[Análise] Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos – Livro X Filme

Esta resenha contém spoilers tanto do livro quanto do filme “Cidade dos Ossos”!

O filme Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos é uma boa adaptação? Tem coerência com o livro?

Devo dizer que faz sim e que está EXCELENTE. Como toda adaptação há modificações para adequar melhor a história, o que não quer dizer que isso seja ruim. Tem cenas que a similaridade é tão grande que te transporta imediatamente para o livro, mas tem outras…

A comparação do livro x filme é inevitável, então tem algumas observações a serem feitas. Inicialmente acredito que a pesquisa para a criação do roteiro do filme foi muito bem sucedida, porque eles souberam em muitos momentos modificar sem se tornar absurdo – visto Percy Jackson e o Ladrão de Raios que não me deixa mentir.

Um bom exemplo neste caso é o personagem Simon. No primeiro livro ele tem uma presença marcante, mas não é inserido imediatamente nessa “nova vida” da Clary, e no longa isso foi feito de uma forma muito mais rápida. O que foi ótimo, pois o Robert Sheehan está SENSACIONAL no papel, cheio de humor negro e piadinhas descontraídas. Nosso menino indie chegou com tudo.

A meu ver, uma boa cena – que foi melhor no filme do que no livro – foi a do Pandemônio, por ter sido mais sucinta e direta. No livro a autora faz muito rodeio falando que os caçadores das sombras foram para uma sala escura dentro da boate para ai sim matar o demônio e a Clary presenciá-los e o seu choque devido ao ocorrido e tudo mais. E no filme foi uma situação rotineira, como se fosse algo habitual, do tipo como ninguém consegue nos ver não há necessidade de fazer o que viemos fazer as escondidas.

Algo que eu gostaria muito de ter visto e não aconteceu, foi a transformação do Simon em rato na festa do Magnus Bane. Essa parte da história foi bastante modificada, não a festa em si, mas o suposto seqüestro do Simon. Na realidade, é que para quem leu sabe que na cena do resgate foi outra, desde o principio. Teve sim a luta, mas era só o Jace e a Clary contra os vampiros (depois teve a ajuda dos lobisomens, do qual ela feriu o Alaric e não o Luke), o Alec e a Izzie não estavam lá.  No longa Simon foi seqüestrado e mantido preso (meio jogos mortais), não foi de todo ruim, só um pouco diferente. Algo que me chamou bastante a atenção foi não conhecermos o vampiro Rafael. A cena pré-resgate quando foram buscar as armas dentro da igreja, me senti em um dejavú, apesar da Izzie e do Alec estarem lá, até as falas do Jace estavam iguais ao livro.

Já deixaram no ar a possibilidade do Simon se tornar vampiro, foi quase um momento homem aranha, pois ele já estava sentindo uma “transformação” em seu corpo e tinha duas marquinhas no pescoço. Ok, a gente entendeu o spoiler.

O elenco está impecável, já falei do Robert, que para mim foi o melhor, mas vale o destaque para: o Jamie Campbell Bower por ter conseguido entrar bem no personagem e mostrar o Jace sendo o Jace nas telona. No inicio quando saiu o elenco ele havia sido muito criticado, pois diziam que ele era “feio” etc etc, mas na boa, ele ganhou seu espaço e mandou bem, eu já leio os livros pensando nele mesmo no papel, então… Lilly Collins também não ficou atrás com a sua Clary, acho que a química dos dois funciona e é muito boa.

Jonathan Rhys Meyers é lindo e bom ator, tudo isso a gente já sabe, mas a duvida era como seria a interpretação dele ao personagem, afinal Valentim é o grande vilão e tem toda uma complexidade devido as suas crenças e atitudes, então a expectativa era grande. Para quem imaginava um Valentim elegante e fino, vai ver que sua postura foi substituída por algo mais bárbaro, selvagem e sexy.  Esse ai vai aprontar mais até do que o do livro.

Minha única ressalva quanto ao elenco é a Jemima West, Isabelle, o que o Valentim tem de sexy e forte, no sentido de ter atitude, ela tem muito pouco. Veja bem, as cenas dela com o chicote são incríveis. No Hotel com os vampiros então sem comentários, muito boa. Mas no geral falta essa postura de menina sexy e bem resolvida.

O Magnus neste filme aparece bem pouco, mas suas aparições são sempre para ajudar de alguma forma, ou contando o que ocorreu com a Clary ou salvando o Alec. Quando os olhos dele se transforma nos de gato é genial.  Os irmãos do Silêncio, apesar de não flutuarem conseguiram manter aquele ar meio assustador e supernatural. Então acho que o fato deles não flutuarem foi um mero detalhe, a cena toda em si está muito boa e bem parecida com o livro.

É um filme dinâmico, cheio de ação, efeitos visuais de qualidade tanto nas transformações dos lobisomens e vampiros quanto nos próprios demônios.

O romance é bem abordado na história, tanto o Bromance (Jace e Alec), quanto nosso triângulo amoroso (Jace, Clary e Simon). Foram bem pontuais destacando realmente as cenas mais importantes do livro, alguma coisa ou outra foram modificadas, ao invés de ter um beijo em tal lugar foi em outro, mas nesse quesito a ordem dos fatores não altera tanto o produto. Destaque para cena no Jardim (aniversário da Clary) e a do Simon falando sobre seus sentimentos para ela foram muito fieis ao livro. Olha, Alec e suas ceninhas de ciúmes também ficaram bem parecidas com o livro.

A partir do Hodge entregando o cálice para o Valentim a história modificou bastante. Essa seqüência de Instituto, casa do Valentim se tornou apenas o Instituto (que por sinal estava super perfeito). O que abre bastante para discussões, visto que ele foi construído em solo sagrado o que não permite que criaturas do submundo possam entrar e nesse caso virou mó pandemônio. Era demônio, era lobisomem, etc etc.

A mudança de ambientação abriu margem para inclusão de novos diálogos e algumas situações.

Uma frase dita pelo Hodge ao Valentim acabou um pouco com o clímax da história, ainda mais para quem não leu os livros.  Porque ele dá um spoiler tão grande sobre Clary e Jace serem irmãos ou não (momento que diabos foi isso?). Essa definição só acontece no terceiro livro da saga, então ele meio que quebra toda a curiosidade já contando que eles não são e que tudo não passa de uma mentirinha (no livro a gente sabe que o buraco é bem mais em baixo). Os personagens em si não sabem de nada, mas o publico ganhou o spoiler da década. Valeu hein!!

Continuando sobre o Hodge, achei que o final dele foi bacana, apesar de que aquela cena só ter acontecido no filme, o momento herói, mas em si abriu um gancho para o que pode ter acontecido com ele, se morreu ou não. E quem leu sabe que ele foi preso pela Clave, então esse deixar no ar foi interessante. Frustrante foi que o cara fez aquilo tudo para sair do Instituto e quebrar sua maldição, que de acordo com o filme foi fruto de sua cabeça insana (hahaha OK) e no fim das contas ele não sai.

Simon e Izzy já viraram dupla dinâmica, tipo ele nem deveria estar ali e acabou achando à mãe da Clary, matando demônios a lá ghostbusters, assim as cenas em si foram muito boas, mas destoa um pouco do livro.

Duas coisas que realmente senti muita falta foram: Valentim fugindo com o cálice e indo para a casa a onde morou o com Jace quando ele era pequeno. No filme não ocorre dessa forma, ele atravessa o portal e Clary o quebra e no fim das contas é ela que fica com o cálice e não ele. E o momento extremamente simbólico do Jace pegando um caco do portal. Essa cena para mim tem muito significado, pois ele passa parte do segundo livro observando o caco, lembrando de sua criação pelo Valentim, ponderando sobre ser ou não parecido com o suposto pai e tudo mais.

A propósito, Jocelyn (Lena Headey) em seu momento diva a lá Branca de Neve. Até nevar, nevou. Só faltou o beijo de amor verdadeiro né Luke! hehehehe.

Ah, a moto do Jace não funciona com energia demonica, não foi roubada dos vampiros e nem voa, mas no fim das contas isso não fez tantaaaaa falta. Ele busca a Clary de moto de qualquer forma só não voa.

O filme te surpreende do inicio ao fim e positivamente, de um modo geral está bem coerente com o livro e mesmo com as modificações mostra os fatos de uma forma linear, fora a qualidade da produção. Agora o que nos resta é segurar a ansiedade e esperar a seqüência Cidade das cinzas.

WELCOME TO THE CITY OF BONES

Anúncios

10 pensamentos sobre “[Análise] Instrumentos Mortais: Cidade dos Ossos – Livro X Filme

  1. Assisti o filme neste fim de semana, e assim com eu já suspeitava, ele me desapontou.
    Eu sei que adaptações de livros pra o cinema são muito complicadas, dadas a quantidade de informação contida nas linhas e como materializa-la em imagens e movimentos. Só que alguns pontos são fundamentais, principalmente a construção dos personagens, seus dilemas, conflitos e expectativas, pois caso contrario o resultado é o que vemos neste filme, tudo soa superficial e falso.
    O filme tinha todos os elementos necessários, grande parte dos acontecimentos do livro estava presente na telelona, mas faltou se aprofundar e dar veracidade as situações.
    Como vc cita os os momentos finais, a revelação bombástica, sim porque é uma bomba saber que você esta apaixonada pelo seu irmão, foi tratada de forma muito banal e simplista. Esse fato é muito bem construido no livro, criando uma grande tensão no leitor dos rumos da narrativa. Já no filme foi tudo tão corrido , que simplesmente o fato não teve importância alguma para quem estava assistindo, até mesmo porque todos já deduziram que é tudo ” uma pegadinha do malandro”.
    Discordo com relação a escolha do ator para interpretar Jace, e não só porque ele não é bonito, o que de fato não é mesmo, mas porque ele é limitadíssimo, e não consegue transmitir a essência do personagem, como ser sarcástico , engraçado, e muito mala, rsrsrrs, mas também com um grande coração.
    Enfim, não é a pior adaptação que já vi, mas acredito que poderia ter sido melhor aproveitada.

    Gostar

    • concordo plenamente com vc.. o filme me desapontou muito por isso vim aqui procurar comentários se só eu q achava isso.. adorei o jeito q vc resumiu td. tambem mt decepcionante o personagem maravilhoso do jace ser interpretado por aquele ator nem um pouco a cara do personagem.. poderiam ser mais seletivos na escola.. nem a Izzie foi bem interpretada ela poderia ser mais bonita pelo jeito que a Clary a descrevia achava ela super estilo top model e blá blá blá.. (GATA) mas n passou de uma garota qualquer..

      Gostar

    • Não é a melhor adaptação que você já viu???? CARA ELES MEIO QUE ACABARAM COM MUITOS FATOS LEGAIS DO LIVRO. Tipo, eu super adorei a produção, os efeitos, o elenco (e sim eu adorei o Jamie Campbell Bower no papel de Jace Wayland/Morgenstern) e tudo mais, só que eles acabaram com o mistério todo do Jace e a Clary serem irmãos, Caramba no livro até o Luke reconhece o Jonathan pra dar mais credibilidade a história!!! E tipo a autora só revela que eles não são irmãos no final do terceiro livro!!!! Como que vai ser o segundo filme hein? Tomara que os diretores saibam sair direitinho dessas ciladas que eles mesmos armaram pra si. TIPO ESSA ERA A GRAÇA DA HISTÓRIA CARA !!!!!!!!!

      Gostar

  2. Pingback: [Análise] O súbito (ou não) adiamento de Cidade das Cinzas | No Meu Mundo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s