[Análise] Os dez livros mais impactantes de 2013

Final de ano chegando, um ano pra lá de badalado no mundo literário, com muitos lançamentos, muitas adaptações para os cinemas, Bienal do livro e muitas coisas boas para os amantes de leitura em todo o país. Aproveitando a atmosfera de retrospectiva que essa época invoca, nós aqui da equipe do blog nos reunimos para formar uma lista com os livros mais impactantes do ano de 2013. Aqueles que foram os mais aguardados, mais ansiados, que mais influenciaram causando grande satisfação em alguns casos e certa decepções em outros.

Tivemos ótimos, excelentes lançamentos este ano; como o profundo “Perdão, Leornard Peacock” de Matthew Quick (que inclusive esteve na Bienal do livro no Rio de Janeiro), o  divisor de opiniões “Oceano no Fim do Caminho” de Neil Gailman (livro tipo jiló – ou você ama ou odeia), o suspense “Garota Exemplar” de  Gillian Flynn ( que vai ganhar até um filme com o Ben Affleck) e muitos e muitos outros bons livros. Mas para criar essa lista pensamos em todo o conjunto, de toda a expectativa projetada em torno de cada livro desde o anúncio de seu lançamento  até aquela correria louca quando enfim o danado fica disponível para leitura. Escolhemos dez livros e eu, Luciana, juntamente com a Maria Clara, estaremos falando um pouquinho deles aqui com vocês.  Não briguem com a gente. Vamos a eles!

I – Inferno (Dan Brown)

Quatro anos sem publicar um livro e os fãs de Dan Brown já estavam ficando loucos. Mas valeu a pena esperar. Inferno é simplesmente um dos melhores trabalhos do autor. Complexo e surpreendente. Mais uma vez fomos presenteados com uma bela e bem construída história de Brown. O tipo de livro que te deixa no vácuo, te dar uma rasteira de doer os peitos, te deixa pensando no que leu e te prova que os fins bem que justificam os meios. Sem dúvida um dos melhores lançamentos de 2013. Valeu Brown!

II – A Marca de Atena (Rick Riordan)

O que foi esse final? Nossa!!!!!!!!!!!!!! Sabe aqueles livros que acaba e você já fica com gostinho de quero mais? TIPO NECESSITO DO LIVRO SEGUINTE COM URGENCIA URGENTISSIMA, então A Marca de Atena foi um desses. Comparado a todos os livros da Coleção Heróis do Olimpo, este foi de longe o mais tenso ganhando assim o segundo lugar em nossa parada!

Como sempre o Rick desenvolveu um excelente trabalho.  A oscilação dos Deuses entre romanos/gregos e como isso afeta suas atitudes e a forma de lidar com seus filhos foi super interessante.

Fora que o esquema de pontos de vistas que se alternam entre os personagens agregou demais a história.  Pois esse foi o primeiro que todos os sete estavam juntos e prontos para dar continuidade a profecia, então mostrou-se um coerência entre os fatos e como cada um deles interferiu na trajetória do grupo.

A propósito, bem-vindos ao TÁRTARO, Percy e Annabeth!

III- Êxtase (Lauren Kate)

Um dos livros mais esperado e  ansiado de 2013. Quem não queria saber(depois de muita enrolação nos três primeiros volumes) como enfim terminava a história de Lucinda e Daniel?Quem não queria entender melhor como funcionava a bendita maldição que permeava o romance dos pombinhos de Lauren Kate e finalmente botar os olhos, tirar  a prova dos nove quanto a real história de Lucinda Price?

Todo mundo que leu a série Fallen aguardava ansiosamente por Êxtase desde o lançamento do primeiro livro!

As respostas finalmente vieram (glorifica de pé igreja), mas não exatamente de uma forma satisfatória. Luce é o que todo mundo sempre desconfiou que ela fosse, mas a explicação da autora para esclarecer como tudo aconteceu e começou a desandar para esses dois foi difícil de engolir. Na verdade nem desceu.

Foi bom ler Êxtase, foi bom ter respostas (amo respostas). Mas em termos gerais, o livro ficou devendo e muito. Deixou buracos e mesmo que de um jeito não tão grave, decepcionou.

IV- Princesa Mecânica (Cassandra Clare)

Sou meia suspeita para falar dessa coleção , pois eu AMO! Desde a indumentária aos personagens e ambientação.

Como falei na resenha, o mais interesse da história para mim pelo menos, foi essa ideia da vida que segue. O ser imortal que aprende a viver com a dor da perda através dos séculos. Se você parar para pensar poderíamos ficar horas filosofando sobre isso. Meu único porem é que alguns detalhes ficaram meio batidos entre esta coleção e a Instrumentos Mortais, poderia dizer que ficaram um pouco repetitivos.

O livro em si transmite valores importantes para vida e sabe dosar muito bem o drama, tendo diversas tiradinhas engraçadas. (Will me arrancou muitas gargalhadas!)

Sua narrativa é bem dinâmica. A todo momento algo está acontecendo e todos os personagens são muito participativos – cada um tem seu espaço na historia e significância. Pena que este é o ultimo da coleção! = /

V – O Teorema de Katherine (John Green)

Depois que John Green consolidou seu nome no Brasil e no restante do globo com a publicação de “A Culpa é das Estrelas”, todo mundo começou a colocar uma mega e baita expectativa em torno dos próximos lançamentos do autor. Normal. Afinal, sempre esperamos ótimas leituras de nosso autores favoritos. Mas esse não foi bem o caso de “O Teorema de Katherine”. Se eu tivesse que escolher uma palavra para definir este livro, escolheria “chato” – bocejo.

A narrativa de Green é ótima. O cara saca o mundo louco, inseguro e tempestuoso dos adolescentes como ninguém. Isso é fato. Comprovo isso a cada novo livro dele que pego pra ler. Mas com exceção de um personagem (que ele sim me proporcionou boas risadas) “O Teorema de Katherine” é monótono, cansativo e com personagens que não te cativam.

A culpa não é do John Green (Sente só o trocadilho). Mas é que depois de “A Culpa é das Estrelas” todo mundo ficou esperando uma coisa mais marcante. Mas o Teorema foi apenas mais um livro na minha meta no Skoob em 2013. Dei graças a Deus quando acabou. Não chega nem a ser uma decepção. Apenas não correspondeu as expectativas geradas, não agradou.

VI – Cidade das Almas Perdidas (Cassandra Clare)

Cidade das Almas perdidas é um bom livro, mas está longe de ser o melhor da coleção!

Sua narrativa é lenta, o que te dá a impressão de que levou muito mais tempo do que na verdade levou, porque o livro todo se passa em duas semanas por ai.Fora que teve muita pegação, algumas nem foram importantes.

O mais interessante é a oportunidade de conhecermos o novo vilão da saga Sebastian/Jonathan, entender quem ele é e a sua visão, já que esta é muito diferente do Valentim. Em alguns momentos, chegamos a sentir pena do personagem, pois vemos o quanto sozinho ele se sente. Mas no fim das contas vemos que a essência dele não é boa.

Do meio para o final do livro a história pega um ritmo diferente e  as situações que ocorrem abrem um novo leque de questionamentos ao leitor, o que nos deixa cada vez mais curiosos sobre o desfecho da trama. Dá um dó danado de saber que estamos nos encaminhando para o fim! Mas devo dizer que a Cassandra Clare termina muito bem suas historias. A Princesa Mecânica está ai para nos mostrar isso, então acredito que a Cidade do Fogo Celestial vem para consagrar esta grande coleção. Pelo menos assim espero.

VII – Príncipe Mecânico (Cassandra Clare)

Príncipe Mecânico é o segundo da trilogia Peças Infernais da Cassandra Clare.

Neste livro conseguimos conhecer melhor o personagem do Will e do Jem, a amizade fora do normal dos dois – para além da ligação do parabatai – e o relacionamento com a Tessa. Esta que por sua vez, se viu apaixonada por dois homens, um que era um gentlemen e outro que era um incógnita.

A trama é cheia de traições e chantagens. Pessoas próximas ao Instituto se aliaram ao Magistrado, mas novas alianças foram feitas.

Algo super válido é que conhecemos enfim o passado do Magnus com o Will, porque em Instrumentos Mortais a Vampira Camille trouxe isso a tona, e deixou no ar como se eles tivessem um caso, e na realidade a amizade dos dois é algo muito bacana.

De um modo geral os livros da Cass são bons, as historias são bacanas com uma linguagem super tranquila e os personagens são carismáticos. É que nem Rick Riordan e o Percy Jackson sempre queremos mais. Hehehehe. Bem por isso que ambos os autores fazem parte deste top 10 e não só uma mais em uma posição, mas em 2 ou 3.

VIII – A Casa de Hades (Rick Riordan)

Depois daquele final bombástico da “A Marca de Atena”, a Casa de Hades veio para dar fim ao suspense e ganhar nossa oitava posição entre os livros mais impactantes de 2013. Sinceramente, o Tio Rick não deixou nada a desejar tanto na história quanto em suas descrições. Além da Editora Intrínseca que não marcou bobeira e lançou o livro prontamente para alegria dos fãs.

A leitura flui naturalmente com uma narrativa bem madura, sem falar dos personagens que cresceram bastante, não no sentindo de corpo – tudo bem, o Frank sim! ahahha – mas no comportamento se autoconhecendo e se questionando.

IX – Insurgente (Veronica Roth)

Colocamos “Insurgente” em nono lugar porque seu antecessor, Divergente, teve uma repercussão discreta por aqui. Divergente não tem nada de exatamente novo e muita gente ficou com o pé atrás com ele, julgando o livro como o novo “Jogos Vorazes”. Então, entendemos que por isso o impacto do livro se manteve mais entre um fandom voltado e montado para a história de Veronica Roth.

Por isso, não houve muiiiiiita expectativa em torno do lançamento de “Insurgente” aqui no Brasil, embora sim, como já disse, ele tenha existido, mas limitado a certo público.

Com “Insurgente”, a história de Veronica Roth tomou outras proporções. Novas pessoas conheceram a história de Tris e Quatro e tenho que admitir que esse livro é O LIVRO. Com certeza uma das melhores e mais impactantes leituras de 2013. Destoando totalmente de “Jogos Vorazes” e consolidando o sucesso da trilogia de Veronica no Brasil.

X- Finale/ Hush Hush (Becca Fitzpatrick)

Outra história de anjos que findou em 2013. Após o avassalador “Silêncio”, livro anterior a este, encontramos uma história morna nas páginas finais da tão bem escrita série Hush HushFinale segue o mesmo desfecho de Fallen (com Êxtase), não é um livro ruim, mas deixou a desejar. Perceber-se certa perca de qualidade em alguns personagens, decisões forçadas aqui e ali e uma morte (desnecessária de um personagem) apenas para garantir que naquela história jaz a cabeça de uma peça importante para os fãs e para a história de Nora e Patch. Fui até as páginas finais esperando que fosse uma pegadinha da autora. Não era.

E não pensem que a decepção com o livro provém desse óbito. Não é. É que lendo Finale, você percebe algo errado com a história, certo desleixo da autora, certo descaso, uma vontade de terminar o livro o quanto antes. Essa é a sensação que Finale passa, por isso colocamos ele entre as decepções de 2013.

É isso galera, espero que tenham gostado!Desejamos a todos um prospero ano novo( lê-se: cheio de livros). Obrigada por nos acompanhar ao longo deste  ano e em 2014 continuaremos aqui com vocês, com força total!

Anúncios

2 pensamentos sobre “[Análise] Os dez livros mais impactantes de 2013

  1. Muito bom Beto. Sem vocea jamais teraimos estes momentos registrados. Espero que a ABES tenha como armazenar este acervo para no futuro relembramos o nosso passado. As coisas boas que estamos fazendo Uma abrae7o, Vitorio.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s