[Resenha] Coroa da Meia-Noite – Coleção Trono de Vidro

Celaena Sardothien, a melhor assassina de Adarlan, tornou-se a assassina real depois de vencer a competição do rei. Mas sua lealdade nunca esteve com a coroa. Tudo o que deseja é ser livre – e fazer justiça. Enquanto a amizade entre ela e o capitão Westfall cresce cada vez mais, o príncipe Dorian se afasta imerso em seus próprios dilemas e descobertas. A princesa Nehemia se torna uma conselheira, mas sua atenção está mais voltada para outros assuntos. Em Adarlan, um segredo parece se esconder por trás de cada porta trancada, e Caelena está determinada a desvendar todos eles para proteger aqueles que aprendeu a amar. Mas o tempo é curto, e as ameaças ao redor do castelo de vidro estão cada vez mais próximas.

Esse é o segundo livro da coleção Trono de Vidro da Sarah J. Maas e sinceramente a história está ficando cada vez melhor.

Celaena se tornou a campeã do rei, após ter vencido a competição e passou a ser sua assassina particular. Agora, ela deve matar todos aqueles que o rei ordenar até que seu tempo de serviço tenha terminado. Só que algo em nossa protagonista mudou, ela não quer matar as pessoas simplesmente porque o Rei mandou – afinal sua lealdade nunca foi com o Trono de Vidro – então ela passa a forjar a morte daqueles que deveria matar e para que não desconfiem da traição procura corpos parecidos com de suas supostas vitimas para engana-lo.

Porem, esse não é o seu único problema, nessa nova trama ela se vê presa a varias questões políticas, como por exemplo, sua melhor amiga Nehemia, princesa de Eylwee, deseja que ela a ajude com seus planos para libertar os escravos das minas de Endovier e Callaculla, só que Celaena tem muito a perder e teme que isso coloque em risco sua liberdade.

Na realidade, você vê que ela não tem pretensão de salvar o mundo apenas quer pagar o seu tempo e seguir seu caminho.

Mesmo tentando ao máximo se manter afastada e sendo bem objetiva quanto ao que precisava fazer, as coisas mudaram radicalmente, pois o rei lhe entregou o nome de seu próximo alvo e era um de seus conhecidos. O rei afirma que Archer Finn – famoso cortesão de Forte da Fenda – faz parte de um movimento rebelde que deseja destroná-lo, por isso merece a morte.

A assassina não acredita na possibilidade de que Archer esteja de alguma forma envolvido com os rebeldes e pede um prazo maior ao rei para poder coletar informações a respeito. Só que conforme ela deu inicio as investigações se viu em uma trama muito complexa, cheia de segredos que mostra que nem todo mundo é quem parece ser. Além de focar bastante na parte da magia, da qual é uma vertente de será cada vez mais explorada nos próximos livros.

É bem visível a evolução e o amadurecimento dos personagens e a importância de cada um deles para o decorrer da historia. Por ser uma narrativa em terceira pessoa conseguimos ver vários pontos de vista e sem contar com os sentimentos e posicionamentos.

A trama flui de uma forma leve apesar de ser cercada de segredos, traições e conspirações, alguns desses de segredos descobrimos junto com os personagens. Até mesmo o passado de nossa protagonista é repleto de segredos e de historias mal contadas. A visão que temos é do presente e do imediato, mas o passado dos personagens é exatamente o que fará a diferença no futuro.

Sempre rola o bom e velho triangulo amoroso, já ate havia comentado sobre isso na resenha do livro anterior, eu particularmente não tenho nada contra isso e pelo andar a das coisas achei super legal o posicionamento da Celaena, por não ter muito nhenhenhe. O relacionamento com príncipe Dorian ficou cada vez mais distante até mesmo por decisão dela, o que abriu as portas para o Capitão Westfall. Chaol passou de grande amigo para algo mais e a coisa que ela mais que é que tudo dê certo entre eles, mas isso é bem difícil, pois são mundos muito diferentes, ela é uma assassina e ele o capitão da guarda.  Enfim… TEAM CHAOL!!! ❤

É um livro muito versátil tem momentos românticos e lindos, momentos de perdas e sofrimento e momentos brutais e sanguinários. Vale muito a pena a leitura.

 

 

Coleção:
Trono de Vidro;
– Coroa da Meia-Noite;
Em breve serão lançados os outros

Anúncios

3 pensamentos sobre “[Resenha] Coroa da Meia-Noite – Coleção Trono de Vidro

  1. Pingback: [Resenha] A Lâmina da Assassina – História de Trono de Vidro | No Meu Mundo

  2. Pingback: [Resenha] Corte de Espinho e Rosas – Trilogia Corte de Espinho e Rosas | No Meu Mundo

  3. Pingback: [Resenha] Corte de Névoa e Fúria – Trilogia Corte de Espinho e Rosas | No Meu Mundo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s