[RESENHA] A Jóia – A Cidade Solitária livro I

VIVER COM A REALEZA PODE NÃO SER TÃO NOBRE E GLAMUROSO QUANTO PARECE…
Joias significam riqueza, são sinônimo de encanto. A Joia é a própria realeza. Para garotas como Violet, no entanto, a Joia quer dizer uma vida de servidão. Violet nasceu e cresceu no Pântano, um dos cinco círculos da Cidade Solitária. Por ser fértil, Violet é especial, tendo sido separada de sua família ainda criança para ser treinada durante anos a fim de servir aos membros da realeza. Agora, aos dezesseis anos, ela finalmente partirá para a Joia, onde iniciará sua vida como substituta. Mas, aos poucos, Violet descobrirá a crueldade por trás de toda a beleza reluzente… e terá que lutar por sua própria sobrevivência. Quando uma improvável amizade oferece a Violet uma saída que ela jamais achou ser possível, ela irá se agarrar à esperança de uma vida melhor. Mas uma linda e intensa paixão pode colocar tudo em risco… Em seu livro de estreia, Amy Ewing cria uma rede de intrigas e reviravoltas na qual os ricos e poderosos estão mais envolvidos do que se possa imaginar, e onde o desejo por saber o destino de Violet manterá o leitor envolvido até a última página.

Violet não tem direito de escolhas. Ela foi diagnosticada como uma Substituta e desta forma seu único objetivo na vida é dar a luz a um bebê real.

A Jóia, primeiro livro da série A Cidade solitária, conta a história de Violet. Durante quatro anos ela foi treinada em suas habilidades especiais para poder ser leiloada e um dia dar a luz a um herdeiro de uma família real. Suas habilidades especiais se chamam presságios e englobam mudar a cor, forma e crescimento de objetos. Ao ser arrematada pela Duquesa do Lago, uma das casas fundadoras, ela finalmente conhece a fundo a podridão do círculo interno.

Para entender melhor como se dá tudo é necessário saber que estamos falando de uma ilha cercada por grandes muralhas que protegem de o oceano invadir matando a tudo e todos. O reino é constituído de cinco círculos: pântano (de onde vêm as substitutas), fazenda, fumaça, banco e a Jóia (onde a realeza vive); eles são governados pelo Executor e a Eleitora e possuem uma organização de acordo com a importância das Casas Reais: quatro Casas fundadoras, casas de primeira classe, de segunda classe e de terceira classe.

A competição pelo próximo casal de Executor e Eleitora é o que move a duquesa a arrematar Violet no Grande Leilão.

O livro foi de grande surpresa para mim. Lembro de amigas falando sobre ele quando foi lançado mas não havia despertado desejo de ler, porém as idas e vindas me fizeram pegá-lo para ler. Sem expectativas o livro foi me conquistando aos poucos, quando dei por mim já estava na última página querendo saber da continuação.

O diferencial foi que a autora não te apresenta uma personagem apaixonada que tem que dizer adeus ao amor e à família para um “bem maior”. Violet não teve escolha. A personagem também se mostra bastante leiga quanto ao mundo em que ela vive e acaba por conhecermos juntos as peculiaridades desta sociedade. O romance também aparece de segundo plano, o que para mim foi uma vitória, nada pior que uma personagem boba e apaixonada.

Os pontos negativos que encontrei são sobre o excesso de elementos. A autora te apresenta diversos níveis de servidão dentro da sociedade mas não explica muita coisa. Minha aposta é que eles sejam melhor explicados na continuação e que Violet consiga se livrar das mãos da Duquesa que é uma personagem bipolar, uma hora bate na seguinte entrega presentes!

A leitura é rápida e válida.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s