[Resenha] Os Vingadores: Era de Ultron

Aviso de Spoilers

Com a estreia desse grande filme que marca o inicio do fim do UCM (Universo Cinematográfico Marvel), Vingadores está mais poderoso do que qualquer filme de super heróis lançados até agora. Nele você revê os primeiros heróis que são chamados na iniciativa e tem a adição de novos.

Depois da batalha de Nova Iorque, Tony adquiriu uma espécie de “estresse pós-traumático” (O que é relatado em Homem de Ferro 3) e começa a trabalhar em uma espécie de armadura em volta do mundo, que sempre possa ajudar os Vingadores a manterem a paz mundial quando houver ataques alienígenas. Bem, no meio de um processo da construção do programa Ultron, uma das armaduras dão erro e adquire uma personalidade vil, falando que para alcançar a paz mundial ele deve acabar com a raça humana. Homem de Ferro (Robert Downey Jr.), Hulk  (Mark Ruffalo), Thor (Chris Hemsworth), Capitão América (Chris Evans), Viúva Negra (Scarlett Johansson) e Gavião Arqueiro (Jeremy Renner) se juntam novamente para salvar o planeta, ainda com a ajuda de mais alguns novos heróis como Maquina de Combate, Visão, Wanda e Pietro.

Você não consegue assistir o filme sem passar por um mix de emoções. É impossível! O filme tem drama, romance, aventura, ação… De tudo um pouco. Então, tenha cuidado para você não assistir e ter uma ataque de coração a cada sequência de cenas.

Ultron (voz de James Spader) acabou de virar um dos meus vilões odiados favoritos, principalmente pelo sarcasmo frequente dele (Morri de rir da cena dele em Wakanda quando corta o braço do futuro Garra Sônica, vilão do Pantera Negra).

Achei que Gavião Arqueiro e Viúva Negra tiveram um grande destaque nesse filme, maior do que tiveram no anterior. Suas histórias misteriosas, finalmente, foram abertas: A aparição da esposa e filhos do Bart, mostrou o lado humanizado do Gavião (Se você não virou fã dele no primeiro filme, vai virar nesse), mostrou também o lado engraçado e irônico dele; E o passado duro da Natasha, o que ocasionou dela ser o que ela é hoje, mas o que vai se desconstruindo um pouco por causa da complicada relação entre ela e o verdão.

Os irmãos Maximoff tiveram seu merecido destaque na história, cada um tendo uma cena em que mostraram ser verdadeiros na sua escolha ao lado dos Vingadores, o que acontece lá para o final do filme, porém é necessário e já abre caminhos grandes para os próximos filmes. Não gostei da morte de Pietro, porém morreu de uma forma magnífica.

Pela primeira vez eu não passei o filme inteiro odiando o Tony Stark. Conseguimos ver um lado mais humano do herói, em que ele admite os seus erros e tenta consertar tudo de novo, e na segunda vez dá certo, o que ocasiona no nascimento do Visão, que é um personagem misterioso, mas tem uma grande participação nos eventos finais.

Outro ponto chave é: A cena pós-créditos dá a largada para os acontecimentos de Vingadores: Guerra Infinita – Parte 1. Thanos já está pronto com a Manopla, dizendo “Deixa que eu resolvo isso” (Ou pelo menos é o que me lembro).

Não preciso nem falar que recomendo ao máximo esse filme. O Universo Cinematográfico Marvel está se abrindo de forma espetacular, novos personagens já estão configurando o cenário dos filmes e que logo, logo, estarão aparecendo em mais filmes até o grande próximo filme de Vingadores.

Não se esqueçam de que agora em Julho teremos mais um grande filme estreando, que é Homem-Formiga. Nos quadrinhos ele tem uma grande participação no grupo de heróis também. Esse filme encerra a Fase 2 da UCM

Até mais, pessoal. o/

Anúncios