[Resenha] Julieta Imortal – Stacey Jay

Julieta Capuleto não tirou a própria vida. Ela foi assassinada pela pessoa em quem mais confiava, seu marido, Romeu Montecchio, que fez o sacrifício para assegurar sua imortalidade. Mas Romeu não imaginou que Julieta também teria vida eterna e se tornaria uma agente dos Embaixadores da Luz.
Por setecentos anos, Julieta lutou para preservar o amor e as vidas de inocentes, enquanto Romeu tinha por fim destruir o coração humano.
Mas agora que Julieta encontrou seu amor proibido, Romeu fará de tudo que estiver ao seu alcance para destruir a felicidade dela.

Aviso: Possui Spoilers!!!!

Assim que terminei a leitura de Julieta, de Anne Fortier, lembrei-me de outro livro que tenho aqui também baseado no romance de Julieta Capuleto e Romeu Montecchio. Uma releitura tão inusitada da famosa peça consagrada por Shakespeare que tenho certeza que ele revirou-se aos montes onde quer que esteja, enquanto Stacey Jay escrevia os livros Julieta Imortal e Romeu Imortal. Se Shakespeare estivesse vivo, tenho certeza que ele morreria novamente!

Isso porque, na versão de Stacey Jay, a maior história de amor de todos os tempos não passa de uma grande farsa!Para Julieta, foi Romeu que a matou, enfiando uma adaga traiçoeiramente em seu peito após a primeira – e única – noite de amor dos dois. Tudo isso porque Romeu buscava a imortalidade, conquistada através do sangue derramado da mulher que amava. O que ele não contava, foi o fato de Julieta ter se tornado uma imortal também.

É aqui que as coisas ficam estranhas e é justamente nesse ponto, caso você seja um defensor fervoroso da peça de Shakespeare, que você pode querer devolver o livro de volta para estante ou ficar tentando a trocá-lo no Skoob, ou sei lá, queimá-lo pela profanação e pela afronta de Stacey!Mas se você for do tipo que adora a criatividade de uma mente bem chapada, corre o risco de adorar. Acho que me identifiquei mais com a primeira opção, mas embarquei firme na viagem… Fazer o que se tenho senso de humor!

Como eu ia dizendo, Romeu matou Julieta e se tornou imortal. Aí entra em jogo um componente inusitado,  a fantasia! Uma intrusa no meio de uma história que sempre tratou cruamente de amor e bem… Política. E isso pode gerar uma grande estranheza, ainda mais quando isso é levado para aquele clima de High School americana como vemos em tantos livros teens por aí. Nada de Verona aqui. A parada agora é em Solvang, California – ouço Shakespeare se contorcendo daqui.

Mais de setecentos anos se passaram desde o “assassinato” de Julieta (vai ter que ler o livro pra entender as aspas!). Romeu tornou-se um agregado dos Mercenários do Apocalipse enquanto Julieta (sua alma), uma agregada dos Embaixadores da luz. Romeu tem uma existência miserável e tornou-se um psicopata. Sério. Totalmente insano. Ou vocês acham que é normal ouvir o Romeu dizendo que vai arrancar os braços da Julieta e comê-los bem na frente dela!?Meus braços doeram só de imaginar!

Assim, para continuar existindo, Romeu precisa entrar nos corpos de pessoas mortas, como um parasita sabe. Enquanto a Julieta passa a maior parte do tempo dormindo na escuridão, vindo a vida – no corpo de alguém vivo (meio hospedeira) – apenas quando tem uma missão dada pelos Embaixadores da Luz.

Missão Julieta: Unir as almas gêmeas e assim tornar o mundo um lugar mais respirável.

Missão Romeu: Destruir o trabalho da Julieta. Convencer uma alma gêmea a matar a outra e assim levá-la para o seu lado, para os Mercenários. E ah… Sempre tentar matá-la, sempre embalado por juras de amor. Sem perder a poesia!

Ressumo da opera: Capuleto e Montecchios mais inimigos do que nunca! E não me perguntem o que são de fato os Embaixadores e os Mercenários (não entendi esse nome. Será que foi a tradução daqui? Tomara, pois achei nada a ver. Achei as termologias nada a ver: Enfermeira, Embaixadores… Tornaram essa parte bobinha embora ela devesse ser bem séria). O que você precisa entender é que eles são farinha do mesmo saco, mais um tem uma inclinação para o bem e outro para o mal, mas o que importa no final são os interesses de cada lado. Stacey tentou me explicar. Tentou mesmo. Mas não me convenceu. Aquela coisa toda sobre universo… Meio louco… Mas no fim, foi isso aí que entendi. Talvez em Romeu Imortal eu compreenda melhor. Talvez…

Mas agora, Julieta acordou no corpo de Ariel Dragland, uma adolescente confusa, marcada por cicatrizes, tanto externas quanto internas, rotulada como a “Esquisita” pelos alunos da escola da qual frequenta e que pira de vez ao descobrir ser o bufão de uma aposta entre meninos.

Aposta: Tirar a virgindade da esquisitona.

Valor: 500 dólares.

Pois é. Ariel surta com razão. E em seu desespero, ela toma a direção de Dylan Stroud, uma espécie mal caráter sensual seducion da escola que tinha por missão deflorá-la e encher sua carteira magra com os 500 dólares. Mas Deus Castiga!O carro dele cai num barranco, Julieta surge no corpo de Ariel, faz um breve reconhecimento de campo e depois percebe que Romeu se apoderou do corpo moribundo de Dylan.

Desesperada, Julieta/Ariel luta pela sua vida com Romeu/Dylan. Foge dele e consegue uma carona com o surpreendente Ben/de Benjamin, mas não o Franklin. Foi nessa parte que eu pensei: Bem, legal, olha essa conexão entre os dois. Olha essa química no ar. Que quente. Brilhante Stacey!Escondendo o jogo. Vejam aqui o verdadeiro Romeu. Que intrigas você está aprontando?Que conspiração é essa que durou 700 anos hein?!Que outra explicação teria pra essa conexão avassaladora se Julieta já não conhecesse Ben de outros carnavais?

Mas não gente. Dessa vez quem viajou fui eu. Totalmente. Romeu é Romeu, um louco psicopata e totalmente corrompido pelas trevas. Enquanto Ben é Ben, apenas um personagem comum. Chato. Onde suas grandes preocupações são as de âmbito doméstico. Perceber isso doeu, principalmente quando fui vendo para onde a estória ia dar – sim, sou daquelas que acha que Julieta é do Romeu e o Romeu da Julieta e ninguém tasca!

Julieta, nos momentos que se esquecia de perder o ar por Ben, penetra profundamente na vida de Ariel: na relação complicada que ela leva com a mãe e com sua melhor e única amiga, Gema. Ao mesmo tempo, tenta descobrir sua missão, as almas gêmeas que deve unir e logo, para sua infelicidade, percebe que seu trabalho é Gema e Ben, pois o mundo é muito pequeno e eles dois já se conheciam e tinham… Bem… Um lance lá.

A estória moderna de Romeu e Julieta se resume basicamente a isso. Julieta tenta melhorar a vida de Ariel, as relações que ela tinha, ao mesmo tempo que tem que lhe dar com Romeu – a quem detesta abertamente e que morreu odiando –  e servir de cupido para Gema e Ben, enquanto se apaixona mais e mais por ele, sem perceber que Gema e Ben não passam de um grande mal entendido.

Até aqui estava achando tudo muito bobinho, sem grandes motivações e cor de rosa demais para o meu gosto pois a narrativa de Stacey é doce de enjoar. Perdi as contas de quantas vezes li “amo amo amo” e “ele me deixa sem ar”! Mas o desenrolar dos fatos realmente me surpreendeu. Admito.

Mesmo assim Ben e Julieta não desceram. Estão aqui entalados até agora. Achei ele um garoto doce e fofo, mas sem graça, sem profundidade. Bem menos expressivo do que o Dark Romeu.  Fraco demais para a Julieta. Estamos falando de Julieta Capuleto gente!Não uma adolescente qualquer, mas um mito!Um ícone feminino! Acho que teria ficado muito mais interessante se Stacey tivesse investido no caos que é Romeu. Se colocasse a Julieta e o Romeu para enfrentarem a bagunça que criaram, juntos!Superação. Perdão. Amor. Teria sido muito mais bonito!Não adianta criar outro livro só para redimir o Romeu. A redenção dele teria que ser nesse livro, com a Julieta – pronto, falei!

Essa escolha poderia funcionar com qualquer outro casal da literatura mundial… Mas com Romeu e Julieta… É antinatural. É nadar contra a correnteza senhora Jay!É como diz Bochecha: Romeu sem Julieta, sou eu assim sem você!

Sem contar que Romeu se esfola todo pela Julieta no final e ela nem aí…  Só Ben. Respirando Ben. Bebendo Ben. Bolei!

Mas fazer o que né!Valeu a intenção. Pelo menos adorei o fato de Stacey Jay criar alguns povs com o Romeu. Agradeci de pé pois aquilo dele ser apenas um monstro insano estava machucando. Seria profanação demais!Por isso fiquei grata em ver as coisas através dele e entender o real motivo pra ele agir como um maluco. Ele sofreu muito mais do que a Julieta e quando ele conta pra ela como realmente é estar do outro lado… Doeu… Nunca torci tanto para que eles ficassem juntos. Mas eles não ficam. E talvez esse seja o grande barato do amor dos dois afinal… Um amor impossível… Independente das circunstâncias, do tempo e lugar em que estejam!

Minha musiquinha para o livro 😉

Ela Não Tem Tempo

Você pensa que seus dias são monótonos
E ninguém nunca pensa em você
Ela vai pelo próprio caminho
Ela vai pelo próprio caminho

 Você diz que seus dias são comuns
E ninguém nunca pensa em você
Mas nós todos somos iguais
E ela mal pode respirar sem você

Ela diz que não tem tempo para você agora
Ela diz que não tem tempo

Pense nas pessoas solitárias
E pense no dia que ela encontrou você
Ou minta para si mesmo
E veja tudo se dissolver ao seu redor

Ela diz que não tem tempo pra você agora
Ela diz que não tem tempo pra você agora
Ela diz que não tem tempo

Pessoas solitárias rolam ladeira abaixo
Meu coração se abre pra você
Quando ela diz que não tem tempo p você agora
ela diz que não tem tempo pra você agora
Ela diz que não tem tempo

 

 

Anúncios

2 pensamentos sobre “[Resenha] Julieta Imortal – Stacey Jay

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s