Análise – Mãe (Contém Spoilers)

Mãe

Um casal tem o relacionamento testado quando pessoas não convidadas surgem em sua residência acabando com a tranquilidade reinante.

ANTES DE COMEÇAR A LER UM AVISO, A PARTIR DAQUI TEREMOS SPOILERS DO FILME, CASO NÃO QUEIRA SABER DE SPOILER MAS QUEIRA CONHECER O FILME ANTES DE VÊ-LO, VEJA NOSSA CRÍTICA DO FILME AQUI

 

Como disse ontem na crítica do filme, eu fui à cabine como uma verdadeira tela em branco, tinha visto apenas o trailer do filme e por algum motivo acreditava que se tratava de uma sociedade secreta, algo de magia negra, coisas desse tipo, por isso demorei para entender do que o filme se tratava, só quando descobri que o diretor era o Darren Aronofsky é que eu percebi que entender o filme não seria uma missão tão fácil, já que o Darren é conhecido por fazer filmes conceituais, alegóricos dos quais você precisa passar por uma grande reflexão após o filme e com “Mãe” não seria diferente.

Então vamos lá, basicamente o que eu entendi do filme, que não quer dizer exatamente que seja a verdade, pode ser que talvez você quando veja pense diferente de mim, tenha uma outra visão.

Então vou falar usando o nome dos atores, pois durante o filme inteiro não é dito o nome dos personagens, quando fui procurar o casting, vi que os personagens não tem nomes também, são chamados de ele, mãe, etc. Então acho que fica mais fácil eu falar pelos atores.

Ah!!! Irei primeiro transcrever o filme, as partes mais importantes na minha opinião para depois explicar o que cada parte significa, então se você já viu o filme, ou simplesmente quiser pular essa parte é só procurar nossa próxima marcação em vermelho escrito DESVENDANDO O FILME para pular direto a explicação das cenas.

O filme começa com uma mulher cheia de sangue, gritando e então passa para Javier pegando uma espécie de escultura de vidro e coloca sobre um suporte, quando ele faz isso automaticamente o local que ele está que parece que foi perdido com fogo começa a mudar totalmente, virando algo totalmente novo, as paredes voltam ao normal, teto, decoração… Quando eu vi aquilo pensei “Opa, que escultura é essa? Preciso de um poder assim para arrumar o meu quarto” e então esse poder que seria o sonho de toda dona de casa se transforma no sonho de boa parte da população masculino, pois a casa se reconstrói toda até o quarto onde surge uma mulher dormindo na cama, que é ninguém menos que Jennifer Lawrence (JLaw) e sim, isso é importante para a historia, juro que não comentei a toa.

No decorrer da historia começamos a entender os personagens (ou achar que entendemos) a JLaw e o Javier são casados, moram naquela casa afastada de todos, Javier é um poeta de sucesso que teve sua casa consumida pelo fogo e tudo o que sobrou da casa foi a escultura de vidro na qual ele guarda em seu escritório e não deixa ninguém tocar.

Após encontrar a escultura ele conheceu a JLaw e ela o ajudou a se levantar, ela trabalhou na casa, arrumando cada pedaço daquela casa que havia sido consumida pelas chamas e que ainda não está finalizada. Ela é extremamente apaixonada por ele, o ama de corpo e alma e tem algum problema que parece ser síndrome do pânico.

Os dois vivem sozinhos naquela casa e não costumam receber visitas, até que tarde da noite a campainha toca e um homem (Ed Harris) aparece, ele se diz médico, um cirurgião ortopédico que começou a trabalhar em um hospital próximo e que pensou que ali era uma casa de hospedagem, JLaw fica receosa de manter o cara lá, pois ele é um estranho, mas Javier oferece um quarto para o homem ficar e rapidamente faz amizade com ele.

Durante a noite eles descobrem que o homem está muito doente e de manhã Javier e JLaw descobrem que na verdade o homem é um fã dos poemas de Javier, ele realmente está morrendo e queria conhecer o Javier antes de morrer. Antes que possam colocar o homem para fora, a esposa do cara, interpretada por Michelle Pfeiffer, chega e apesar do pequeno conflito inicial Michelle e Ed acabam ficando na casa. Ed inclusive se torna um grande amigo de Javier que fica maravilhado por conhecer um fã.

JLaw tem certos problemas com Michelle, principalmente quando ela tenta entrar mais de uma vez no escritório de Javier mesmo com JLaw dizendo que ele não gosta que ninguém entre lá.

Acontece que Javier tinha mostrado ao Ed a escultura e explicado para ele a historia dessa escultura, deixando claro que a escultura era bem frágil e talvez por insistência da mulher Ed leva Michelle até o escritório e sem que Javier e JLaw perceba eles acabam tocando na escultura e a deixando cair, fazendo com que ela se despedace totalmente. Aquilo causou uma fúria em Javier que manda eles saírem do escritório, expulsando até JLaw de lá.

JLaw tenta expulsar os dois da casa, mas ao entrar no quarto que eles estão ela os flagra fazendo sexo, ela sai e vê Javier fechando a porta do escritório e martelando tábuas nela, dizendo que eles não vão mais entrar ali.

E eu sei que nessa hora sua cabeça deve estar bugando com tanta informação que parece desnecessária, mas calma, você entenderá que todos esses detalhes são importantes para a historia.

JLaw tenta expulsar novamente o casal da casa, mas a campainha toca e agora Brian Gleeson aparece, ele interpreta o filho mais novo do casal que vem falando sobre o testamento que o pai escreveu e que o irmão mais velho está bolado ao descobrir o testamento.

Domhnall Gleeson aparece então na casa cheio de raiva falando que foi traído pelo pai, que eles estavam querendo prejudica-lo. Armando o drama, pois ao que deu para entender o testamento falava que o destino de tudo o que Ed tinha, antes de ser usado teria que ter a maioria dos votos para ser gasto, ou seja, voto da mãe (Michelle) e dos dois filhos (Domhnall e Brian) e Domhnall acreditava que a mãe gostava mais de Brian e isso iria prejudica-lo.

Então Michelle, Ed, Brian e Domhnall começam a brigar, JLaw tenta separar e Javier também tenta mas nessa confusão Domhnall acaba matando Brian e foge desesperado. Javier leva Brian (que ainda estava com vida) para o hospital junto com Michelle e Ed, mas o garoto não sobrevive.

JLaw fica em casa sozinha e o problema que ela tem é relacionado à se sentir abandonada, pois ela fica meio paranoica em casa, ela tenta limpar a mancha de sangue de Brian, mas acaba que uma parte da mancha não sai. Na verdade a parte que está com a mancha acaba tendo um buraco pequeno (tipo madeira podre) e que esse buraco dá para uma parte do porão que tem uma parede falsa que dá para uma especie de túnel.

Javier volta para casa arrasado com a morte de Brian e dizendo que a policia está atrás de Domhnall que foi visto na floresta/bosque que tem ao redor da casa, eles acabam indo dormir.

Na mesma noite Ed e Michelle voltam para a casa, JLaw não entende a presença deles até que Javier explica que os convidou para comemorar a vida do filho (o velório mas com nome mais bonitinho) e receber os amigos e parentes. Acontece que essa galera que aparece na casa é bem entrona e acaba exagerando na boa vontade, depois de uma crise de fúria de JLaw eles acabam saindo da casa. Javier tenta contornar as coisas mas JLaw tá boladona com ele e fala que tem arrumar as coisas do apocalipse que acabou de acontecer na casa deles.

Os dois discutem pois Javier havia comentado sobre querer ter um filho mas nunca tentou fazer um filho com a JLaw, ele entende o recado e como entre o amor e o ódio existe uma linha bem tênue eles acabam transando, quando JLaw acorda ela está grávida. Sim ela diz que está grávida e sabe disso, ele fica mega feliz e então a inspiração parece voltar.

Javier estava sem escrever desde que sua casa havia pego fogo, ele então começa a escrever um grande poema com a questão de morte do Brian, o luto de Ed e Michelle e a gravidez de JLaw. Um poema que fala de amor, vida, morte… Não ficamos sabendo do poema, mas isso é o que JLaw fala do mesmo.

Ah!!! Observação, quando Javier termina o poema JLaw está com um grande barrigão em um estágio avançado da gravidez e assim que ela termina de falar as próprias considerações sobre o poema o telefone da casa toca, é a editora do Javier (que eu vou chamar de editora pois eu esqueci quem é a atriz) que fala que o poema é lindo, maravilhoso, que ficou tocada com ele e que logo será publicado.

Chega então a publicação do poema, todos os livros se esgotam no lançamento, JLaw resolve fazer um jantar para comemorar o sucesso, o filho deles está para nascer. Fãs do Javier começam a aparecer ao redor da casa o que logo deixa JLaw pertubada. Javier resolve atender os fãs do lado de fora da casa, mas logo a casa passa a ser tomada por eles que começam a usufruir das coisas da casa, querem pegar coisas que pertencem à casa, falando que o poeta (Javier) disse que deveriam compartilhar, que eles queriam algo do poeta de recordação, eles começam a destruir a casa alegando que querem deixar sua marca, provar que estavam ali. JLaw pede para Javier mandar todos irem embora, mas o orgulho dele e a vaidade não deixa, ele quer as pessoas ali o idolatrando.

Nessa hora as cenas começam a ficar confusas e perturbadoras, deixando quem assiste tão agoniado quanto a JLaw, foi resumir as coisas que acontecem e posso falar fora de ordem, mas a ordem nesse caso não é importante.

Pessoas parecem surgir de todos os lugares depredando a casa, roubando coisas, transformando a casa em boate com música e jogo de luzes, pessoas se agridem, se pegam. Tem uma hora que o Javier está fazendo uma marca na testa das pessoas com tinta e depois o Ed parece fazendo o mesmo, como uma especie de culto ao Javier e tem milhares de pessoas na fila, depois em um comodo a editora do livro de Javier parece comandando um grupo de pessoas que prende alguns dos fãs do Javier os colocam de joelhos e os executa e então ela quer fazer o mesmo com JLaw, mas aí a policia aparece e então começa a atirar, Javier encontra JLaw e a salva da policia, mas os policias acabam batendo nele e nela.

A casa parece vinda de filmes de apocalipse, a escada para o segundo andar parece não mais existir, JLaw entra em trabalho de parto, Javier consegue pega-la e leva-la para o escritório deles e acaba usando um móvel para impedir as pessoas de entrarem e então ajuda JLaw a dar a luz à um menino.

Assim que o bebê nasce a casa fica em silêncio total, Javier resolve abrir a porta para ver o que está acontecendo e volta com uma cesta dizendo que a galera deixou presentes para o bebê e que querem conhece-lo, ele tenta pegar o bebê das mãos da JLaw que não deixa, pois ela não quer levar o seu filho para o bando de doidos que está na casa, porém JLaw acaba pegando no sono, Javier pega o bebê e leva ele para seus fãs conhecerem e todos começam a passar o bebê por cima das cabeça, tipo como se o bebê fosse um rockstar que pulou do palco, JLaw corre para tentar pegar seu filho, mas antes que ela consiga eles acabam matando o bebê.

Ela corre para procurar o corpo do filho e encontra um altar feito por Ed, onde o tronco do bebê com as costelas para fora está posicionado, ela olha ao redor e todos estão comendo pedaços da carne do filho dela enquanto Ed fala que o bebê veio ensinar sobre amor e tudo mais.

JLaw fica loucona, xinga todos de assassinos e então todos tentam mata-la, ela é salva por Javier, sai correndo para o porão e vai para a parte sinistra onde o sangue do Brian tinha pingado, tem uma especie de forna-lha ali com algum liquido que mantem o fogo acesso, ela espalha esse fogo pelo chão, taca fogo e a casa toda explode junto com ela.

No take seguinte aparece Javier totalmente inteiro carregando ela toda queimada no colo, ocorre um pequeno diálogo onde JLaw fala que deu tudo para ele, tudo o que ela tinha, ele diz que nunca é o bastante e que ele precisa de uma ultima coisa e ela apenas concorda falando para ele pegar e acabar logo com isso.

Javier a coloca sob uma mesa enfia a mão no peito dela e puxa algo ali de dentro, ele limpa e é uma escultura de vidro, ele coloca a escultura em um suporte e a casa volta ao normal e quando chega ao quarto é uma outra mulher que acorda. Começando tudo de novo.

Durante várias partes do filme podemos ver que a JLaw tem uma ligação mística com a casa, podendo sentir a pulsação da mesma e até mesmo ver o coração da casa, na parte que Javier está levando-a para colocar sobre a mesa ele fala que ela é a casa e por isso que quando ele coloca a escultura no suporte a casa é reconstruída junto com ela.

DESVENDANDO O FILME

O filme nada mais é do que uma alegoria sobre o velho e novo testamento. Javier é Deus, o criador de tudo, o inicio, o meio e o fim. A JLaw é a Mãe Natureza, que foi criada por Deus e isso fica bem claro quando vemos a imagem do poster que usei para ilustrar essa postagem.

Javier é o Deus do antigo testamento, envaidecido, por isso que ele nunca expulsa os fãs, pois necessita dos seus adoradores, mesmo quando esses acabam fugindo de seu controle.

Ed Harris e Michelle Pfeiffer são claramente Adão e Eva, pois são os primeiros a pisar na casa e também são os únicos que entram no escritório que seria o paraíso.

Quando eles quebram a escultura, são expulsos do escritório e Javier lacra o escritório, isso significa o momento que Adão e Eva comem o fruto proibido e são expulsos dos paraísos, isso fica ainda mais claro quando eles voltam para o quarto e fazem sexo logo em seguida, mostrando a luxuria que não tinham demonstrado antes.

O episodio com Brian e Domhnall Gleeson, onde o mais velho mata o mais novo, nada mais é do que o episódio onde Caim matou Abel.

Tanto no episódio do velório de Brian quanto depois do lançamento do livro (que seria uma alegoria para o antigo testamento) onde as pessoas estranhas acabam sendo abusadas, consumindo as coisas da casa e até mesmo destruindo-a é sobre a forma que consumimos os recursos naturais, as coisas de Deus e o momento que todos querem levar algo do Javier é sobre as pessoas que vandalizam coisas e lugares sagrados para levar consigo.

O Ed fazendo a marca com a tinta na testa dos fãs de Javier pode tanto significar o batismo, quanto a benção dos padres/pastores.

Então os acontecimentos da casa representam o fanatismo de diversas formas, desde pessoas que matam em nome de Deus, como pessoas que não respeitam nem mesmo à Deus.

O nascimento do filho de Javier é claramente o nascimento de Jesus, tem até mesmo o presente dos Reis Magos e o desejo das pessoas de conhecerem o filho de Deus, não apenas conhecerem ele como acabar matando ele, uma clara referência à crucificação de Jesus e o momento em que o corpo do bebê está no altar e as pessoas comem pedaço da carne dela, é uma associação ao momento da hóstia onde as pessoas recebem o corpo e sangue de Cristo.

E então vem a revolta da natureza contra a humanidade, destruindo tudo, como JLaw faz ao tacar fogo em tudo ao seu redor para então Javier que é Deus e nunca morre, ser o único sobrevivente que recomeça tudo de novo.

Essa postagem ficou bem maior do que eu esperava, comecei à escrevê-la às 23h24min e agora são 01h47min, mas é que conforme eu fui escrevendo eu fui entendendo mais coisas que não tinha percebido antes.

Mas e você? Já viu o filme? O que achou dele? Pensa igual a mim ou teve uma outra visão do filme? Viu algo a mais que eu deixei de explicar? Diga aqui nos comentários e… Até a próxima galera!!!


Anúncios

30 pensamentos sobre “Análise – Mãe (Contém Spoilers)

  1. Cara , assisti o filme e realmente ele é dificil de ser assistido e pra entender só depois de sair da sala de cinema. Concordo com sua analise e ela me acrescentou mais ainda, sobre a entrada de Adão e Eva no paraiso, tocando o fruto proibido e a luxuria posterior. O diamante formado no peito dela em momentos de pressão representa ( na minha opinião) que acontece para se formar diamantes na crosta terrestre: pressão…

    Gostar

  2. Ufa! Saí odiando o filme e depois de ler aqui não é que tenha adorado pq é bem pesado embora verdadeiro infelizmente… Mas agora gostei dele pq essa mensagem é muito importante para nós! É um auto retrato que precisa ser mudado com urgência! Engraçado que só tinha e entendido a parte final é quando vc deu o começo aí sim entendi o que não estava gostando… valeu!

    Gostar

      • Né??? Acho que passei da fase de assistir filmes sem conteúdo no mínimo aceitável!… RS por isso assim que saí do cinema corri aqui pra achar o início que eu não tinha entendido. Sabia que que tinha uma boa explicação pq o final eu entendi. E só pelo filme ter esse diretor e esses atores não podia ser menos. Assim que liguei os pontos passei do ódio para “adoração” 😉

        Gostar

  3. Vale notar também que na cena do velório, quando quebram a pia e e a água molha todos, é uma alegoria do dilúvio, pois logo em seguida todos somem da casa e depois que o poema (bíblia?) é divulgado é que passam a voltar pessoas para a casa.

    A Editora é também uma referência à Igreja que divulga o poema e depois passa a decidir quem é bom e quem é mau na confusão. Vale notar também, que a Editora diz três vezes “olha aí está a inspiração, onde você esteve se escondendo?” durante o filme… e isso me lembrou as três aparições mais famosas de Maria com as “revelações” que ela deixou no processo.

    Gostar

  4. Gostei muito da sua análise e do seu ponto de vista!
    Porém acredito que possa haver mais de um aspecto direcionado a todo turbilhão de acontecimentos e emoções jogados aos personagens e às situações.
    Numa análise menos ampla que a sua, vejo mulheres em situações que se assemelham a da esposa do filme, quando se anulam completamente para viver ao lado de um homem ao qual endeusam e passam uma vida em branco vivendo o sonho do outro. E, o outro, por sua vez tem a típica personalidade de “vampiro”, que para sobreviver precisa se alimentar da essência de alguém. Há pessoas como ele e como ela em diversos tipos de relacionamento como amizade, família ou relacionamento amoroso. Enfim, esse é meu ponto de vista e, sei que cada vez que a gente assiste, pode surgir uma ou outra interpretação que fugiu da primeira vez, essa é a coisa boa desse tipo de filme.

    Gostar

  5. Parabéns pela interpretação do filme. Como teólogo entendi o filme da mesma forma que vc. Sendo que a partir da aparição de Michelle Pfiffer (após ser mostrado o ferimento no lado das costelas de Ed Harris) é que comecei a montar o sentido bíblico do filme. Na parte dos dois filhos, já estava bastante claro para quem conhece a história bíblica a ilustração de CAIM e ABEL. Inclusive, na última aparição de “Caim” ele já surge com a famosa “marca de Caim” na testa e logo em seguida torna-se um errante, como diz o Gênesis.

    Gostar

  6. Acabei de assistir o filme não entendi nada então corri pra internet, gostei muito da sua análise, parabéns, muito plausível, ainda assim não gostei do filme o que é uma pena gostasva muito do diretor Darren, contudo o elenco esta de parabéns pelas excelentes atuações.

    Gostar

  7. Olha, eu duvido de que alguém neste mundo que não leu nada sobre o filme tenha gostado e entendido a metáfora. A maioria que gostou leu sobre o filme e ficou analisando cada cena e pensando…. nossa! que demais…..
    Na minha opinião, este diretor fez filmes ótimos aclamados pela crítica e está naquela fase de Miguel Falabela que está cercado de puxa sacos que ficam bajulando e achando tudo um espetáculo o que ele faz… ninguém do seu círculo de amizade ou profissional tem coragem de contrariá-lo. Achei um filme de extremo mal gosto, e que só quem leu as “explicações” previamente acha uma obra de arte… Eu sei que vão me chamar de burro… que não entendi a profundidade do filme… que é lindo o Adão e Eva… costela Genesis… Vamos colocar a mão no chifre e admitir que o filme é um lixo feito por um cara que se acha o máximo e que é um pecado discordar da sua obra prima…. Quem não gostou não gostou não é inteligente… Pelas barbas do profeta…. será mesmo que teve alguém neste planeta que assistiu este filme sem ser influenciado anteriormente por críticas realmente “entendeu” e gostou? Eu já ví vários vídeos no youtube explicando o filme e falando que é claríssima a referência ao novo/velho testamento…. genesis etc…. PURA BALELA DE PSEUDO INTELECTUAIS!!!! As criaturas de Deus assistem estas porcarias e vão assistir o filme já emocionados…. falando…. olha que lindo a referência da costela de Adão…. Olha podem me xingar… eu entendo… mas pelo menos eu sei que muita gente vai concordar comigo e não vai admitir… Para finalizar, se eu tivesse o poder, eu decretaria a prisão imediata do Darren Aronofsky e a proibição eterna de tocar em uma camera de vídeo. Amém.

    Gostar

    • Cara quando eu fui ao cinema ver eu não fazia ideia nem de que Darren era o diretor, fui realmente sem ter lido nada do filme por falta de tempo na época, a única coisa que eu sabia é que era com a JLaw.
      No começo eu achei o filme bem ruim, mas na hora da morte do bebê já estava claro sobre o que o filme se tratava, pelo menos ficou claro para mim, que era uma referência total ao Antigo e novo testamento (e olha que nem Cristã eu sou), daí foi só relembrar o filme para entender as metáforas. Só depois que eu sai do cinema que fui descobrir que o diretor era o Darren.
      Na minha opinião quem vai ver o filme sem saber nada sobre ele (como foi meu caso), pode realmente vir a não gostar dele no inicio e não entender, mas depois que conseguir entender a metáfora… Vai curtir a ideia.
      E olha que tudo o que coloquei aqui foi após ter visto o filme apenas uma vez, não teve essa de ver a segunda vez para então lembrar dos detalhes.

      Gostar

      • Oi… Eu sinceramente achava que era impossível isto acontecer, mas eu não tenho motivos para duvidar de você porque não a conheço.
        Mas eu gostaria da sua opinião verdadeira…. você não acha que tem diretores que passam um pouco do limite? Que as vezes parece que é pecado criticar a “obra prima” e a culpa é da pessoa que não entendeu?
        Eu continuo achando que o diretor se acha o Deus da Sétima Arte e que fez uma releitura maravilhosa do Antigo/Novo Testamento e que só os entendedores entenderão… rs

        Gostar

      • Sim, eu concordo que alguns diretores que são considerados Deuses não são tão bons assim. Por exemplo, eu simplesmente odeio David Lynch e a adoração que os fãs tem dele, uma vez eu comprovei em uma aula de Roteiro que muitos dos que aplaudem suas obras são pessoas que não tem nenhum critério em relação a julgamento de alguém.
        Mas aí tem muita questão de gosto. Por exemplo, eu gosto de filmes que me instigam a ver além do que aparece nas telas, como o caso de “Mãe”, eu me empolgo muito com esse tipo de filme, apesar de que é um tipo de filme que só dá para se ver uma vez. Um outro filme que segue esse critério é “Dogma do Amor” que não é do Darren, mas também é um filme que de certa forma é mediano a primeira vista, é menos sem pé nem cabeça do que Mãe (para quem vai ver o filme sem analisá-lo), mas depois que se entende o filme, nota-se que ele é maravilhoso.
        Mas esse é o tipo de filme que eu gosto e sei que meu gosto é muito peculiar as vezes (não to falando que sou melhor que ninguém, só que entendo que a maior parte das pessoas tem gosto diferente do meu), é o tipo de filme que é mais um exercício mental do que algo para entretenimento.

        Gostar

      • Eu também gosto de filmes que não são tradicionais e que nos forçam a pensar de forma diferente, ou que deixe que a percepção de cada pessoa faça surgir um filme diferente. O meu problema é com este filme mesmo. Não consegui engolir, achei o diretor muito pretensioso. Concordo que gosto não se discute… mas neste caso específico não consigo concordar que seria o problema o gostar de filmes não tradicionais…. quem me conhece sabe que eu normalmente fujo de filmes “tradicionais”.
        E eu respeitosamente continuo achando que você teve um contato mesmo que mínimo sobre o filme antes de assistir… rs. Por favor não fique brava, não estou te chamando de mentirosa, é que a nossa mente as vezes nos engana. Como você aparentemente respira cinema/arte será que ninguém no seu círculo de amizades não acabou te contaminando antes de assistir? Para encerrar, eu sei que não conseguirei fazer você mudar de opinião e eu também não vou mudar (no fundo eu gostaria que vc mudasse.. rs). Eu gostaria de agradecer pela educação e delicadeza das suas respostas mesmo eu “invadindo” o seu espaço e começar a praguejar e duvidar de você. Quero deixar claro que não sou um “hater” que apenas quer ser do contra etc. Eu realmente odiei este filme com todas as minhas forças e que eu realmente desejo que o Darren seja banido do mundo das artes. (por este filme… os outros dele são ótimos).
        Amém.

        Gostar

      • Muita coisa… Vamos lá em parte XD

        Possivelmente você tem problema com o diretor (o que acontece com todos os filmes do David que eu vejo), ou apenas não gostou do filme e está tudo bem não ter gostado, mesmo você gostando de filmes que nos forçam a pensar como é o caso dele.

        O que pode ter acontecido com você, a primeira vista, foi o mesmo que aconteceu comigo, eu fui achando que era um filme de terror, pois o trailer indicava isso, algo com mistério e talz,concordo que foi meio decepcionante quando vi que não era o que eu tinha pensado. Talvez tenha acontecido o mesmo com você, ou talvez você apenas não gostou mesmo e não tem explicação e como eu disse antes, tá okay se for isso.

        Sobre ter tido contato com o filme antes, pior que não foi mesmo, pois eu vi o filme antes de estrear, fui chamada para uma cabine de imprensa, então ninguém que eu conheça viu o filme antes de mim, no máximo teriam visto comigo, porém nenhum dos meus amigos mesmo foram ver o filme, tinha uma galera que eu conhecia lá, mas ninguém com quem eu tivesse tido uma intimidade real.

        Para completar a cabine aconteceu logo depois da Bienal e eu estava meio morta de cansaço depois da Bienal pois como autora eu fui para a Bienal todos os dias, chegava lá na hora que abria e ia depois que fechava, estava em um apartamento alugado, ou seja, não dormia muito bem.

        Relaxa, gosto de discutir e não tenho problemas em mudar de opinião se eu passo a ver outros pontos que para mim tenham argumentação que me sejam mais convincentes que os meus, mas nesse caso eu por enquanto continuo com a minha opinião (não que a sua opinião seja errada, ou que o que você falou não tem fundamentos, só que na minha percepção o filme para a minha cabeça ainda é bom, mas entendo o porque você não curtiu)

        Não tem porque eu ser grossa, em nenhum momento você me desrespeitou, desrespeitou minha opinião ou o site, você apenas não concorda comigo, o que é normal, o mundo seria ridiculamente chato se todos pensassem igual. E pode “invadir” a vontade, o espaço (blog) não é apenas meu, é de todos aqueles que escrevem nele (seja com postagens ou com comentários) ou apenas estão lendo ele.

        E relaxa… Conheci muito hater já para conseguir reconhecer que você não é um. 😉

        Espero te ver aqui no site de novo, concordando ou discordando das postagens, pode vir e sinta-se em casa! 😉

        Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s