[Resenha] O Poder da Espada – Trilogia A Primeira Lei

Sand dan Glokta é um carrasco implacável a serviço da Inquisição de Sua Majestade. Nas mãos dele, os supostos traidores da Coroa admitem crimes, apontam comparsas e assinam confissões – sejam eles culpados ou não. Por ironia, Glokta é um ex-prisioneiro de guerra que passou dois anos sob tortura.

Mas isso nunca teria acontecido se dependesse de Logen Nove Dedos. Ele jamais deixaria um inimigo viver tanto tempo. Só que isso foi antes. Agora ele está decidido a mudar. Não quer ser lembrado apenas por seus feitos cruéis e pelos muitos inimigos que se alegrarão com sua morte.

Já a felicidade do jovem e mulherengo Jezal dan Luthar seria alcançar fama e glória vencendo o Campeonato de esgrima, para depois ser recompensado com um alto cargo no governo que lhe permitisse jamais ter um dia de trabalho pesado na vida. Mas há uma guerra iminente e ele pode ser convocado a qualquer momento. Luthar sabe que, nos campos do Norte gelado, o embate segue regras muito menos civilizadas que as do esporte.

Enquanto a União mobiliza seus exércitos para combater os inimigos externos, internamente se formam conspirações sanguinárias e um homem se apresenta como o lendário Bayaz, o Primeiro dos Magos, retornando do exílio depois de séculos. Quem quer que ele seja, sua presença tornará as vidas de Glokta, Jezal e Logen muito mais difíceis. Agora a linha que separa o herói do vilão pode ficar tênue demais.

O poder da espada é o primeiro livro da trilogia A Primeira Lei do autor Joe Abercrombie. A indicação desse livro foi bem inusitada, estava na travessa com uma amiga e ouvimos um dos atendentes mostrando esse livro e contando um pouco da historia. Quando ele falou que um dos personagens era um carrasco na mesma hora aguçou a curiosidade. Por fim acabou sendo uma das minhas melhores aquisições da bienal.

Abercrombie criou um universo muito rico e com personagens muito interessantes. O livro é narrado em terceira pessoa e os capítulos se alternam entre os protagonistas, no momento inicial cada um se encontra em um local diferente, mas em um segundo momento suas historias se misturam.

O primeiro que conhecemos é o Logen Nove Dedos, líder de um grupo questionável de guerreiros do Norte que luta contra os “cabeças achatadas” (Shankas). Nove dedos é um guerreiro sanguinário e cruel, que já perdeu as contas de quantos matou. Ao escapar da morte, Logen se separa do seu grupo e iniciou uma jornada sozinho e acabou tendo tempo para pensar em muitos aspectos de sua vida até encontrar o aprendiz de feiticeiro, Malacus Quai, que o leva diretamente para Bayaz, o Primeiro dos Magos, segundo ele mesmo.

Sand Dan Glokta é um personagem muito complexo, é um homem na faixa dos seus trinta e poucos anos que era charmoso e habilidoso. Foi um grande soldado da União até ser capturado e torturado pelos inimigos. Voltou um homem quebrado fisicamente e emocionalmente, pois sua vida consiste em sentir dor o tempo inteiro. Seus dentes foram arrancados de uma forma para que ele não consiga morder nada, teve diversos ossos quebrados e triturados dificultando o seu andar. Seu trabalho atual é extremamente peculiar, ele é o Inquisidor (o tal carrasco que me fez ler o livro hehehe) e tem a ajuda de dois práticos o Frost e o Severard. Para conseguir as informações que precisa, ele não tem medo de causar dor, o que o torna um acessório valioso da inquisição, que exerce um cunho político maior do que religioso.  Glokta chega a ser divertido em sua desgraça, ele usa muito do humor negro.

Em adua, conhecemos o Capitão Luthar, um jovem espadachim egocêntrico, arrogante e descompromissado que está em busca de títulos e fama, mas sem esforço.  Ele está prestes a participar de um campeonato de esgrima e precisa vencê-lo para mostrar o seu valor a União.

São perfis totalmente diferentes né? Sem contar com outros personagens que são tão importantes quanto e dão sentindo a historia, como: o Capitão Collem West, que conquistou seu cargo por mérito e não por nome; o grupo do Nove dedos: Três Arvores, Forley, Cachorrão, Barca Negra, Sinistro e Tul Duru, entre outros. A construção de cada um deles é muito bem feita. Alem das personagens femininas, que mesmo numa sociedade medieval e violenta são fortes e obstinadas. Destaque para a Ferro Maljinn, porradeira demais!

Ao norte, existe uma historia paralela, temos Bethod, o Rei dos Nórdicos, na realidade ele se autoproclamou rei e seus filhos que exigem que a União entregue Angland para eles ou irão começar uma guerra.

A historia é muito boa, cheia de reviravoltas, lutas, magia e conspirações, com uma narrativa coerente. O ponto primordial é conhecer o funcionamento social e político, pois isso influencia a trama inteira. Para quem gosta de literatura fantástica medieval vale muito a pena.

Trilogia Primeira Lei:

  • O Poder da Espada;
  • Antes da Forca;
  • O Duelo dos Reis;
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s