[Resenha] Derby Girl

Bliss Cavendar é fã de indie-rock, tem 16 anos, é adorável e excêntrica, mas vive presa em Bodeen, uma cidadezinha do interior do Texas. A mãe, uma viciada em concursos de beleza, está decidida a fazer a filha vencer o concurso da cidade. Mas Bliss finalmente descobriu uma saída: Roller Derby, um esporte radical, só para garotas estilosas e divertidas como ela. E, junto com machucados homéricos e músicos gatos, vai conseguir algumas lições que até mesmo uma descolada praticante de Derby não pode ignorar!

E vamos a mais um livro retirado da pilha, vou ler algum dia. Este livro comprei na feira literária da minha cidade por uma bagatela e deixei ele lá rolando até que um belo dia o peguei . Posso dizer que o livro foi uma deliciosa surpresa.

A história gira em torno de Bliss Cavendar, a típica adolescente problemática. Detalhe básico Bliss significa ‘felicidade plena’ traduzido do inglês, algo totalmente contrário de nossa protagonista.

Ela vive numa cidade pequena no Texas, cidade essa que ela não vê a hora de sair. Com uma família meio louca já que sua mãe é maníaca compulsiva por concursos de beleza e seu pai o típico pau mandado, o mais assustador é que sua mãe acredita que Bliss tem capacidade para ganhar um concurso desse.

Para se distrair Bliss trabalha numa lanchonete com sua melhor amiga Pash, que se sente na mesma situação que ela.

Em uma visita a Austin, ou uma torturante ida as compras com sua mãe e irmã, acontece algo que mudará a vida de Bliss para sempre, após conseguir arrastar a mãe para uma loja realmente boa no conceito de Bliss ela pega alguns panfletos e um lhe chama atenção, cujo o destaque é uma menina cheia de estilo, estilo esse que gostaria de ter.

Após conseguir arrastar sua recém habilitada amiga a ir no evento de Roller Derby, esporte esse que ela nem sabia da existência e acaba se apaixonando pelo esporte ( e pelo menino da plateia). Ao final da partida Bliss acaba sendo convidada para tentar a vaga em um dos times.

Isso acaba virando um sonho para Bliss, que após ser aceita e se tornar a Babe Ruthless, ela tem de arranjar um jeito e um álibi para ir a Austin várias vezes por semana. Com a ajuda de Pash e das velhinhas do bingo ela consegue essa façanha.

A partir daí um mundo novo se abre para Bliss. Nesse mundo ela encontra festas, música boa, caras gatos e muita diversão! Resumindo tudo que uma menina de 16 anos sonha.

Em meio a esse mundo ela conhece (ou revê) o Sr. Sensual, o carinha da plateia que falei, depois eles se encontram numa festa. Além de gato (para os conceitos dela) ele ainda tem uma banda ( atire a primeira pedra quem nunca se apaixonou por um cara de banda), gostei de como a autora narra essa parte, ela leva a dosagem na medida certa, mostra os prós e contras. Também amei o fato de o mocinho ser um perfeito canalha, até porque todos os livros os mocinhos são muito perfeitos coisa que não existe.

O fato de a autora nos jogar no mundo do Roller Derby, lendo o livro fiquei com vontade de entrar para um time e começar a praticar.

Um livro que muitas vezes foi jogado para o lado se tornou tão fofo que fiquei pensando que ele não merecia isso.Altamente recomendado.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s