cadáver ergueu-se à proa de um navio, de olhos brilhantes na face morta, lábios cinzentos sorrindo tristemente. Uma flor azul cresceu de uma fenda numa muralha de gelo e encheu o ar de doçura… Mãe de dragões, noiva do fogo… (A Fúria dos Reis, Daenerys, página 455).

O segredo da passagem estaria no trocadilho com a palavra greyjoy, lábios cinzentos sorrindo. Quando você acrescenta o navio ou mesmo o cadáver, as interpretações são direcionadas para Victarion Greyjoy, capitão da frota Greyjoy e se você acreditar nas teorias morto e revivido em seu navio a caminho de Meereen para encontrar-se com Dany. Porém é importante salientar, que assim que entra na Casa dos Imortais, Dany é lembrada que ela veria coisas relacionadas ao presente, passado e futuro e coisas que nunca aconteceram. A passagem pode sim referir-se a um Greyjoy, já que tanto Euron quanto Victarion manifestam intenções de desposar Dany. Mas se ampliarmos o leque de pretendentes que poderiam se encaixar nesta passagem, temos o Jovem Griff por exemplo. Descobrimos sua pretensão de se casar com Dany quando ele estava a bordo de um barco e quando Jon Conington foi contaminado pela doença cinza, a escamagris, uma doença fatal, fazendo Conington um cadáver que ainda respira. Da mesma forma meistre Aemon morreu a bordo de um navio, quando o que ele mais queria era encontrar-se com sua sobrinha-neta. Claro que ele não tinha intenção de desposá-la, mas ele é tão Targaryen quanto ela e no geral os Targaryen possuem um profundo caso de amor com o fogo.

Lógico que desse cenário, um Greyjoy talvez seja um candidato mais plausível. Mas pela estrutura da narrativa e pelo arco temático da Daenerys, eu imagino que se Martin pretendia casá-la com um Greyjoy, ele teve que mudar um pouco os seus planos. Veja bem, restam dois livros tecnicamente para a história acabar. Daenerys já casou duas vezes. Tudo na sua vida acontece em três, até a separação de seu nome: Dae-ne-rys Tar-ge-ryen hahahah. Até o segundo livro, Martin não pretendia escrever 7 livros, mais 4 e toda essa história nasceu como uma trilogia de modo que é muito fácil perceber traços das intenções do autor nos dois primeiros livros, antes dele adicionar mais camadas a história e estende-la.

Uma coisa importante de mencionar é que Martin pretendia fazer do terceiro para o quarto livro, que seria O Dança dos Dragões, uma lacuna de cinco anos.  Porém ele viu que essa lacuna funcionava para uns personagens e não para outros. Assim, ao invés de simplesmente passar cinco anos ele precisou escrever parte dessa lacuna e ela está no quarto livro, O Festim dos Corvos e no Dança dos Dragões, que acabou tornando-se o quinto livro. Para o arco de Daenerys, essa lacuna funcionava perfeitamente bem, mas como ele precisou escrever, isso lhe rendeu toda a intricada trama de Meereen e um casamento para Dany com Hizdahr zo Loraq, que eu acredito não ter sido um casamento planejado inicialmente mas uma consequência orgânica da permanência e problemas que Dany precisou enfrentar em Meereen.

Isso significa dizer que Martin queimou um casamento de Daenerys?Talvez sim e talvez não. Após o cadáver na proa do navio, o terceiro casamento ou noivado ou envolvimento romântico seria com a flor azul na muralha de gelo, que todos sabemos ser Jon Snow. Então se Dany casou-se com Drogo, com Hizdahr e talvez venha casar-se com Jon, qual seria a contribuição de um casamento entre Daenerys Targaryen e um homem de ferro a essa altura do campeonato?O casamento pode sim acontecer mas qual seria o sentido?Daenerys já casou por uma atitude altruísta, já entregou seu corpo para não ter guerra. E agora?De novo?Ainda mais quando temos o Jovem Griff que diz ser Aegon Targaryen, filho de seu irmão Rhaegar, alguém que ela cogitou casar-se caso ele estivesse vivo. Apesar das desconfianças quanto a real a identidade de Aegon, não seria mais sensato obter mais informações antes de fazer um novo casamento que não lhe serviria de nada?

Um dos motivos usados pelo fandon para justificar um casamento com um homem de ferro seria o roubo de um dos seus dragões. Mas se você pensar objetivamente, ela ainda terá dois dragões, o que ainda a deixa em vantagem num confronto sem a necessidade de um casamento. Eu ficaria decepcionada se ela se casasse com o Victarion por causa de uma quantia de navios ainda insuficiente para levá-la para casa e por causa de um dragão roubado que ela pode pegar de volta na força do ódio. No minimo ele terá uma promessa que ela nunca cumprirá.

Em A Dança dos Dragões, vimos coisas sendo impostas a Daenerys, inclusive um casamento que ela não queria fazer. Em Os Ventos do Inverno, tenho certeza que não será mais assim. Ela aceitou o lema de sua casa ao final do quinto livro, aceitou os seus dragões. Ninguém rouba um dragão. Agora ela irá impor sua vontade de acordo com o que julga ser correto do mesmo modo que seus antepassados Targaryens e ancestrais valirianos fizeram enquanto eram senhores de dragões, doa em que doer! Espero que ela leve Fogo e Sangue a casa Greyjoy que só tornou-se soberana e hoje reina sobre as Ilhas de Ferros, graças ao ancestral dela, Aegon, o Conquistador, com quem ela compartilha uma boa dose de similaridade. Ironias.

Você tem que concordar que se eles roubarem um dos dragões dela, a guerra é um caminho natural para alguém que entre a paz e a guerra ao final aceitou Fogo e Sangue.

O mesmo vale para Euron. Vejo muito mais Euron como um potencial inimigo para Daenerys, do que um aliado, até porque até agora ele representa tematicamente o oposto do arco dela, vendendo escravos e inclusive podendo ser uma peça importante para o inicio da Longa Noite. Olha, vou falar a verdade, ele estuprava e assassinou os próprios irmãos, a única coisa que eu espero pra ele é  realmente sangue e fogo. Tenho ranço desse personagem, de modo que seria difícil ver uma aliança entre ele e a Dany, ainda que eu tenha que admitir que essa possibilidade não possa ser descartada, infelizmente.

Enfim…

O interessante de Victarion, é que no caminho de sua viagem até Meereen ele se encontrou com o misterioso sacerdote vermelho, Moqorro, que teria ficado a deriva no mar desde o naufrágio do navio que levava ele, Tyrion e Jorah Mormont à Baía dos Escravos.

Assim que é resgatado por Victarion, o sacerdote o “cura” de uma ferida na mão que estava bem perto de mata-lo e após isso, Victarion ainda em alto mar, conquista cada vez mais navios para a frota de Ferro e se torna cada vez mais estranho, meio sedento por sangue, matando pelos menores dos motivos, bem diferente do homem de antes, que era durão, sim, mas não tão sanguinolento conforme depois de ter seu braço curado pelo Senhor da Luz. Aqui entra a teoria de que talvez mais do que simplesmente curado, Victarion morreu e voltou através dos fogos do Senhor da Luz.

Contudo, vale dizer que Moqorro embarca na viagem em direção a Meereen, supostamente por ordem de Benerro, um alto sacerdote da fé vermelha, que acredita e profetiza em praça pública em Volantis que Daenerys é Azor Ahai renascido.

Moqorro

Então se sabemos que o grande inimigo do Senhor da Luz é O Outro, por que um sacerdote vermelho estaria a caminho dela se fosse para prejudica-la? Poderíamos pensar na questão da escravidão, já que a fé vermelha é muito conhecida por usar escravos em seus templos e há indícios que uma hora Daenerys pode cair sobre Volantis, ou no mínimo levar este sistema a um colapso definitivo. Mas será que isso justificaria um antagonismo tão direto contra ela uma vez que O Outro é o grande inimigo da fé e seu alto sacerdote parece acreditar que Daenerys é Azor Ahai?

O que eu acho é que Moqorro pode na verdade ser mais um aliado e que de uma forma muito sutil, ele está controlando Victarion para seus próprios propósitos. Por exemplo, Victarion começou a aumentar sua frota depois que conheceu Moqorro. E uma frota é o que Dany precisa para ir para Westeros, local do confronto contra Os Outros.

Victarion ainda pode ajudar com sua experiência como capitão e sua competição com Euron pode incentivá-lo a levar Daenerys as ruínas de Valíria, caso seja definido que ela deva passar por este lugar antes de atracar em Westeros. O que eu acho difícil, mas…

— A opção é sua, irmão. Vive como servo ou morre como rei. Se atreverá a voar? Se não der o salto, nunca saberá.

O olho sorridente de Euron estava brilhante de troça.

— Ou será que estou pedindo demasiadamente de ti? Velejar para lá de Valíria é coisa de meter medo. (O Festim dos Corvos, capítulo 29 – O Pirata I).

***

 — Eu seria capaz de levar a Frota de Ferro até o inferno, se fosse necessário. — Quando Victarion abriu a mão, a palma estava rubra de sangue.

Uma outra observação bem pertinente, é que Moqorro pode ser na verdade Marwyn (sim, ele de novo). Há precedentes na história de que feiticeiros poderosos podem usar feitiços para disfarçar sua imagem. A própria Melissandre usou isso para esconder Mance Rayder e provavelmente ela mesma usa esse tipo de feitiço para esconder sua própria aparência já que ela aparenta ser muito mais velha. A própria série já trabalhou essa questão no início da sexta temporada. E há algo estranho na descrição de Marwyn e Moqorro.

Marwyn:

Sua cabeça era desproporcionalmente grande em relação ao corpo, e sua maneira de projetá-la para frente desde os ombros, juntamente com o queixo resistente, fazia que parecesse a ponto de matar alguém. Era baixo e atarracado, mas com o peito e os ombros amplos, e uma barriga de cerveja redonda e dura como uma pedra, que forçava os laços do gibão de couro que usava como túnica. Das orelhas e do nariz saiam mechas de pelo branco. Tinha a frente protuberante, lhe haviam quebrado o nariz em mais de uma ocasião, tinham lhe deixado os dentes cheios de manchas vermelhas, e suas mãos eram as maiores que Sam já havia visto. O Festim dos Corvos – capítulo 45, Samwell V

Moqorro:

— Sendo um homem enorme, mais alto do que Sor Jorah e com largura suficiente para fazer dois dele, o sacerdote usava vestes escarlate bordadas na manga, na bainha e no colarinho com chamas de cetim laranja. A sua pele era negra como breu, o cabelo branco como a neve, as chamas tatuadas nas bochechas e testa amarelas e cor-de-laranja. O seu bastão de ferro era tão alto como ele próprio e coroado com uma cabeça de dragão. Quando o sacerdote batia com o cabo do bastão no convés, a goela do dragão cuspia crepitantes chamas verdes. A Dança dos Dragões – capitulo 33, Tyrion VIII.

Quando Moqorro foi encontrado pela frota de Victarion:

— Senhor capitão — disse, quando Victarion surgiu — este é Moqorro. Um presente do Deus Afogado para nós.

O feiticeiro era um homem monstruoso, tão alto como o próprio Victarion e com o dobro da largura, com uma barriga que mais parecia um pedregulho e um matagal de pelos brancos como osso, que lhe crescia em volta da cara como a juba de um leão. A sua pele era negra. Não do castanho de avelã que os ilhéus do verão mostravam nos seus navios cisne, nem do castanho‐avermelhado dos senhores dos cavalos dothraki, nem da cor entre terra e carvão da pele da mulher sombria, mas negra. Mais negra que carvão, mais negra que azeviche, mais negra que a asa de um corvo. A Dança dos Dragões – capítulo 56, O Pretendente de Ferro

Uma grande diferença entre os dois é o tamanho. Moqorro é alto enquanto Marwyn é atarracado (baixo) mas com uma estranha cabeça, grande demais, desproporcional ao seu corpo. Mas ambos são fortes, barrigudos e compartilham de pelos brancos.

Quando usou feitiçaria para esconder Mance, Melissandre também alterou seu tamanho.

Quando Jon o ver como Camisa de Chocalho:

Sob os ossos escondia-se uma criatura arruinada e desgraçada com dentes partidos e castanhos e um tom amarelado no branco dos olhos. Um homem pequeno, malicioso e traiçoeiro, tão estúpido como cruel. A Dança dos Dragões – capítulo 10, Jon III

Quando a magia começa a se desfazer e revela Mance:

Mas o cabelo recuado nas têmporas dissolveu-se. O bigode castanho, o queixo nodoso, a pele macilenta e amarelada e os pequenos olhos escuros, tudo derreteu. Dedos cinzentos rastejaram através de longos cabelos castanhos. Rugas de riso apareceram-lhe aos cantos da boca. E de repente surgiu maior do que antes, mais largo de peito e ombros, de pernas longas e esguio, com a cara escanhoada e queimada pelo vento. Os olhos de Jon Snow abriram-se mais.

— Mance?

— Lorde Snow. — Mance Rayder não sorriu. A Dança dos Dragões – capítulo 31, Melisandre .

Assim que ouve as notícias que Sam trazia, Marwyn apressou-se em deixar a Cidadela.

— Irei à Baía dos Escravos no lugar de Aemon. O navio cisne que trouxe Matador me servirá perfeitamente. O rebanho cinzento enviará seu homem em um navio, sem duvida. Se tiver bons ventos, eu chegarei antes.O Festim dos Corvos – capítulo 45, Samwell V

E depois não aparece em A Dança dos Dragões, mas Moqorro sim.

Os navios de cisnes são usados pelos moradores das Ilhas de Verão, sempre descritos nos livros como sendo homens que vivem de maneira diferentes dos outros e profundamente escuros.

… eram os das Ilhas do Verão, com suas peles tão lisas e escuras como teca. Eles vestiam mantos de penas vermelhas, verdes e amarelas, e os altos mastros e velas brancas de seus navios de cisne eram magníficos. O Festim dos Corvos – capítulo 34, A Gata dos Canais III

Victarion descreve Moqorro como a coisa mais negra que ele já viu.

Mais negra que carvão, mais negra que azeviche, mais negra que a asa de um corvo. Queimada, pensou Victarion, como um homem que tivesse sido assado sobre as chamas até que a carne ficasse esturricada e estaladiça e se lhe soltasse dos ossos. Os fogos que o tinham chamuscado ainda dançavam nas suas bochechas e testa, onde os olhos espreitavam do seio de uma máscara de chamas congeladas. Tatuagens de escravo, ompreendeu o capitão. Marcas do mal. A Dança dos Dragões – capítulo 56, O Pretendente de Ferro

Então será esta a verdadeira aparência de Marwyn, ou será que a descrição de sua cor tem a ver com a relação com o Senhor da Luz? E estaria ele usando o Senhor da Luz para chegar mais rápido até Daenerys?

Conforme já comentei a cima, Moqorro parecia saber que precisava encontrar-se com Victarion. Quando o navio que ele estava (junto com Tyrion e Sor Jorah) é atingido por uma tempestade e fica a deriva, o sacerdote simplesmente desaparece, evitando assim ser levado pelos traficantes de escravos que capturam Tyrion e o restante da tripulação.

Terá Benerro visto isto nas suas fogueiras?, perguntou Tyrion a si próprio, quando percebeu que o enorme sacerdote vermelho desaparecera.

E Moqorro, terá visto isto? A Dança dos Dragões – capítulo 40,  Tyrion IX

A técnica para ver as coisas através de uma vela de obsidiana (como é o caso de Marwyn), não deve ser muito diferente de ver coisas nas chamas, apesar do nível de dificuldade de ambas. Embora igualmente difícil. E se há um homem sem rosto na Cidadela, provavelmente um filha bastarda de Oberyn Martell, porque não haveria de ter um seguidor de R’hollor?E todas essas pessoas que não deveriam estar lá, parecem estar sob as asas de Marwyn.

Então talvez o berrante que foi inserido na narrativa para “prejudicar” Daenerys, talvez seja usado a favor dela. Talvez até seja entregue a ela como uma prova de lealdade. Talvez Euron tenha dado o berrante para Victarion por saber que ao ser tocado, os dragões iriam para o mestre do berrante, no caso ele. Ou por saber que isso tiraria Victarion de seu caminho já que se não fosse por Moqorro, Victarion estaria morto antes de chegar a Meereen.

Euron Greyjoy pode ser um grande inimigo pela disputa pelo trono e parece saber muito mais do que os outros personagens, afinal ele bebe aquela Sombra da Tarde que os imortais de Qaith tomam para despertar sua visão, a mesma bebida que Dany precisou tomar quando passou pela Casa dos Imortais. Então não seria estranho, se Euron, estivesse vendo coisas que podem acontecer no futuro, além das que já aconteceram e estão acontecendo. Porém, independente dos seus planos, Moqorro talvez tenha sido um elemento surpresa que pode desviar ventos mais favoráveis para Daenerys.

Embora não sabemos os reais objetivos de Euron, a verdade é que sua ameaça já pode ser tangível no arco de Daenerys, a ponto dela chegar a sonhar com ele, supostamente. Ela sonha com lábios azuis e machucados, que confere com a descrição de Euron que tem lábios assim devido a Sombras da Tarde.

A noite veio mesmo quando Daario veio, tão bêbado que mal conseguia ficar em pé. Sob as cobertas ela se jogava e se virava, sonhando que Hizdahr a estava beijando… mas seus lábios estavam azuis e feridos, e quando ele se enfiou dentro dela, sua masculinidade era fria como gelo. (Daenerys, A Dança dos Dragões pág 484)

Euron Greyjoy

Então Euron pode ser sim um grande problema para a Mãe dos dragões e talvez até consiga mesmo um dos dragões, apenas para deixar a trama mais dramática. Se ele chegar a desposá-la, acho que seria um desperdício de tempo tremendo e Daenerys só faria se não tivesse escolha. Mas Martin já usou essa jogada com a personagem em Meereen e Euron, bem como Victarion, acredita de todo coração que vai torná-la sua esposa. Mas acho que no final todos iremos nos surpreender. A boa notícia é que se, Moqorro for mesmo Marwyn, as chances de que Daenerys fique ciente do perigo são reais, já que Moqorro viu o perigo que Euron representa, em suas chamas.

Há outros que também procuram Daenerys.

[…]

— Viste esses outros nas tuas chamas? — perguntou, com cautela.

— Só as suas sombras — disse Moqorro. — Uma em especial. Uma coisa alta e retorcida com um olho negro e dez longos braços, navegando num mar de sangue. A Dança dos Dragões – capítulo 33,  Tyrion VIII

Numa primeira interpretação, você pode pensar que ele fala de Victarion. Mas na verdade  também pode ser Euron, que tem um olho misterioso escondido por um tapa olho e navega em Silêncio, seu navio que dizem que o casco é vermelho por causa do sangue dos homens que ele já matou. Então talvez esse tenha sido um dos motivos pelo o qual Moqorro em primeiro lugar, colocou-se no caminho de Victarion que estava seguindo um plano de Euron.

Em um dos capítulos revelados de Os Ventos do Inverno, contado pela ótica de Cabelo Molhado, o mais novo dos irmãos Greyjoys, vimos um pouco a extensão da crueldade de Euron. Ele é o um tipo de vilão do calibre de Rmasay Bolton e Joffrey Barathron. Caricata de tão ruim. Provavelmente não será uma ameaça somente para Daenerys, mas para todos os Sete Reinos, então é bom mesmo que alguém no caminho Dany tenha conhecimento desse perigo. No entanto, isso é mais complicado do que parece, já que Quaithe, a misteriosa umbromante, sussurrou o seguinte para Daenerys:

Logo virá a égua pálida, e depois dela, outros. Kraken e chama negra, leão e grifo, o filho do sol e o dragão do farsante. Não confie em nenhum deles.

Moqorro é a chama negra.

— O capitão ordena e eu obedeço — disse Moqorro. A tripulação começara a chamar‐lhe Chama Negra, um nome que lhe fora dado pelo Steffar Gago, que não conseguia dizer “Moqorro.” Fosse qual fosse o seu nome, o sacerdote tinha poderes.

Apesar dessa interpretação, de que Moqorro pode ser na verdade Marwyn, por mais incrível que ela pareça, eu acredito que não irá acontecer. E assim Daenerys terá Marwyn e Moqorro, cada um de lado para lhe dar. Um falando que ela é o Príncipe Prometido, e outro dizendo pra ela não acreditar ou tomar cuidado com essas bobagens (Marwyn).

Em meio há tantas ameaças, fica evidente que Daenerys estará mais sozinha do que nunca com seus dragões, ainda que ganhe aliados em sua jornada. Mas aliados em que pelo menos inicialmente, ela não poderá confiar.

A Guerra contra Yunkai

Não dever ser muito diferente dos desdobramentos da sexta temporada da série, em que Dany recupera Meereen pela primeira vez usando os seus dragões. Provavelmente ela vai recuperar o Khalasar de Khal Drogo e é muito provavelmente que a veremos novamente em Vaes dothrak. E se isso acontecer, talvez se prove se ela é ou não o garanhão que monta o mundo da profecia feita pelas dosh khaleen, ainda em A Guerra das Tronos, que todos acreditaram ser o seu filho, Rhaego.

Se ela for realmente o garanhão que monta o mundo, vai conquistar todos os khalasares que encontrar em Vaes dothrak… e vai fazer isso provavelmente usando fogo de dragão. Sem derramar sangue na cidade sagrada.

Uma vez de volta a Meereen, certamente ela derrotará os yunkaítas e seus aliados, podendo ficar ainda com a Frota de Volantis que está a caminho de lá.

Como o núcleo de Meereen precisa ser fechado em Os Ventos do Inverno, finalmente deveremos conhecer os nobres por trás da Harpia e mesmo Meereen, poderá perecer pelas chamas do dragão, dependendo de como as coisas se desdobrarem por lá.

A Dança dos Dragões representou para Daenerys uma verdeira guerra psicológica. Ela passou o livro todo brigando entre as suas duas naturezas, a Mhysa e a Mãe de Dragões. Ao final de tudo, ela escolheu o seu lema, a sua casa, o seu dragão: fogo e sangue.

Com certeza teremos uma Daenerys muito mais sombria e impiedosa neste sexto volume. Talvez a  mesma Daenerys que crucificou por vingança 163 mestres quando pisou em Meereen.

Ela vai queimar o que achar que precisa queimar e acredito que dessa vez sem muita culpa. A dança dos dragões, para personagens como Dany, Jon, Bran e Arya, representou a morte da infância. Da inocência. Do verão. O inverno enfim chegou para esses personagens.

Porém nem tudo será tão sombrio, ela finalmente poderá encontrar-se  com Jorah e perdoá-lo, talvez mais rápido do que confie em Tyrion.

Neste processo, partes das profecias que ela ouviu na Casa dos Imortais poderá se cumprir. A montaria e a fogueira para terror e a terceira traição, a por amor, talvez.

E se Missandei for mais do que aparenta ser, provavelmente também saberemos ou pelo menos ficará mais evidente de que há algo de errado com a pequena escriba. Digo isso porque tem muita gente que acredita que Missandei é na verdade, uma mulher sem rosto ou ainda uma filha da floresta. Se ela usa algum tipo de feitiço para esconder uma identidade secreta, talvez a presença de Marwyn e Moqorro seja um ponto importante para descobrirmos.

De Meereen talvez vejamos Daenerys em Qarth, saqueando suas riquezas. É possível que ela também passe por Volantis onde ela é esperada ou mesmo Pentos, num confronto com Illirio Mopatis sobre o Jovem Griff. Talvez uma parada em Bravos, para um acordo com o Senhor do Mar sobre o combate à escravidão em Essos, quem sabe em Bravos seu caminho não a leve até Arya Stark que pode embarcar escondida em sua tripulação e quem sabe Dany não resgate as mulheres de Duralor que foram levadas por navios escravistas sendo que um deles foi interceptado por Bravos. E quem sabe em Bravos, a verdade sobre a casa de Porta Vermelha finalmente vem a tona. E só então… Westeros.

Quaithe

Com certeza uma das personagens mais misteriosas de todas As Crônicas de Gelo e Fogo e acho que revelada a identidade somente no último volume mesmo, assim como as motivações de Rhaegar e claro, dos Outros. Os principais mistérios do livro.

De qualquer forma, Daenerys já cumpriu parte de uma profecia ou aviso que Quaithe deixou pra ela: Para ir para o norte, deve viajar para o sul. Para alcançar o oeste, tem de ir para o leste. Para ir pra frente, deve voltar para trás, e para tocar a luz, tem de passar sob a sombra.

Dessa profecia ou aviso, Dany só não cumpriu a última parte e concluiu que Quaithe queria que ela fosse para Asshai de muitas sombras. Porém talvez as sombras da qual a misteriosa mulher fala, seja as sombras das montanhas, no ventre do mundo,em Vas Dothraki.

Westeros

E será que Daenerys finalmente chega em Westeros neste sexto livro?Eu acho que sim, na pior das hipóteses ela se colocará a caminho. Talvez o episódio Os Ventos do Inverno, da sexta temporada de Game Of Thrones, seja uma pista neste sentido.

O ideal seria que ela chegassem aos Sete Reinos ainda neste sexto livro. A questão do Jovem Griff precisa ser desenrolada e ainda segundo a Casa dos Imortais, Daenerys vai matar algumas mentiras. Uma delas envolve a um dragão de pantomineiro (um falso dragão) que pode ser o Jovem Griff e uma outra revelação a ligou a Stannis Baratheon, sugerido que ela seria a responsável por desmascará-lo como sendo Azor Ahai. Então, no caso de Stannis pelo menos, essa mentira seria revelada de forma indireta? Melissandre vai passar um livro inteiro acreditando que Stannis é Azor Ahai?Eu acredito que não. No caso de Stannis, basta saber que Daenerys existe e despertou dragões de pedra.

Porém para um bom desenvolvimento da união entre os núcleos ao norte de Westeros e Daenerys, acho que o mínimo que Martin precisa fazer é deixa-la logo nos Sete Reinos.

Embora Jon Snow provavelmente descubra sua maternidade e consequentemente sua paternidade ou que pelo menos isso seja revelado, ainda que o personagem não tome conhecimento, seu núcleo deve encontrar o de Dany apenas no último livro, onde a questão dos Outros vai ser determinante, então nada mais sensato de começar a desembaraçar as tranças agora Martin. Eu gosto de um mistério, mas eles cansam um pouco quando não encontram solução.

Mas vamos supor que Daenerys chegue pelo  norte ao invés do Sul de Westeros. Por que ela faria isso?Na Casa dos Imortais, ao ouvir sobre as três primeiras mentiras que mataria, a primeira parece ser a de Azor Ahai/Stannis. E Stannis está no Norte. Até então, todas as profecias que Daenerys ouviu na Casa dos Imortais ocorreram na ordem em que foram faladas. Então será que Daenerys se encontrará primeiro com Jon antes de se encontrar com o Jovem Griff/Aegon?Será que é neste momento que o ar se encherá de doçura e ela cumprirá a sua visão: Mãe de dragões, noiva do fogo?

E se ela chegar pelo Norte, quais seriam os motivos?Posso enumerar alguns, embora posso estar errada em relação a todos. Sou muito ruim de chute hehehe.

  • Um “conselho” de Quaithe – Daenerys até então a ouve mais do que qualquer outra coisa;
  • Uma vez com Marwyn, vai tomar conhecimento da profecia de Azor Ahai e que o próprio meistre Aemon acreditava ser ela o príncipe prometido. Isso poderia de algum modo levá-la ao Norte onde está Melissandre;
  • Daenerys pode ir ao Norte pois descobriu sobre o filho de Rhaegar e Lyanna;
  • Em a Dança dos Dragões, é dito que navios de escravos levaram mulheres e crianças selvagens que estavam em Durolar. Selvagens que Jon queria resgatar para a Muralha. Há no momento um mercado de escravo do lado de fora de Meereen, talvez Daenerys encontram essas selvagens que embarcaram enganadas (uma bruxa da floresta havia dito que navios chegariam para levá-los para um lugar mais. Por isso elas embarcaram enganadas nos navios) e as leve de volta para o Norte antes de descer para o Sul. E talvez através delas, escute histórias sobre Os Outros.
  • Busca por aliados na luta pelo Trono de Ferro
  • Nenhuma das alternativas anteriores hehehe.

Pra mim, ela vai chegar em Pedra do Dragão mesmo. Aegon não estará lá, mas em Porto Real, provavelmente conquistada por ele. Provavelmente ao final do sexto livro veremos sua coroação como Aegon VI e o novo rei dos Sete Reinos.

Eu acredito que durante um bom tempo, Daenerys não irá botar fé na história do Azor Ahai ou da Longa Noite. As mulheres do norte que foram parar em Bravos poderiam ajudar neste sentido, se elas souberem falar a langua comum, mas tenho certeza que o foco inicial da mãe dos dragões será sua guerra ao sul com Aegon, numa espécie de nova dança dos dragões. A pessoa que pode mudar isso é definitivamente Jon Snow.

É isso pessoal. Só nos resta aguardar. Pela demora de seu lançamento, esperamos que Os Ventos do Inverno seja o melhor livro de fantasia já lançado nos últimos tempos e quando olhamos o tanto de coisas que ele pode proporcionar, percebemos que ele tem tudo para ser.

Você pode ler ainda outros posts relacionados:

O que esperar de Os Ventos do Inverno (part I): Jon Snow

Sites usados:

Drunkwookie


Anúncios

Um pensamento sobre “[Análise] O que esperar de Os Ventos do Inverno (part II): Daenerys Targaryen

  1. Pingback: [Análise] A Canção de Gelo e Fogo: A profecia de Azor Ahai e o Príncipe que foi Prometido (part II) | No Meu Mundo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s