[Resenha] Carta de amor aos mortos

Prestes a começar o ensino médio, Laurel decide mudar de escola para não ter que encarar as pessoas comentando sobre a morte de sua irmã mais velha, May. A rotina no novo colégio não está fácil, e, para completar, a professora de inglês passa uma tarefa nada usual: escrever uma carta para alguém que já morreu. Laurel começa a escrever em seu caderno várias mensagens para Kurt Cobain, Janis Joplin, Amy Winehouse, Elizabeth Bishop… sem nunca entregá-las à professora.

Nessas cartas, ela analisa a história de cada uma dessas personalidades e tenta desvendar os mistérios que envolvem suas mortes. Ao mesmo tempo, conta sua própria vida, como as amizades no novo colégio e seu primeiro amor: um garoto misterioso chamado Sky.

Mas Laurel não pode escapar de seu passado. Só quando ela escrever a verdade sobre o que se passou com ela e com a irmã é que poderá aceitar o que aconteceu e perdoar May e a si mesma. E só quando enxergar a irmã como realmente era – encantadora e incrível, mas imperfeita como qualquer um – é que poderá seguir em frente e descobrir seu próprio caminho.

“Uma história brilhante sobre a coragem necessária para continuar vivendo depois que nosso mundo desmorona. Uma celebração comovente do amor, da amizade e da família.” – Laurie Halse Anderson, autora de Fale!

“Assim como Kurt, Janis, Amelia e outros que já se foram mas de algum jeito permanecem aqui, Cartas de amor aos mortos deixa uma marca indelével.” – Gayle Forman, autora de Se eu ficar

Sabe aquele livro que te deixa pensando na vida, em tudo que te aflige e em como nós lidamos com o que acontece conosco, pois este é CARTA DE AMOR AOS MORTOS. Um livro fofo, sutil e muito bem escrito (em alguns momentos até lágrimas).

Lauren é uma menina que acabou de entrar no ensino médio. Ela quer se distanciar do passado que viveu após perder a irmã, ainda lidar com a separação dos pais e o afastamento da mãe para outra cidade e suas culpas e mágoas.

Lauren recebe da professora de inglês a tarefa de escrever uma carta a alguém que já morreu e para a tarefa ela começa a escrever para personalidades que gostava. Kurt Cobain e Amy Winehouse (Como as musicas e os estilos influenciavam as meninas), River Phoenix, Janis Joplin entre outros mais e sempre contando tudo o que sente e o que se passa com ela neste novo ano.

Ela conhece duas amigas Natalie e Hannah, personagens que tratam de um assunto hoje em dia mais aberto mas mesmo assim ainda um tabu, o homossexualismo na adolescência.

Se encanta com Sky, um menino do ultimo ano, misterioso que ela vê como que se precisasse de luz e que tenta com todas as forças se livrar das marcas do passado e viver com ele. Assim como Lauren.

Conhece tambem Tristan e Kristen, que estão no seu ultimo ano da escola e a “adotam” , a compreendem e ensinam muitas coisas a ela.

Ela vive uma semana com o pai, arrasado e despedaçado pela separação repentina, o abandono da mulher e a morte da primogênita e outra semana com sua tia Amy, uma mulher religiosa que tenta fazer o papel de cuidadora de Lauren.

Imagem: http://www.amoraliteraria.com.br/wp-content/uploads/2014/09/cartas-de-amor-aos-mortos1.jpg

O livro é todo escrito em forma de cartas. A escrita como confissões. Uma leitura fácil, gostosa e muito intensa.

As magoas de Lauren suas frustrações e medos são evidenciados aos poucos. A cada página um novo acontecimento e uma pitada do que realmente aconteceu. De como May, a irmã de Lauren morreu e tudo que elas estavam vivendo naquele período.

A forma de escrita em cartas descrevendo os fatos que acontecem , os que aconteceram, os sentimentos de Lauren e em como os destinatários das cartas tiveram influencia na vida de Lauren dão um toque tão especial, tão intimo que me senti lendo o caderno com as cartas que ela escreveu.

Um livro que com certeza não podemos deixar de ler.

Assuntos polêmicos como adolescência, fumo, drogas, álcool, homossexualidade, estupro, busca de personalidade e sexo são tratados de uma maneira clara e sútil. Um daqueles livros que deveria estar na grade curricular pois todo adolescente tem duvidas, quer se achar no mundo, descobrir seu espaço e como será sua vida.

Simplesmente amo demais as pessoas…Por isso que fico triste pra caralho….

Tenho pensado muito nisso. No que significa ver a infinidade de cada momento, de cada parte.Quero ser purificada, quero queimar todas as lembranças ruins.

Então quando conseguimos dizer as coisas, quando conseguimos escrever as palavras, quando conseguimos expressar a sensação, talvez não estejamos tão indefesos.

Nota: 4,5/5

 

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s