[Resenha] Incendeia-me

https://i0.wp.com/lerimaginar.com.br/wp-content/uploads/2014/04/Incendeia-me-Tahereh-Mafi-Novo-Conceito-600x330.jpg

UM DIA EU POSSO ROMPER

UM DIA EU POSSO

R O R

E ME LIBERTAR

NADA MAIS VAI SER IGUAL

O destino do Ponto Ômega é desconhecido. Todas as pessoas com quem Juliette se importa podem estar mortas. Talvez a guerra tenha chegado ao fim antes mesmo de ter começado. Juliette foi a única que restou no caminho d O Restabelecimento. E sabe que, se ela sobreviver, O Restabelecimento não sobreviverá. Entretanto, para destruir O Restabelecimento e o homem que quase a matou, Juliette vai precisar da ajuda de alguém em quem nunca pensou que pudesse confiar: Warner. Enquanto eles lutam juntos para combater o inimigo, Juliette descobre que tudo que ela pensava saber sobre seu poder, sobre Warner e até mesmo Adam era uma mentira.

Incendeia-me é o terceiro e último livro da série Estilhaça-me escrita por Tahereh Mafi.

Se você ainda não conhece a série sugiro que dê uma olhada na resenha do primeiro livro aqui.

Tahereh Mafi foi a primeira autora que conseguiu me deixar dúvidas, no mundo de Estilhaça-me, Juliette está sempre em guerra com si mesma, lutando vorazmente para se descobrir. Se ela mesma não consegue se entender, imagina entender os outros?

Estilhaça-me foi um dos livros mais surpreendentes que já li e não demorou muito para que se tornasse um vício. Tivemos a sequência, “Liberta-me” e mais uma vez os nervos ficaram à flor da pele.  E agora finalmente… Incendeia-me, o último livro dessa maravilhosa saga.

Agora que Juliette sabe finalmente do que é feita (Completamente diferente do primeiro JN livro, onde ela estava em frangalhos.), Adam não consegue suportar essa nova versão da mulher que conquistou seu coração.  Tudo que ele espera, é a Juliette de sempre; calma, boa, meiga e que precisa de sua proteção. Mas será que aquela Juliette estilhaçada era tudo que ela poderia ser?

Warner, o cara que até algum tempo atrás era o inimigo, nunca acreditou na fraqueza de Juliette, ele sempre esperou as grandes habilidades dela e não estava errado.  Muitas pessoas o odiavam, mas depois de ler o conto “Destrua-me” passamos a entender quem Warner é de verdade.

Adam e Warner são completamente apaixonados por Juliette e cabe a ela escolher, entre o que ela era e o que ela será.

Uma das coisas em que mais gosto nos personagens é como nos enganamos com eles, você pensa que os conhece e nesse último livro tudo muda quando você menos espera.

Em épocas de guerras, medidas extremas precisam ser tomadas e ninguém nunca sai ileso depois de ver pessoas que amam morrerem.  A guerra é agora e Juliette pela primeira vez, está pronta.

Depois de perder quase todos os moradores do ponto Ômega, está na hora de usar seus poderes para resolver de uma vez por todas o caos que o estabelecimento criou há anos atrás.  E quem melhor para ajudá-la do que Warner, o filho do poderoso Anderson?

Warner ou Adam…Eis a questão. Só consegui decidir meu favorito no final do segundo livro da saga, são muitas surpresas, acontecimentos e sentimentos encobertos.

Com a ajuda de Kenji, o melhor amigo de Juliette, ela consegue levar todos os problemas mais levemente. Ele está lá para diverti-la em seus momentos de dúvidas. Com certeza, Kenji é o tipo de personagem que surgiu para brilhar. Coadjuvante ou não, ele dá um show.

Com a ajuda dos sobreviventes do ponto ômega e Warner, Juliette está confiante de que pode conseguir o que deseja.

“Vingança. Acredito que ela nunca pareceu tão doce”

A narrativa de Juliette é completamente inovadora e encantadora. Dificilmente eu conseguia parar de pensar no que iria acontecer a seguir.

Incendeia-me sem dúvidas é um livro triste, enlouquecedor e divertido. Finalmente tudo se esclarece.

Bato palmas para Taherh Mafi, ela conseguiu não só trazer uma grande perfeita distopia para o mundo da literatura, como ser completamente original em sua escrita. Nunca li algo parecido com a mente de Juliette.

Sem dúvida um dos melhores fechamentos de saga que já li. É com pesar que me despeço do mundo de Estilhaça-me.

E só para relembrar:

 

Anúncios

Um pensamento sobre “[Resenha] Incendeia-me

  1. Pingback: [Resenha] Incendeia-me | Ficção c...

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s