[Resenha] Para Sempre – Os Imortais – Livro 1

Ever Bloom tinha uma vida perfeita: era uma garota popular, acabara de se tornar líder de torcida do principal time da escola e morava numa casa maravilhosa, com o pai, a mãe, uma irmãzinha e a cadela Buttercup. Nada no mundo parecia capaz de interferir em sua felicidade, o céu era o limite! Até que um desastre de automóvel transformou tudo em um pesadelo angustiante. Ever perdeu toda a sua família. Mudou de cidade, de escola, de amigos, e agora, além de todas essas transformações em sua vida, ela precisa aprender a conviver com uma realidade insuportável: após o acidente, ela adquiriu dons especiais. Ever enxerga a aura das outras pessoas, pode ouvir seus pensamentos e, com um simples toque, é capaz de conhecer a vida inteira de alguém. É insuportável. Ela foge do contato humano, esconde-se sob um capuz e não tira dos ouvidos os fones do i-pod, cujo som alto encobre o som das mentes a seu redor. Até que surge Damen. Tudo parece cessar quando ele se aproxima. Só ele consegue calar as vozes que a perturbam tão intensamente. Ever não entende o porquê disso, mas é incapaz de resistir à paz que ele lhe proporciona, à sensação de, novamente, ser uma pessoa normal. Ela não faz ideia de quem ou o quê Damen realmente é. Sua única certeza é estar cada vez mais envolvida… e apaixonada.

Mais uma vez fui eu ler um livro aleatóriamente da minha prateleira, peguei este pelo acaso já que é uma série e eu tenho ela completa (graças a uma promoção do Submarino) por que não começar.

Enfim, o livro conta sobre Ever Bloom uma adolescente tipicamente americana (líder de torcida e popular) que após um acidente de carro que matou toda sua família (e ela mesmo, por um breve momento – tudo que se lembra do acidente foi de que alguém a salvou da morte, ou melhor, a trouxe de volta à vida) , adquiriu certas habilidades, digamos, incomuns: com um toque saber tudo sobre a pessoa, escutar pensamentos, ver auras e fantasmas (principalmente da irmãzinha caçula pentelha)…

Então, Ever vai morar com a tia depois do acidente e na sua escola nova vive o inferno estudantil de toda garota que não se encaixa nos padrões. Mas, conta com dois amigos particulamente diferentes e engraçados: Miles (homossexual assumido que tem sempre uma fala que te faz rir muito e problemas com o namorado) e Haven (uma garota que sofre com a falta de atenção de seus pais e vive frequentando grupos de ajuda para receber essa atenção).

Porém, com a chegada de um aluno muito mistérioso e pasmem (ironia) muito bonito também, o sonho de toda garota da escola com sua roupa estilosa, carrão e alguns truques de mágica para deixar as mocinhas sem rumo, como: fazer surgir várias flores em lugares inusitados, sendo que cada uma tem um sentindo que ao final é revelado. Chamado Damen (o que me fez lembrar de um vampiro com exatas característica de uma famosa série por ai), Ever se depara com algo totalmente novo: ele é imune a este dom, somente na presença dele que ela tem paz na sua cabeça com todos os pensamentos, como se ele a desligasse (Aí você pensa, já vi isso em algum lugar…Crepúsculo?)bem como Drina, que veio em seguida no encalço do rapaz.

Embora resignada no começo, Ever não resiste aos encantos de Damen, despertando inicialmente a raiva de Haven (sua melhor amiga, que também estava interessada nele) e a ira de Drina. O que ela não sabe é que Damen esconde um segredo, assim como Drina, que conforme você vai lendo o livro achando uma coisa, pensando que é mais uma cópia do gênero vampiro, mas depois quando você está quase terminando você descobre que não é vampiro, mas sim uma coisa totalmente diferente e inusitada.

Para Sempre possui diálogos bem-humorados, principalmente com Miles.Também nos traz a ideia do amor eterno, aquele que transcende as inúmeras vidas que alguém possa vir a ter (sim, eu acredito na reencarnação).

Notei semelhanças com Diários de Vampiro (nome do personagem Damen de Para Sempre com o Damon de Diários de Vampiro) e, principalmente, com Crepúsculo, visto que um lado do casal possui dons sobrenaturais (Ever) e o outro é imune a este (Damen), o que me lembrou Edward e Bella, respectivamente.

Para um primeiro livro eu amei, estou lendo a continuação em breve dividirei minha opinião sobre ela aqui.


Anúncios

4 pensamentos sobre “[Resenha] Para Sempre – Os Imortais – Livro 1

  1. Ainda me lembro de ver as faturcas teleff3nicas com os talf5es das operadoras que que faqziam as ligae7f5es nas centrais ne3o autome1ticas, agrafados e0 factura no final do meas como comprovativo de que a chamada tinha sido efectuada.

    Gostar

  2. Não gostei das comparações, não gosto quando as pessoas ficar fazendo comparações com outras histórias, é normal um autor se inspirar e ser parecido com alguma história.

    Gostar

  3. Além de TVD e Crepúsculo, também me lembra True Blood, outra série antiga de vampiros, onde a preotagonista “Sookie” consegue ler os pensamentos das pessoas “comuns” ou quase.. Devido a isso ela acaba se aproximando de “Bill” que, por ser um vampiro, ela não consegue ler os pensamentos dele e vê assim, paz nele.. Assim como Edward vê na Bela, e Ever vê em Damen..

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s