Star Wars Episódio VIII – Pontos Importantes (POSSUI SPOILLER)

Bom, como o título deixa claro, irei aqui me remeter a quem já assistiu ao filme, então o texto a seguir irá conter os temidos SPOILERS… Contudo me suscitou a vontade de escrevê-lo mesmo assim, pois há pontos relevantes a serem comentados, registrados e refletidos na citada produção. Primeiramente sabe-se que o diretor e roteirista Rian Johnson pretendia que o filme se chamasse The Last Jedi/O ÚLTIMO JEDI, e a nossa tradução no plural já pode desfazer um pouco o sentido pretendido com o título original, pois uma das primeiras coisas a serem comentadas é a tentativa de se negar a visão romântica dos Jedi – ao menos num patamar de se considera-Los quase divinos como pode-se notar em outras partes da série – algo que se nota através da maneira como o próprio Luke fala deles, ressaltando seu legado de falhas e pelo que o filme mostra acerca dos erros do próprio Skywalker, que ao tentar matar o sobrinho acabou por ajudar que seu ódio aflorasse criando assim um poderoso Sith.

Sabemos bem que tais falhas de fato não são novidade na história pregressa da religião Jedi, mas reflito aqui sobre o modo como em episódio VIII elas são assumidas sem rodeios ou tentativas de se destacar que “um Jedi jamais sucumbiria a tais tentações”. Até Yoda quando faz sua aparição espectral para Luke cita a falha como “a melhor das professoras”, e considero que o ato de queimar ele mesmo os tais antigos livros dos Jedi, questionando inclusive se seu conteúdo seria ou não interessante, seria mais um sinal visível desta mudança de como os Jedi eram vistos até então.

Vale ressaltar como fica evidente a intenção de “se abandonar velhos padrões na saga” – algo para o qual um dos grandes sinais foi a morte de Han Solo no já no episódio VII. Em The Last Jedi esta ideia é constantemente reforçada por outros elementos tanto verbais quanto visuais, tais como: Luke jogando fora o sabre de luz e dizendo que os Jedi não podem retornar, Kylo Hen despedaçando seu capacete que era uma tentativa gritante de torná-lo uma nova imagem do seu ilustre avô, e isto logo após Snoke dizer com todas as letras palavras que certamente já estavam se passando na mente de vários seguidores mais antigos de Star Wars: que “havia se enganado ao ver Kylo Hen como um substituto a Darth Vader, pois o neto era apenas uma criança de máscara” – algo que devo dizer que concordo, até porque ao destituir Hen da responsabilidade de ser “um novo Vader” se dá uma liberdade maior para que o personagem desenvolva melhor sua própria identidade.

E acerca desta identidade vale também ressalvar o fato de que vemos Kylo Hen evoluir de um neto que de fato queria ser como o avô e chegava ao ponto de se aconselhar com a máscara do mesmo no episódio VII, para um Sith com suas próprias ambições que com todas as letras diz a Rey para juntar-se à ele no comando de uma nova Primeira Ordem e literalmente “abandonar os Sith, os Jedi, a Resistência e tudo que for antigo”, ao enganar e matar seu líder supremo – numa cena brilhante ao meu ver, e que arrancou aplausos por toda a sala de cinema durante a morte de Snoke como é relevante destacar, mas na qual pude ver dois fãs já grisalhos ao meu lado se levantarem e deixarem o as poltronas ao se desenvolver para o discurso de Kylo Hen sobre a possibilidade de abandono total do passado.

Um detalhe importante é que o citado sith ambicioso e autocondecorado novo líder supremo nos trás o que outros sites estão acreditando ser a revelação das origens de Rey, a qual a afasta definitivamente da árvore genealógica dos Skywalker, à despeito da forma como comprovadamente a Força se manifesta nela…Entretanto pela maneira como isto é dito e colocado eu ainda possuo minhas dúvidas de que no episódio IX ainda não reste algo mais a ser descoberto acerca disto.

Para não me estender muito tenho que dizer também que o destaque aos “heroínas e heróis anônimas e anônimos” da resistência foi um ponto de destaque à parte… Com destaque ainda para a postura da sucessora de Leia, Almirante Holdo, (que talvez a produção deixasse sobreviver se pudesse prever o que aconteceria à Fisher na vida real. Aliás, Holdo deveria ter sobrevivido independentemente disto!) e ao discurso tanto dela quando da própria General de que “preservar a esperança juntamente com a vida dos próprios membros da Resistência era mais importante do que se criar líderes heróis”. Destaque para quando Paul e Rose entendem esta ideologia já quase ao final do filme e a corajosa e simpática personagem oriental afirma que “não venceremos apenas destruindo quem odiamos, mas protegendo quem amamos”.

Ainda sobre Holdo e Leia, Rian Johnson também revelou que muitas das cenas entre elas foram escritas ou reescritas por suas respectivas atrizes, como cita a reportagem do site Omelete, o que reforça ainda mais a minha afirmação de que a personagem de Laura Dern deveria SIM se tornar a sucessora oficial da General Leia, e o que me deixa no mínimo curiosa para saber qual será o andamento da participação da nossa ilustre General no episódio IX, uma vez que não contamos mais com a presença da saudosa Carrie Fisher… Não tendo ainda pesquisado a respeito dos planos para isto, passa pela cabeça se repetirão o que fizeram na cena final de Rogue One… Fica o meu questionamento.

Quantos aos tradicionais droides da saga, com exceção das peripécias de BB-8 – que nos relevou também seu lado ladino – e a aparição de um “BB-8 versão darkside”, não houve no filme muito destaque a outros. Mas não posso encerrar este texto também sem ressaltar que na única cena em que o querido R2-D2 possui destaque ele convence Luke à treinar Rey mostrando um holograma antigo utilizado no episódio IV, de quando Leia pedia ajuda à Kenobi… E isto me deu certo nó na garganta, aquele “suor pelos olhos”… O próprio Skywalker expressou bem a impressão do telespectador ao responder que “o dróide apelou”. No mais eu teria a citar as partes do cassino, com as brilhantes observações de Rose acerca de todo aquele lugar quando Finn fica maravilhado com o mesmo…Mas não pretendo me estender em demasia.

Aliás, sobre o Finn vemos que a produção definitivamente define seu lugar como coadjuvante ao lado de Rose, muito bem introduzida neste episódio. O modo como Rose influencia os pequenos escravos ao deixar-lhes o anel e as atitudes da Resistência também foi um ponto alto na minha opinião. E a libertação das criaturas semelhantes a cavalos, maltratadas e usadas em corridas, pode ser vista como uma referência magnífica aos direitos dos animais. Na minha opinião ainda teremos muitas notícias da corajosa Rose no próximo episódio.

A beleza poética na morte de Luke ao vislumbrarmos com ele seu último pôr do sol, tendo a impressão clara de que poderia aquilo representar o crepúsculo DOS PRÓPRIOS JEDI em si – ao menos como os conhecemos – também merece aqui meu registro. E, por fim, considerando todas as cenas e acontecimentos que se desenrolaram até a finalização do longa metragem, o modo como o filme se encerra na alternância de locações aonde vamos primeiro Rey que segura um sabre quebrado e questiona Leia acerca de com o que prosseguir para continuar mantendo a chama da esperança, para logo em seguida vermos aquelas mesmas crianças escravas que conheceram Rose e Finn contando histórias dos Jedi apesar da repressão de seu senhor, e ao fim o garoto erguendo a vassoura imaginando como se segurasse um sabre, respondeu bem o questionamento acerca da esperança… e me arrepiou – e ainda arrepia agora, ao relembrar e escrever.

Deixo por último algumas citações de frases que consegui anotar na sala do cinema, e gostaria de compartilhar:

“A esperança é como o sol, se você só acredita quando vê, não sobrevive à noite… ”
(General Leia e Almirante Holdo )

“Ninguém nunca se vai de todo…”
(Luke Skywalker)

“O legado dos Jedi é a falha…”
(Luke Skywalker)

“Falha acima de tudo! A verdadeira professora a falha é…”
(Yoda)

“Ela se importava mais em proteger a luz do que parecer uma heroína.”
(General Leia)

“Somos a faísca que acenderá a chama que destruirá a Primeira Ordem.”
(General Leia)

Matéria escrita por Nanda Scarllett

Anúncios

4 pensamentos sobre “Star Wars Episódio VIII – Pontos Importantes (POSSUI SPOILLER)

  1. Nossa, jah tem hater querendo avacalhar! E depois eles mesmos dizem que o Kyle Hen faz mimimi…
    Achei o filme maravilhoso! Concordo com cada palavra do site e to ansiosa pelo ep IX!

    Gostar

  2. Concordo com André! Até Chewie virou vegano agora! Que bosta foi aquela…?
    Todos os chefes agora sao mulheres… Pra que isso? Manifesto feminista?
    PC ta matando as grandes sagas! SW nao eh mais como antigamente!

    Gostar

    • Gente, as coisas EVOLUEM! EVOLUAM COM ELAS! E sinceramente jah sou fã da saga há seculos e nao achei que nada do que foi feito tenha atrapalhado a mesma ou traído suas origens!
      E vc diz nao ser como antigamente? Como antigamente tipo aquele especial de natal RIDÍCULO da decada de 70? Com uma suposta “fêmea do Chewbaca” de avental, um roteiro fraco e monótono onde ninguém entendia nada? Era isso que era SW p vc? Me poupe!
      Quem se incomoda tanto com as mulheres generais, almitantes, capitãs, jedis e etc, eh hater babaca que quer continuar vivendo no seculo passado!
      A disney está de parabéns e o site tbm, pelo artigo!

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s