[Especial] O que esperar de “Os Ventos do Inverno” (part I) : Jon Snow

 

Oi gente, hoje irei começar uma série com algumas edições, onde estarei falando um pouco sobre o que podemos esperar de Os Ventos do Inverno. Então para não ficar uma matéria muito longa, eu resolvi dividi-la entre alguns personagens, para explicar melhor as expectativas em torno desse livro, ainda sem data de lançamento, mas que já se tornou um dos livros mais aguardados de fantasia dos últimos tempo. São apenas sete anos de espera.

E enquanto eu fazia essa matéria, George Martin atacou novamente apenas para partir ao meio os nossos coraçãozinhos esperançosos, já que pelo menos deu a entender em seu blog que este ano ainda não teremos o lançamento de The Wind of Winter, já que antes ele pretende lançar Fire and Blood, (Fogo e Sangue) um livro sobre a família Targaryen.

Então como já dizia Valesca Popuzada, além de um primor de leitura, o que a gente espera deste sexto volume de As Crônicas de Gelo e Fogo é “tiro, porrada e bomba”. Espero que boa parte dos mistérios que Martin segurou até o momento sejam finalmente esmiuçados.

Então para iniciar com chave de ouro, vou começar falando sobre um dos personagens mais queridos e mais caros a obra de Martin, Jon Snow, o homem que não sabe de nada. E não sabe mesmo. Mas a gente espera que comece a saber.

Aviso de spoilers: livros e série

Para pensar sobre o papel de Jon Snow em Os Ventos do Inverno, acho que podemos levar em consideração não apenas os eventos ocorridos nos livros como também os que a série de televisão já mostrou, sobretudo durante a sexta temporada, que tecnicamente cobre eventos posteriores aos livros.

Não que a maneira como a série abordou alguns fatos, seja a mesma que Martin abordará em seu livro, mas podemos considerar a série como uma espécie de janela para Os Ventos do Inverno. Então vamos por parte do que podemos esperar de Jon Snow neste sexto volume de As Crônicas de Gelo e Fogo e muito do que eu pretendo falar aqui, são na verdade pendencias e pontas soltas que Martin deixou em torno desse personagem e assim ficará um pouco mais fácil fazer previsões em torno do papel desempenhado por Jon em The Wind of Winter.

Ressurreição?

Ao final de seu último capítulo em A Dança dos Dragões, Jon Snow caiu na Muralha, traído e apunhalado por seus próprios irmãos de preto. Mas será que ele realmente morreu?

Jon caiu de joelhos. Pegou a adaga pelo cabo e arrancou. No ar frio da noite, a ferida soltava fumaças.

Fantasma – sussurrou. A dor tomou conta dele. Espete neles a ponta aguçada. Quando a terceira adaga o atingiu entre as omoplatas, ele deu um grunhido e caiu com o rosto na neve. nunca sentiu a quarta faca. Apenas o frio… (Jon, A Dança dos Dragões, pág. 774)

Talvez a resposta seja ainda não.

Martin não costuma matar os personagens em seus próprios capítulos e quando isso geralmente acontece, como foi o caso de Catelyn Stark, eles sempre retornam para a narrativa de alguma maneira.

Então a primeira coisa que podemos especular é que talvez Jon não tenha morrido naquele momento, mas possa vir a morrer posteriormente ou entrou numa espécie de coma ou Martin mudou de tática mesmo.

De qualquer forma, esse personagem não deve continuar caído e deve ser inserido na trama novamente de alguma forma já que muitas coisas naquele momento dependiam de Jon e neste aspecto os primeiros capítulos não devem ser muito diferentes do que se passou na série. A grande questão é como Jon Snow vai ser revivido ou curado.

Na sexta temporada, vimos que Jon foi trazido de volta por Melissandre, a sacerdotisa vermelha do deus R’hollor. Melissandre traz Jon de volta após uma espécie de ritual em que a sacerdotisa corta seus cabelos, limpa suas feridas inúmeras vezes e profere palavras misteriosas.

Em A Dança dos Dragões, no momento da morte de Jon, Melissandre também se encontrava na Muralha e já tinha o alertado diversas vezes do perigo que ele corria. Em seu único capítulo no livro (que é o seu único capítulo em toda a série), Melissandre diz que seus poderes ficaram mais fortes desde que ela chegou na Muralha devido a magia antiga que parece gravada nela.

Desta forma, é fácil concluir que a mesma Melissandre estará por trás da “ressurreição” de Jon Snow, mas talvez a coisa não seja tão simples conforme foi apresentado pela série.

Lembram da Shireen Baratheon?A filha do Stannis que foi queimada inutilmente, ainda na quinta temporada, para que as tropas do rei Stannis vencessem o frio e a batalha contra os Boltons em Winterfell?Então. Coisas interessantes aconteceram em A Dança dos Dragões, que sugerem um fim igualmente trágico para a menina. A diferença é a posição geográfica de Shireen. Ela ficou na Muralha ao invés de marchar com Stannis para Winterfell e no momento da suposta morte de Jon, ela estava em Castelo Negro.

Assim que a ver em Castelo Negro, Val, uma selvagem que Stannis declarou como sendo uma “princesa” por ela ser irmã da falecida esposa de Mance Rayder, conhecido como rei-para-lá-da-muralha, confessou e insistiu com Jon que a escamagris no rosto de Shireen não estava curada, mas apenas adormecida e que na verdade a menina já estava morta, por estar condenada. A escamagris é uma misteriosa doença que existe neste universo. Ela é altamente contagiosa e gradativamente transforma o corpo numa massa dura e cinzenta, que racha e se assemelha a pedra.

Então, se Val obteve essa informação através do conhecimento passado por uma bruxa da floresta, não seria estranho que Melissandre (que parece tão poderosa e sábia) já estivesse há muito tempo a par desta situação e mantivesse essa informação para si, para momentos emergenciais. Já que como filha de um rei, a garota tem sangue real, além de também ter sangue da poderosa dinastia Targaryen em sua árvore genealógica. Selyse ouve tudo o que Melissandre tem a dizer e se provado que a doença da menina não foi realmente curada e que pode culminar numa epidemia sobre todos em Castelo Negro por ser altamente contagiosa, Melissandre teria motivos o suficiente para sacrificar Shireen.

Para aprofundar melhor a discussão e mostrar aonde quero chegar, preciso falar um pouco de um outro personagem, o bobo de Shireen, Cara Malhada, um dos personagens mais sinistros e enigmáticos de As Crônicas de Gelo e Fogo.

Cara Malhada é o único sobrevivente do naufrágio que matou os pais dos irmãos Baratheons –  Robert, Stannis e Renly – e foi encontrado na praia dias depois do naufrágio que ocorreu quando o navio chegava a Ponta Tempestade, sede ancestral da família. Um dos homens que o encontrou, jurou até o dia de sua morte que sua pele estava fria e pegajosa, mas que no entanto, de repente ele que parecia morto, abriu os olhos. Desde então, o homem espirituoso e inteligente descrito pelo pai de Stannis em carta enviada de Essos – onde ele o encontrara –  dera lugar ao bobo aparentemente quebrado da princesa Shireen.

Desde então, Cara Malhada passou a se comunicar com rimas que parecem não fazer sentido, mas que na verdade são previsões de eventos que estão prestes a ocorrer. O mais icônico deles, O Casamento Vermelho.

“Sangue de bobo, sangue de rei, sangue na coxa da donzela, mas para os convidados e noivo, correntes, lá, lá, lá.” (Davos II, A Tormenta de Espadas, pág 105)

Sangue de bobo = Aegon Frey, o “o bobo da família Frey” Sangue de rei = Robb Stark. Sangue na coxa da donzela = Edmure Tully e Roslin Frey, em núpcias. Para os convidados e noivo, correntes = Os que não morreram, foram aprisionados.

Um dos termos que Cara Malhada mais gosta de repetir em sua rima é “sob (embaixo, fundo) do mar”, lugar onde aparentemente ele morreu afogado. Então algumas teorias, interpretam esse termo em suas rimas como a morte ou um espaço de morte. Então o que tem tudo isso tem a ver com Jon Snow?

Primeiro essa passagem, quando Jon divide com os homens da rainha e seus irmãos de preto o seu desejo de ir a Durolar resgastar os selvagens que se encontram lá e capítulos depois isso leva a alguns membros da patrulha a traí-lo:

“Eu lidero! Marcharemos para o mar e para fora novamente. Sob as ondas, montaremos em cavalos-marinhos e sereias soprarão conchas para anunciar nossa chegada, oh, oh, oh” (Jon XIII; A Dança dos Dragões. pág 762)

Essa tradução “para o mar e para fora novamente” não passa a mesma sensação do texto original que diz: “We will march into the sea and out again.” A sensação é a de morte e ressurreição. O que sugere que alguém estava prestes a morrer e a ressuscitar.

E depois o bobo diz o seguinte para Shireen, quando a rainha Selyse pede para ele escoltar a menina de volta até os seus aposentos, ainda em A Dança dos Dragões, na última aparição dos dois:

“Vamos, vamos. Venha comigo para o fundo do mar, vamos, vamos.”

Então será que isso significa que o fim de Shireen está próximo?E se sim, por que?

Jon recebeu uma Carta de Ramsay Bolton, que alegava que  Stannis estava morto e Meliisandre não conseguia vê-lo mais em suas chamas. Então o que será que significa?Ela usaria Shireen por Stannis ou por Jon?Se de alguma maneira ela perceber que Jon pode ser seu Azor Ahai, acredito que ela não hesitaria em sacrificar Shireen.

– O Senhor da Luz aprecia inocentes. Não há sacrifício mais precioso. Do seu sangue de rei e do seu fogo sem mácula nascerá um dragão. (A Tormenta de Espadas, Davos, pág 547)

A fala é da rainha Selyse, mãe de Shireen e esposa de Stannis. No diálogo Selyse se refere a Edric Storm, filho bastardo mas reconhecido por Robert Baratheon. Então imagine que trágico seria se ao invés de Edric fosse Shireen a ser dada as chamas para algum fim.

E bem no primeiro capítulo de Jon em A Dança dos Dragões, Martin fez questão de botar o personagem para refletir sobre “crianças queimadas viva”, que além de ecoar com o que acontecia com Daenerys em Meereen, pode ter um sentido muito mais amplo se você pensar na possibilidade que Shireen talvez seja usada pra trazer o Jon de volta a vida.

Queimar crianças mortas tinha deixado de ser um problema para Jon Snow; já as vivas eram outro assunto…

***

o rei (Stannis) pode ser duro e implacável, sim, mas um bebê de peito?Apenas um monstro daria uma criança viva às chamas.(Jon I; A Dança dos Dragões, pág 48-49)

Não seria irônico e bem George Martin que a vida da Shireen fosse trocada pela dele?Com Jon caído na Muralha, o caos vai se instaurar e tudo pode acontecer. E se for assim, será que Jon retornará?A natureza Stark de Jon, é algo que transborda constantemente de seu coração. Jon tem inclinações heroicas e um senso de honra e moral que ao final de A Dança dos Dragões, cerram seu trágico destino. Então o que restará quando este personagem voltar a se levantar?Se provado que Jon é na verdade fruto da união entre Rhaegar Targaryen e Lyanna Stark, será que em algum momento sua natureza “fogo e sangue” irá desabrochar?

No prólogo de A Fúria dos Reis, quando pela primeira vez nos é apresentado a pequena Shireen, ocorre um diálogo no mínimo interessante entre ela e Cressen, o meistre de Pedra do Dragão.

– Tive pesadelos – Shireen respondeu – Com dragões que vinham me comer.

Cressen se lembrava da criança sofrer com pesadelos desde muito pequena.

– Já conversamos sobre isso –  ele disse com gentileza – Os dragões não podem ganhar vida. São feitos de pedra, filha. Antigamente nossa Ilha era o posto avançado mais ocidental da grande Cidade Franca de Valíria. Foram os valirianos que ergueram esta cidadela, e eles tinham maneira de esculpir a pedra que desde então se perderam. Um castelo tem de ter torres sempre que duas muralhas se encontrem num ângulo, para defendê-las. Os valirianos deram forma de dragões a estas torres para fazer com que sua fortaleza parecesse mais temível, tal como coroaram as muralhas com mil gárgulas, em vez de simples ameias.

O meistre tomou a pequena mão de cor-de-rosa da menina na sua, manchada e frágil, e deu um apertão suave.

– Viu só?Não há nada a temer.

Shireen não estava convencida.

– Mas… E a coisa no céu?Dalla e Matrice estavam conversando perto do poço, e Dalla disse que ouviu a mulher vermelha dizer à mãe que aquilo é respiração de dragão. Se os dragões estão respirando, não quer dizer que estão ganhando vida? (A Fúria dos Reis, Prólogo, pág 9)

Como descendente Targaryen, esse sonho de Shireen é algo que deve ser levado muito em consideração, pois Targaryen são frequentemente descritos como tendo sonhos proféticos… com dragões.

Algumas pessoas alegam que Pedra do Dragão foi construída com dragões e com os antigos conhecimentos valirianos. E existem dragões de Pedra por todos os cantos do Castelo. Melissandre acredita que Stannis irá despertar um dragão de pedra que existe em Pedra do Dragão e assim cumprir a profecia de Azor Ahai.

– Quando a estrela sangrar e as trevas aumentarem, Azor Ahai renascerá entre fumaça e sal para despertar dragões de pedra… (Melissandre diz a Jon em: Cap. Jon; A Dança dos Dragões, pág: 554)

Mas será que esse dragão de pedra é um dragão em seu sentido literal ou figurativo?Em As Crônicas de Gelo e Fogo, um dragão pode ser a moeda mais valiosa em Westeros, um animal alado com escamas e fogo nos pulmões, ou ainda uma pessoa, mas necessariamente um TARGARYEN. Então se você analisar com cuidado, Jon Snow pode ser o próprio dragão de pedra da profecia. Se é de pedra, é porque está adormecido conforme a própria profecia sugere. Se Jon for mesmo filho de Rhaegar e Lyanna, sua natureza fogo foi selada, petrificada (ficou adormecida), assim que ele deixou a Torre da Alegria em Dorne para viver como um bastardo Stark em Winterfell.

Sua natureza Stark (gelo) é uma das coisas mais óbvias em Jon, mas sua natureza fogo também pode estar lá, agindo sutilmente. Isso está longe de ser comprovado, mas podemos tomar algumas pistas deixada ao longo dos livros e fazer algumas especulações em cima delas.

Por exemplo, quando Jon salvou o Velho Comandante da Patrulha da Noite do ataque dos Caminhantes Brancos que foram levados para dentro de Castelo Negro, ele queimou a mão gravemente. Mas nunca. Nunca mesmo se esqueceu dessa mão queimada. Ela ficou ali em sua memória, quase que como uma ideia fixa. A partir dela ele desenvolveu uma espécie de TOC, já que nos momentos mais tensos, violentos, em que ele se sente encurralado e precisa reagir, ele frequentemente abre e fecha essa mão, flexionando-a. Como um lembrete de sua natureza escondida. No inicio ele fazia por ordem do meistre Aemon para que ela curasse mais rápido sem que ficasse sequelas, depois, o personagem simplesmente incorporou esse gesto sem perceber.

Jon também sente grande admiração por alguns Targaryen e cresceu querendo ser um conquistador como O Jovem Dragão. Desde de sua conversa com Tyrion, ainda no primeiro livro, o personagem simplesmente não conseguiu mais parar de pensar em dragões.

–  Cinzas e brasas.

–  Reis e dragões.

Dragões novamente. Por um momento, Jon quase os viu também, serpenteando na noite, suas sombras escuras delineadas contra um mar em chamas. – (Jon; A Dança dos Dragões, pág 441)

***

Devíamos ter vinte trabucos, e não dois, e eles deviam estar montados em trenós e bases rotativas para podermos movê-los. Era um pensamento fútil. Podia também desejar mais mil homens e talvez dois ou três dragões. (Jon; A Tormenta de Espadas; pág 655)

Sabemos também que Jon tem sonhos de lobo, onde ele viaja através de Fantasma quando está dormindo, mas este não é único tipo de sonho que o personagem parece ter. Como Daenerys Targaryen, Jon claramente tem sonhos proféticos, conforme os com as criptas de Winterfell (que falarei mais abaixo) e este daqui:

Flechas incendiárias assobiaram para cima, arrastando línguas de fogo. Irmãos espantalhos caíram, seus mantos negros em chamas. Snow, uma águia gritou, enquanto inimigos escalavam o gelo como aranhas. Jon estava com uma armadura de gelo negro, mas sua lâmina queimava vermelha em seu punho. Conforme os mortos chegavam ao topo da Muralha, ele os enviava para baixo, para morrer novamente. Matou um ancião e um garoto imberbe, um gigante, um homem magro com dentes afiados, uma garota com grossos cabelos vermelhos. Tarde demais, reconheceu Ygritte. Ela se foi tão rápido quanto aparecera. (Jon, A Dança dos Dragões, pág 652)

Basicamente neste sonho, Jon sonha que é Azor Ahai, inclusive matando Ygritte, numa alusão à Nissa Nissa, que teria sido o grande amor de Azor Ahai, mas que ele não hesitara em sacrificar para forjar sua Luminífera.

Então se Jon for Azor Ahai, o que será exatamente o dragão de pedra que ele despertará para completar a profecia?Eu não descarto a possibilidade de realmente existir um animal de pedra em Pedra do Dragão. A própria Daenerys pareceu ver este intrigante animal em sua passagem pela Casa dos Imortais:

Brilhando como um pôr do sol, uma espada vermelha foi erguida na mão de um rei de olhos azuis que não projetava sombra. Um dragão de pano oscilou em mastros por cima de uma multidão exultante. De uma torre fumegante, um grande animal de pedra levantou voo, exalando fogo de sombras… Mãe de dragões, matadora de mentiras… (Daenerys, A Fúria dos Reis, pág 455)

Essa parte inclui as três mentiras que Dany supostamente precisaria matar. A primeira bem pode ser Stannis com sua luminífera que não emana calor. A segunda, o Jovem Griff que na verdade pode ser um Blackfyre e a terceira é uma espécie de mistério e pode ser qualquer coisa, inclusive Jon Snow. Sendo filho de Lyanna, Jon  teria nascido em uma torre (a Torre da Alegria) que foi misteriosamente derrubada por Ned Stark. Ninguém sabe como. Mas Ned e Howland Reed foram os únicos homens que sobreviveram a Torre da Alegria, e Howland Reed tem um estreito relacionamento com a magia. Sendo assim, o dragão de pedra que Daenerys vira na Casa dos Imortais, poderia ser um homem e não necessariamente um animal alado.

Então segundo este víeis,  a mentira estaria no fato de Jon ter crescido como um bastardo Stark, quando na verdade ele pode ser um bastardo ou até mesmo um legítimo Targaryen. E Daenerys poderá muito bem provar isto se um de seus dragões aceitar Jon como seu domador, o que faria dele uma das três cabeças de dragão. A criatura alada de pedra deixando a torre fumegante portanto, bem poderia ser Jon Snow se afastado de sua verdadeira descendência e origem. O nascimento de Jon do fogo poderia ainda corroborar outra passagem da Casa dos Imortais que faz menção a ele: a que Daenerys ver uma flor azul crescendo de uma fenda numa muralha de gelo e enchendo o ar de doçura. Logo em seguida ela é chamada de Mãe de dragões e noiva do fogo. Poderia ser uma referencia a relação de Daenerys com o fogo, ou a relação de Daenerys com alguém que é tão fogo (Targaryen) quanto ela.

No primeiro volume por exemplo, A Guerra dos Tronos, entre tantas as coisas macabras que foram invocadas para dentro da tenda em que Mirri Maz Duur tentava trazer Drogo de volta, Martin sublinhou o seguinte através dos olhos de Daenerys:

Dentro da tenda, as formas dançavam, escuras contra a sedaria, rodeando o braseiro e o banho sangrento, e algumas não pareciam humanas. Vislumbrou a sombra de um grande lobo, e outra que era como um homem envolvido em chamas. (Daenerys, A Guerra dos Tronos, pp 504)

A passagem pode ser uma clara menção ainda no primeiro volume a morte de Jon Snow que só vimos em A Dança dos Dragões pois é muito provável que ele tenha entrado na pele de seu lobo gigante, Fantasma, antes de talvez renascer como Azor Ahai ou despertar seu lado dragão. Ou simplesmente uma menção a própria origem do personagem, fruto do gelo e do fogo. Fora que próprio Jon Snow considera-se alguém que caminha pelas sombras.

Ele era quem era: Jon Snow, bastardo e traidor, sem mãe, sem amigos e perdido. Durante o resto da sua vida, não importa quanto durasse, estaria condenado a viver como um estranho, o homem silencioso nas sombras que não se atreve a pronunciar seu verdadeiro nome. (Cap. Jon Snow, A Guerra dos Tronos, pág 545-546)

Jon Snow é uma sombra. Um corvo. De sangue negro. Um segredo escondido aos pés da Muralha.

Por fim, podemos fazer um retorno a Selyse e a Shireen Baratheon, uma vez que pelo menos as evidencias mostradas aqui sugerem que a garota bem pode mesmo ser sacrificada para trazer um dragão a vida ou comida por eles, conforme ela mesmo viu em seus sonhos em Pedra do Dragão cujo o último senhor Targaryen foi Rhaegar, suposto pai de Jon. E a  própria Selyse sabe que apenas a morte pode pagar pela vida, uma lição que aprendemos bem com Daenerys e Mirri Maz Duur.

-Nenhum desses homens era o escolhido de R’hollor. Nenhum cometa vermelho ardeu nos céus para anunciar sua chegada. Nenhum brandia a Luminífera, a espada vermelha dos heróis. E nenhum deles pagou o preço. A Senhora Melissandre dirá senhor. Só a morte pode pagar pela vida.(Davos, A Tormenta de Espadas, pág 546)

No trecho, Selyse sugere que Stannis entregue Edric Storm para ser sacrificado e acordar os dragões de pedras. E Melissandre completa:

– Dê-me o garoto para R’hollor –  disse a mulher vermelha – e a antiga profecia será cumprida. O seu dragão acordará e estenderá suas asas de pedra. O reino será seu. (Davos, A Tormenta de Espadas, pág 546)

Então, embora meio louco, não é impossível pensar que talvez Jon seja esse dragão que precisa ser despertado. Shireen tem descendência Targaryen pelo lado paterno. Ela tem escamagris no rosto que é uma doença que transforma o corpo da pessoa em pedra. Ao queimar Shirren, sem perceber Melissandre estaria despertando um dragão de pedra. A morte da pedra – Shierren –  reviveria um provável descendente da casa Targaryen. Jon Snow.

-Sonhei com sua Muralha, Jon Snow. Grande foi o conhecimento que a ergueu e grande foram os feitiços presos sob seu gelo. Nós caminhamos por baixo de uma dobradiça do mundo – Melissandre olhou para ele, seu hálito quente formando uma nuvem úmida no ar. – Este é meu lugar tanto quanto é seu, e logo você precisará seriamente de mim. Não recuse minha amizade, Jon. Vi você na tempestade, muito pressionado, com inimigos por todos os lados. (Jon I, A Dança dos Dragões, pág 58)

No entanto sugerir que Jon se levantará como um dragão, não significa dizer que ele deixará de ser o que ele é de verdade, um Stark de Winterfell, mas sim que esta sua outra natureza poderá desabrochar… despertar… e que finalmente ele irá descobrir o que ele realmente é. Pode ser o ponta pé inicial para o reencontro com ele mesmo que acredito que será a base de seus capítulos em The Wind of Winter.

Usae Shierren como uma forma de revivê-lo, azedaria ainda a relação dele com Stannis Baratheon, pai da garota. Isso poderia colocar Jon e Stannis finalmente em lados opostos no jogo dos tronos. Já que até então, Jon veio fazendo concessões para Stannis, por mais que repetisse para si mesmo que “a patrulha não tomava partido das brigas do reino”. A verdade é que durante TODO A dança dos dragões, ele estava colocando suas esperanças em Stannis.

Stannis e Jon em lados opostos do campo, pode significar uma luta por Winterfell entre os dois homens, no futuro das crônicas.

Existem ainda uma teoria, que você pode ler clicando aqui,  que sugere que na verdade será Monstro, o filho que Goiva, que será usado como sacrifício para trazer Jon de volta a vida. Monstro é a forma com a qual Val chama o bebê de Goiva, já que os selvagens não dão nomes aos seus bebês até que estes completem dois anos de idade.

Quando Goiva partiu com Sam em direção a Vila Velha, Jon trocou seu bebê pelo o de Mance. O bebê de Goiva ficou na Muralha e o de Mance partiu com ela. Jon tomou essa atitude controversa para evitar que tanto o bebê de Mance quanto meistre Aemon, ambos com sangue real, fossem usados por Melissandre em sacrifício e prometeu a Goiva que protegeria seu filho com a própria vida. Então se o sacrífico for mesmo o bebê de Goiva, a ironia ainda persistirá para Jon Snow. E o filho de Goiva, que ele jurou proteger, seria o amargo preço a ser pago.

E se ele reviver, como voltará?

A única coisa que mudou na série foi o penteado, mas nos livros as consequências podem ser um pouco mais drásticas conforme esmiucei a cima.

O próprio autor declarou que não gosta dessa ideia de personagens que morrem e retornam para o que eles eram antes de morrer e seus livros estão cheios de personagens que morreram e perderam parte de si: Beric Dondarrion, Cara Malhada, Catelyn Stark como a dura Coração de Pedra e muito provável a própria Melissandre, já que em seu capítulo ela revela que não dorme e nem sente fome, algo muito semelhante ao que acontece a Dondarrion e Lady Coração de Pedra.

Dos personagens citados, o único que não sabemos ao certo se tem alguma ligação com R’hollor é Cara Malhada, mas todos os demais possuem um grau de relação e foram revividos por ele, mas não sem um custo, afinal, o fogo consome. Dentre os personagens que perdeu parte de si ao serem revividos por magia, podemos citar até mesmo Victarion Greyjoy que após ter seu braço curado pelo sacerdote vermelho, Moqorro, tornou-se muito mais cruel em suas atitudes. E Drogo, que ao ser salvo da morte, voltou num estado vegetativo.  Ou até mesmo Daenerys, que do fogo que deu a vida aos seus dragões, deixou a menina insegura e improvável nas chamas e saiu dela montada no lema de sua casa, “fogo e sangue.”

Então uma coisa é certa, O Senhor da Luz (ou o fogo) devora parte de você. Dondarrion foi revivido 7 vezes e não se lembrava mais do que já tinha sido, até mesmo Melissandre demonstrou sinais de esquecimento sobre quem ela fora inicialmente. Claro que parece ser um processo gradativo,quanto mais você é revivido, mais você perde. Então o que podemos esperar do Jon nisso tudo?

Certamente que ele não será mais o mesmo, por muitos motivos, começando pela traição de seus amigos ou pelo trauma de saber que uma criança foi queimada para que ele voltasse a viver, caso isso aconteça mesmo.

E Jon pode não saber de nada, mais tem uns trunfos na manga. Um deles é que provavelmente ele wargou o Fantasma antes de receber a facada fatal.

As chamas crepitavam suavemente, e em seu crepitar ela ouviu uma voz sussurrando o nome de Jon Snow. Seu rosto comprido flutuou diante dela, delineado em chamas vermelhas e laranjas, aparecendo e desaparecendo novamente, meio escondido atrás de uma cortina esvoaçante.  Primeiro ele era um homem, depois um lobo, no fim um homem novamente. Mas as caveiras estavam ali também, as caveiras estavam todas ao redor dele. Melissandre vira o perigo que ele corria antes de tentar avisar o rapaz. Inimigos ao redor dele, adagas na escuridão. Ele não ouviria. (Melissandre; A Dança dos Dragões, pág 352)

Além de confirmar sua ressurreição, esse trecho significa que é muito provável que no inicio de Os Ventos de Inverno iremos ver Jon como um lobo através dos olhos de Fantasma, antes dele voltar a ser homem novamente.

Essa relação simbiótica com Fantasma servirá para que o personagem aceite o seu dom (que ele resiste e nega) e aprenda a usá-lo a seu favor. Isso talvez proteja o seu espirito enquanto o seu corpo morre ou é curado ou revivido por Melissandre, embora eu não acredite pois toda magia em As Crônicas vêm com um preço alto na embalagem.

Logo no prólogo de A Dança dos Dragões, aprendemos com Varamyr seis peles, que quanto mais tempo um troca peles vive dentro do corpo de um animal, mais animal e menos homem ele pode se tornar. O prólogo com Varamyr em si já foi uma pista do que aguardava Jon ao final de A Dança dos Dragões, já que ele parece mesmo ter saltado para Fantasma.

Ao longo de todo o quinto livros, vemos Jon negando sua natureza lupina, evitando escorregar para dentro de Fantasma, mesmo que a conexão entre lobo e homem estivesse mais forte do que nunca. Então a medida em que os capítulos avançavam,  assistimos a um Jon Snow imbuído em atos heroicos e consequentemente permitindo que seus valores pessoais prevalecessem sobre os interesses da Patrulha: Stannis, Monstro,  Alys Karstark, Durolar e por fim Arya. Jon não se permite ver os mais fracos padeceram sem se lançar em atos heroicos e por vezes insanos. E isto ao final custou a sua vida. E o inverno chegou.

Então será no mínimo muito interessante ver alguém com o coração de Jon, na pele de seu lobo gigante. Lobos protegem os mais fracos da matilha, mas também são excelentes caçadores e não hesitam em comerem carne humana se precisam sobreviver, conforme foi pontuado várias vezes pelo autor durante os livros. Assim em Os Ventos do Inverno, é bem provável que o nobre e heroico Jon Snow, assuma cores mais sombrias. E talvez de uma forma muito perigosa para todos, deposite mais fé em Melissandre e em suas profecias.

E se ele for realmente filho de Rhaegar, ele concentra sangue de dragões nas veias e sangue de dragão tem uma estreita relação com fogo, o elemento base do Senhor da Luz. Pessoalmente, caso a teoria R+L= J seja mesmo verdeira, eu quero muito acreditar que o sangue Targaryen, que é tão mágico e especial quanto o sangue Stark, faça algum sentido para o arco narrativo de Jon. Embora não se possa cravar, acho que seria um bom momento para esse lado do personagem – caso seja verdadeiro – despertar.

Ainda que seja o seu lado lupino, o mais aprimorado até o momento. O lado dragão pode emergir pelo menos, como exploração de um passado que o personagem precisará desvendar ou mesmo na forma de violência, que é algo que o personagem constantemente luta para suprimir em sua personalidade.

No fim, Halder e Cavalo tiveram de afastá-lo de Emmett de Ferro, cada um dos homens segurando um de seus braços. O patrulheiro estava sentado no chão, atordoado, com um escudo meio feito em lascas, a viseira do elmo torta, e a espada a seis metros de distância.

-Jon, basta – Halder estava gritando. – Ele caiu, você desarmou-o. Basta!

Não. Não basta. Nunca basta. Jon largou a espada.

-Desculpe – murmurou – Emmertt, está ferido?

– Houve alguma parte do rendo-me que não conseguiu entender, Lorde Snow? – Mas aquilo foi dito de forma amigável. Emmertt era uma homem amigável e adorava a canção das espadas. – Que o guerreiro me proteja – gemeu – , agora sei o que Qhorin Meia-Mão deve ter sentido. (A Tormenta de Espadas, Jon, p.812)

De qualquer forma teremos de esperar para ver o que exatamente Jon irá perder ou ganhar durante este processo que com certeza para o personagem, será muito doloroso e um divisor de águas para seu arco narrativo.

Quando ele voltar

Daqui em diante fica mais difícil fazer previsões. Existiam muitas possibilidades para o Jon naquele momento e muitas coisas dependiam dele também. Ao passo que o personagem deu vasão a suas aspirações moralistas e heroicas, ele foi de suma importância em estabelecer estratégias visionárias na luta contra Os Outros. Entendendo seu papel na Muralha, uma vez que ela é a única fronteira entre Os Outros e a humanidade.

Porém se ele morreu de fato, sua função para com a Muralha foi encerrada. Antes de morrer ele já estava decidido a deixar a Patrulha para enfrentar Ramsay Bolton e recuperar a garota que ele acreditava ser a Arya, então acredito que não será difícil para o personagem vestir a carapuça, como na série. Porém talvez, ele fique para liderar  pois é um dos poucos personagens em toda as crônicas que entende o real perigo.

A missão Durolar deve falhar miseravelmente conforme esteve fadada desde o inicio e Castelo Negro irá sangrar com o eminente conflito entre os selvagens, os homens da rainha e a Patrulha da Noite.

Além de tudo, conforme revelado em um dos capítulos de Theon em Os Ventos do Inverno, a falsa Arya Stark, que na verdade é Jayne Poole, esta sendo enviada por Stannis para Muralha e se Jon encontrá-la, vai descobrir toda a farsa dos Boltons e Lannisters.

E durante todo o quinto volume, vimos um crescente clima entre Jon e Val, então não seria surpresa, uma vez ele estando livre de seus votos, que ele enfim se permitisse envolver-se com a selvagem. Se ela sobreviver ao eminente massacre que deve cair sobre Castelo Negro.

É muito difícil prever o caminho de Jon após sua ressurreição, ele pode até mesmo levantar-se como o Azor Ahai de Melissandre. Então é muito difícil até especular o que poderá acontecer.

Mas de alguma forma, acredito que Jon finalmente voltará a Winterfell ainda neste livro e talvez teremos algo parecido com A Batalha dos Bastardos, entre ele e Ramsay Bolton e se o Theon não fugir com sua irmã, Asha Greyjoy, talvez teremos um reencontro entre Jon e Theon e a revelação de que na verdade, Theon não matou Bran e Rickon Stark. Porém acredito que Jon descubra isso por contra própria, quando estiver em Fantasma, pois os lobos são intrinsecamente ligados a matilha.

As criptas de Winterfell

Ainda no primeiro livro, O Jogo dos Tronos, tanto Bran quanto Rickon Stark têm um sonho com Ned, um pouco antes deste morrer em Porto Real. No sonho, Ned pedia que os filhos o esperasse nas criptas de Winterfell e Bran quando fala sobre o sonho, diz que Ned queria falar com ele sobre Jon.

Em capítulos de Jon (em A Guerra dos Tronos e A Tormenta de Espadas) é mencionado que ele também sonha com as criptas, mas em seus sonhos, era como se elas chamassem por ele. Vamos lembrar que a Lyanna, sua suposta mãe, e está enterrada nas criptas de Winterfell e curiosamente é a única mulher entre os tantos reis e protetores do Norte.

– O castelo sempre está vazio – nunca falara a ninguém sobre aquele sonho, e não compreendia por que o contava agora a Sam, mas de algum modo sentia-se bem falando dele. – Até os corvos desaparecem da colônia, e as cavalariças estão cheias de ossos. Isso sempre me assusta. Então começo a correr, abrir as portas com violência, subir os degraus da torre três de cada vez, gritando por alguém, por quem quer que seja. Então dou por mim em frente à porta para as criptas. Lá dentro tudo está negro, e vejo os degraus que descem em espiral. Sem saber como, sei que tenho de descer, mas não quero fazê-lo. Tenho medo do que pode haver lá a minha espera. […] Grito que não sou um Stark, que aquele não é o meu lugar, mas não serve de nada, tenho de ir, seja como for, e portanto começo a descer, tateando as paredes, enquanto vou avançando, sem uma tocha para iluminar meu caminho. Fica cada vez mais escuro, até que me dá vontade de gritar – parou, de cenho franzido, embaraçado – E é então que eu acordo. (Jon, A Guerra dos Tronos, pp.191-192)

Então será que o grande segredo, de sua maternidade e paternidade estão enterrados junto com Lyanna e este segredo está por trás dos misteriosos sonhos de Jon, que conforme eu já expliquei podem ser considerados proféticos?Há teorias nesse sentido que inclusive defendem que a harpa prateada de Rhaegar – que desapareceu da história – esteja enterrada junto com a Lyanna Stark.

Resultado de imagem para as criptas de winterfell

Uma descoberta nesse sentido pode levar Jon ainda a outro personagem misterioso, que na verdade nunca apareceu: Howland Reed. O único homem vivo que sabe o que aconteceu na Torre da Alegria.

Então como no décimo episódio da sexta temporada de Game of Thrones, que ganhou justamente o nome de Os Ventos do Inverno, talvez finalmente o mistério em torno da maternidade de Jon Snow sejam enfim revelados e todo esse livro seja para o personagem um momento de reencontro consigo mesmo, tal como A Dança dos Dragões foi para Daenerys Targaryen.

Fora que se Jon aceitar finalmente suas habilidades mágicas, isso pode criar um ponte mais firme entre ele e Bran que conforme vimos em A Dança dos Dragões, tentou diversas vezes comunicar-se com ele. E ao contrário de Jon, Bran sabe mais hehehe.

A Grande Conspiração do Norte

E como também vimos durante a sexta temporada, Jon foi elevado pelos lordes do Norte, ao status de Rei do Norte. Isso nos livros não é impossível, apenas um pouco mais improvável de acontecer.

Mas vocês já ouviram falar na teoria chamada A Grande Conspiração do Norte?

Segundo esta teoria, Robb Stark teria deixado um testamento tornando Jon Snow seu verdadeiro herdeiro, já que o Jovem Lobo partiu para As Gêmeas com pretensões de reconquistar o Norte perdido para os homens de ferro, acreditando que sua esposa não estava grávida. E temendo a morte, ele pensa em deixar um herdeiro.

Com Sansa casada com Tyrion Lannister e acreditando também que os seus irmãos, Bran, Rickon e Arya, estariam mortos, Robb expressa essa vontade a Catelyn Stark, que é contra a ideia, claro. Mas o rei do norte resiste aos argumentos da mãe e no final faz com que seus lordes sejam testemunhas de seu testamento.

– Mais uma coisa. Lorde Bolton deixou o caos atrás de si, esperamos nós. Eu não farei o mesmo. Mas ainda não tenho um filho, meus irmãos Bran e Rickon estão mortos e minha irmã encontrasse casada com um Lannister. Refleti longa e duramente sobre quem poderá me suceder.  Ordeno-lhes agora, como meus senhores legítimos e leais, que coloquem seus selos neste documento como testemunha de minha decisão. (A Tormenta de Espadas, Catelyn, p. 482)

Logo depois disso Robb chegou as Gêmeas e morreu no fatídico Casamento Vermelho e ninguém nunca mais falou no testamento do Rei do Norte, que como rei, podia legitimar Jon e era esta a sua pretensão.Contudo, ninguém sabe qual o verdadeiro conteúdo de seu testamento.

Algumas evidencias no entanto, apontam que algumas casas do Norte estão por dentro ou pelo menos cientes da existência deste testamento e o motivo para que ele se mantivesse em segredo seria justamente as consequências do Casamento Vermelho. O Norte entrou num vácuo de poder e os Boltons e Lannisters controlam Winterfell com relação direta com o Trono de Ferro.

Revelar o testamento significaria colocar a vida de Jon em perigo, já que como um juramentado da Patrulha da Noite, ele não pode ter terras e muito menos coroa e com a relação Boltons/Lannisters/Trono de Ferro, seria fácil condená-lo por perjúrio. Então de acordo com a teoria, as  grandes Casas do Norte estariam apenas esperando para agir no momento mais oportuno para fazer um acordo com a patrulha para que Jon seja liberado de seus votos. Se você pensar que é sempre dito nos livros que a Patrulha da Noite não é mais a mesma, não seria absurdo pensar que ela trocaria um de seus homens se lhe fosse oferecido apoio das Casas do Norte, além de recursos humanos e materiais. Ainda mais se este homem fosse usado para recuperar Winterfell cujo Starks sempre tiveram uma estreita relação com a Patrulha da Noite.

Cada uma das Grandes Casas do Norte perdeu pelo menos um parente no Casamento Vermelho e sempre que o fatídico acontecimento é mencionado, alguém sempre repete: O Norte se lembra.

Em a Dança dos Dragões, ao exigir a obediência dos Mormonts da Ilha dos Ursos, Stannis recebe o seguinte como resposta da pequena Lyanna Mormont: A Ilha dos Ursos não reconhece nenhum rei que não o Rei do Norte, cujo nome é Stark.

-Maege Mormont havia seguido para o Sul com Robb, Jon sabia. Sua filha mais nova também havia se juntado as tropas do Jovem Lobo. Mesmo se as duas estivessem mortas, a Senhora Maege tinha deixado pelo menos uma de suas filhas mais velhas como castelã. Ele não entendia porque Lyanna havia escrito para Stannis que não podia ajudar, mas se perguntava se a resposta da garota seria diferente caso a carta tivesse sido selada com um lobo gigante em vez de um veado coroado e assinalado por Jon Stark, Senhor de Winterfell. (Stannis ofereceu Winterfell para ele). É tarde demais para essas dúvidas. Você fez suas escolhas. (Jon I, A Dança dos Dragões, pág: 52)

Na verdade, a filha mais velha da senhora Maege, Dacey, foi morta durante o Casamento Vermelho enquanto ela escapou pois Robb havia a enviado com Galbart Glover até Guardamar para que navegasse junto ao Lorde Jason Mallister a procura de Atalaia da Água Cinzenta, com mensagens aos cranogmanos, a Howland Reed – olhe ele aí de novo!

Até o último livro, o paradeiro de Maege Mormont era ainda desconhecido, mas se existe uma pessoa que sabe sobre as intenções de Robb, é a irmã de Jeor Mormont, o velho Senhor Comandante da Patrulha da Noite.

Quando Jaime Lannister chegou a Correrrio, em O Festim dos Corvos, para tomar a sede da Casa Tully das mãos de Brynden Tully, o estandarte da Casa Stark ainda estava hasteado e em posição de destaque. Quando Peixe Negro decide conversar com Jaime, este sugere que ele vista o negro e deixe Correrrio.

-Permitirei que vista o negro. O bastardo de Ned Stark é o Senhor Comandante na Muralha.

Peixe Negro estreitou os olhos.

-Terá seu pai também organizado isso?Catelyn nunca confiou no rapaz se bem me lembro, assim como nunca confiou em Theon Greyjoy. Parece que tinha razão a respeito de ambos. (Jaime, O Festim dos Corvos, pág: 483)

Apesar de plausível, é meio estranho essa fala de Brynden a Jaime simplesmente por ser de conhecimento geral de que QUALQUER um na Patrulha da Noite pode ascender ao cargo de Lorde Comandante!Até mesmo um bastardo como Jon Snow.

E no mesmo diálogo, Peixe Negro sugere a Jaime que o reino do Norte não morreu com Robb Stark.

-Eu teria matado Robb Stark no Bosque dos Murmúrios se tivesse conseguido chegar a ele. Houve uns tolos que se puseram em meu caminho. Importa o modo como o rapaz pereceu?Não está menos morto, e seu reino morreu com ele.

-Além de mutilado deve ser cego. Erga os olhos e verá que o lobo gigante ainda voa sobre nossas muralhas. (Jaime, O Festim dos Corvos, pág 483)

Depois quando Edmund Tully é liberto por Jaime para render o castelo, seu tio escapa misteriosamente e Edmund é um das pessoas que provavelmente sabe sobre a existência do testamento de Robb Stark.

Então por que o lobo gigante dos Starks ainda voava sobre Correrrio?Por que Brynden Tully dá a entender que o reino do Norte ainda vive?

Bem, como toda teoria que se preze, está tem um ponto fraco e ele se chama Rickon Stark.

No último capítulo de Davos em A Dança dos Dragões, descobrimos que um dos Lordes mais poderoso do Norte, Wyman Manderly, descobriu por meio de um escudeiro de Theon Greyjoy que sobreviveu a destruição de Winterfell, que Bran e Rickon na verdade estavam bem vivos, sendo que a localização de Rickon era conhecida e assim em troca de sua vida, Manderly incube a Davos a missão de trazer de volta seu suserano em troca de sua lealdade ao rei Stannis.

Mas vale dizer que tal informação pelo menos aparentemente parece ser de conhecimento apenas de Manderly que confessa ser vigiado constantemente pelos Freys e de que havia jurado obediência aos Lannisters e aos Boltons, pois os Lannisters tinham seu herdeiro, Wylis Manderly como prisioneiro. Além de Correrrio ter estado sob cerco, dos Freys e dos Lannisters, o que dificultaria muito uma comunicação entre Manderly e Brynden Tully.

Depois os Freys chegaram com os ossos de Wendel (seu filho morto no Casamento Vermelho)…para fazer a paz e selá-la com um pacto de casamento, alegaram, mas eu não estava disposto a dar o que queriam até que tivesse Wylis, salvo e inteiro, e eles não queriam me dar até que eu provasse a minha lealdade. Sua chegada me deu os meios de fazer isso (Davos)… (A Dança dos Dragões; Davos; pág 336)

Então será que mais casas no norte sabem sobre o pequeno Rickon Stark ou estamos vendo na verdade dois movimentos simultâneos de retomada do Norte por parte dos nortenhos e dos Tullys?

Existe um grande preconceito, sobretudo no Norte, quanto aos bastardos, mas se Jon tiver sido legitimado isso resolveria em parte o problema…E faria todo sentido o Manderly não saber sobre o testamento, já que aparentemente havia se ajoelhado para o Trono de Ferro. Da mesma forma que faz sentido pensar que talvez pelos menos por enquanto, apenas Manderly e seus poucos homens de confiança tenham conhecimento sobre Bran e Rickon, já que até a chegada de Davos em Porto Branco, ele mesmo admite que era tão refém dos Lannisters e Freys quanto seu filho.

Ainda há a possibilidade de Jeyne Westerling, esposa de Robb Stark, ter sido deixada esperando um bebê, o que explicaria a certeza de Brynden na continuação do Reino do Norte, mas não explicaria o estandarte hasteado, já que isso literalmente seria dar bandeira, o que poderia levantar a suspeitar dos inimigos da casa Tully e Stark, e uma tentativa de pretensão de maior conclusão pelas casas rivais. E quando Jeyne finalmente aparece em O Festim dos Corvos, nenhum sinal de gravidez é mencionado.

Mas se o nome de Jon Snow está neste testamento, talvez finalmente seja revelado em Os Ventos do Inverno e eu acredito que Winterfell será um tema importante na trajetória de Jon durante todo o sexto livro.

Jon sempre desejou Winterfell e no fundo sempre se ressentiu de Rob por ele ter herdado o Castelo de Ned Stark. Winterfell sempre foi uma coisa que Jon desejou profundamente e acredito que em O Vento dos Invernos, ele o terá e não irá mais se importar em admitir isso abertamente. Ele terá sido quebrado. Seu senso de honra deturpado pelo seu assassinato. Ele não mais se importará em suprimir os seus desejos mais profundos.

No trecho a seguir, é reveladora a maneira com a qual Martin relaciona a fome de Jon por Winterfell, a fome de Fantasma por carne e sangue quente.

Jon compreendeu então que deseja aquilo. Desejava-o tanto como jamais tinha desejado alguma coisa. Sempre o desejei, pensou, sentindo-se culpado. Que os deuses me perdoem. Era uma fome que trazia dentro de si, afiada como uma lâmina de vidro de dragão. Uma fome… conseguia senti-la. Era de comida que necessitava, de presas, de um veado vermelho que fedesse a medo ou um grande alce, orgulhoso e desafiador. Desejava matar e encher a barriga de carne fresca e sangue quente e escuro. Sua boca começou a se encher de saliva ao pensar nisso.

Passou-se um longo momento até compreender o que estava acontecendo. Quando isso aconteceu, pôs-se em pé de um salto.

Fantasma? (A Tormenta de Espadas, Jon, p.814)

Ficar na pele de Fantasma irá sem dúvida transformar Jon. Ele desejará Winterfell e muito provavelmente irá consegui-lo. Isso poderá colocá-lo conflito direto com Stannis ou mesmo Wyman Manderly e seu plano de fazer de Rickon, o Senhor de Winterfell… com a diferença que agora Jon não estará mais tão apegado aos códigos honrosos de Ned, podendo reagir contra as oposições feitas a ele de forma muito mais violenta, sem hesitação ou traço de remorso. Na melhor das hipóteses, manchando as mãos de sangue para salvar seus irmãos, na pior, manchando as mãos de sangue numa luta contra Sansa e Rickon pelo direito a Winterfell, materializando assim os medos mais profundos de Cat Stark.

E talvez, caso enfim Jon se torne Rei do Norte ou mesmo Senhor de Winterfell, seu melhor momento de glória seja cruelmente e ironicamente frustrado por outro desejo que ele sempre ansiou… a verdadeira identidade de sua mãe e consequentemente de seu pai.. revelando que ao invés de filho bastardo de Ned Stark,  ele é na verdade um bastardo de Rhaegar Targaryen, o Príncipe de Pedra do Dragão. Ou mesmo o legítimo rei dos Sete Reinos. De qualquer forma, ambos os desejos são paradoxos na vida de Jon, e  irão colidir muito provavelmente neste sexto volume, podendo golpeá-lo de forma profundamente perturbadora dependendo do caminho seguido por ele em Os Ventos do Inverno.

O berrante de Joramun

Jon Snow passou 3 livros repetindo como um mantra para si mesmo que o “Berrante de Joramun pode despertar os gigantes da terra.”

Será então que finalmente vamos entender o que significa?

E será que o verdadeiro berrante de Joramun, que os selvagens acreditam que pode derrubar até mesmo a imponente Muralha de Gelo, é o chifre quebrado que Jon encontrou enterrado no Punho dos Primeiros Homens com pontas e lascas de vidro de dragão e o manto aparentemente novo da Patrulha da Noite e agora está sob a posse de Samwell Tarly em Vila Velha?Será que é este o berrante que na verdade pode despertar o dragão de pedra em seu sentido mais literal?

Tudo o que sei é que no final de Os ventos do inverno, a Muralha irá cair.

Benjen Stark

Desaparecido em uma patrulha desde o primeiro volume, A Guerra dos Tronos, muitos personagens acreditam que Benjen Stark está morto, mas nos livros seguintes, Martin sempre fez questão de lembrar aos seus leitores da existência de tio Benjen.

Isso significa que Benjen Stark na verdade está bem vivo por aí, talvez descobrindo coisas que ajude na luta contra Os Outros ou pelo menos a entender o que eles querem e  o que são.

Então se Benjen finalmente der seu ar da graça neste sexto volume, ele pode ser muito útil para organizar a  desordem que muito provavelmente se instaurará na Patrulha da Noite enquanto Jon estiver morto, ele era até mesmo um dos nomes cotados para substituir o Velho Urso no comando, quando este morreu. Ele pode se tornar um líder caso Jon embarque numa jornada que o levará de encontro a identidade de sua mãe.

E Bejen pode ser um personagem mais importante para Jon do que parece, já que ele pode saber a verdade sobre a sua maternidade. Era Benjen que administrava Winterfell quando Lyanna teria fugido com Rhaegar, então talvez a verdade esteja mais próxima de Jon do que imaginamos, o que explicaria também porque entre tantos sobrinhos, Jon nitidamente é o favorito de Benjen, quase que como um filho pra ele. Talvez ele sinta remorso por ter deixado a irmã partir ou por não ter sido forte o suficiente para impedir que ela fosse “sequestrada”. De qualquer forma, ambas as versões terminam com a trágica morte de Lyanna e Ned retornando a Winterfell com um bebê cujo identidade da mãe é desconhecida.

Então já pensou se este personagem tão intrigante retorna justamente nesse momento tão crucial na vida de Jon?

Bom gente, é isso. Espero que tenham gostado!É um pouco difícil pensar no papel que Jon vai desempenhar ao longo desse tão aguardado volume, então só nos resta fazer especulações com base nas possibilidades apresentadas em volumes anteriores.

Então talvez neste sexto volume, finalmente veremos Jon descobrindo o inimaginável para o personagem: A verdade sobre si mesmo.

Talvez todos os segredos que cercam o personagem, ou parte deles, se desvelem, e quem sabe veremos finalmente uma aparição do misterioso Howland Reed e um retorno de Benjen Stark.

Seria maravilhoso se Jon e Daenerys já se encontrassem em The Wind of Winter, mas se eu tivesse que chutar, diria que isso ainda não irá acontecer. Ainda existirá meio mundo entre os dois e muitas pessoas que eles precisaram encontrar. No mínimo um ou outro se colocará a caminho do outro no final de tudo.

 


 

Anúncios

2 pensamentos sobre “[Especial] O que esperar de “Os Ventos do Inverno” (part I) : Jon Snow

  1. Pingback: [Analisando Livros] Jon e Daenerys: paralelos e simbolismos escondidos! | No Meu Mundo

  2. Pingback: [Especial] O que esperar de Os Ventos do Inverno (part II): Daenerys Targaryen | No Meu Mundo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s