[Resenha] O Herói Perdido – Os Heróis do Olimpo

Novos e conhecidos personagens do Acampamento Meio-Sangue dividem espaço nesse primeiro volume da série Os heróis do Olimpo. Rick Riordan volta ao universo de Percy Jackson e os Olimpianos com ainda mais aventuras, humor e mistério.

Depois de salvar o Olimpo do maligno titã Cronos, Percy Jackson e seus amigos trabalharam duro para reconstruir seu mais querido refúgio, o Acampamento Meio-Sangue. É lá que a próxima geração de semideuses terá de se preparar para enfrentar uma nova e aterrorizante profecia.

Os campistas seguirão firmes na inevitável jornada, mas, para sobreviver, precisarão contar com a ajuda de alguns heróis, digamos, um pouco mais experientes – semideuses dos quais todos já ouvimos falar… e muito.

Apenas semanas se passaram desde a furiosa Guerra dos Titãs. O Olimpo, destruído pelos combates começara a ser reconstruído e o Acampamento Meio-Sangue se recupera das baixas sofridas e se empenha em receber os semideuses, cada vez mais numerosos depois do compromisso firmado pelos deuses em reconhecer seus filhos logo que completarem 13 anos, além da inclusão dos chalés dos deuses menores. Mas a paz conquistada duraria pouco, surge uma nova profecia. Sete semideuses precisarão se levantar e trabalhar junto aos deuses para derrotar um novo e poderoso inimigo.

Sete meios-sangues responderão ao chamado.
Em tempestade ou fogo, o mundo terá acabado.
Um juramento a manter com um alento final,
E inimigos com armas às Portas da Morte afinal

Dessa vez conhecemos mais três meios sangues Jason, Piper e Léo, juntos eles precisam salvar uma Deusa que está correndo um grande perigo. Mas Jason esqueceu-se de tudo, até mesmo de quem ele é, e isso dificulta bastante sua vida, já que o novo trio encontra  muitos perigos pelo caminho e logo descobrem uma nova profecia:

Filho do relâmpago, tome cuidado no chão,
Da vingança dos gigantes os sete nascerão,
A forja e a pomba devem abrir a cela,
E liberar a morte pela raiva de Hera.

Annabeth é a primeira veterana a aparecer na história, nisso descobrimos que Percy está desaparecido. A situação de deuses e semideuses parece mais complicada do que nunca após meses de calmaria depois da segunda guerra com os titãs. Muitas coisas mudaram no acampamento, mas a chegada de Jason é o anúncio de que a derrota dos titãs enfureceu forças ainda maiores.

Gostei dos novos personagens e achei os três protagonistas encantadores. O Leo especialmente. Não foi difícil simpatizar com sua situação. Órfão, com dificuldades de adaptar-se, o personagem ganha fácil a afeição do leitor. E não posso deixar de fora o treinador Hedge. Gente, vocês não fazem ideia de como eu ri com esse sátiro corajoso e megalomaníaco.. Outra coisa que me agradou muito foram os pontos obscuros desse livro. Tinha muita coisa para desvendar e eu me via lendo página atrás de página em uma busca desesperado por respostas. A trama está mais séria, sombria. E a abordagem da mitologia grega com a Romana deu um toque diferente, mais abrangente e especial.

A escrita do autor está diferente. Em terceira pessoa e sobre a perspectiva de três diferentes personagens: Jason, Leo e Piper. Mudança aprovada, acho que dá uma abrangência maior ao abordar os fatos sobre diferentes ponto de vista.

A única coisa que não gostei foi o fato do livro ser previsível demais O começo foi ótimo, o desenvolvimento repleto de ação, contudo eu sabia onde tudo ia dar no fim das contas. Sabe aquela velha história de inimigo antigo que se levanta para se vingar dos deuses, somada a um prazo curtíssimo para impedir o fim do mundo e no fim tudo meio que dá certo? Enfim, é bom, agrada, mas queria um pouco mais.

Os Heróis do Olimpo:

  • O Herói Perdido
  • O Filho de Netuno
  • A Marca de Atena
  • A Casa de Hades
  • O Sangue do Olimpo – lançamento em 2014

Percy Jackson e os Olimpianos:

Anúncios

3 pensamentos sobre “[Resenha] O Herói Perdido – Os Heróis do Olimpo

  1. Pingback: [Resenha] O Filho de Netuno – Os Heróis do Olimpo | No Meu Mundo

  2. Pingback: [Resenha] A Marca de Atena – Os Heróis do Olimpo | No Meu Mundo

  3. Well it really depndes on which parts your wanting to customize. For example, jquery dynamically adds css classes based off what part your calling. So you have data-role= navbar which calls pre-build classes after run time. So to affect native theme setup you currently have to edit the themes in the core css files. Now after beta you can bet the will make it easier to do this. However the team is working more on functionality. BUT like i’ve shown in previous tutorials (watch them if you havn’t) you can add custom css styles in the header. Go check those out and let me know if you have any more questions.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s