[Resenha] Cidade das Almas Perdidas

null

Quando Jace e Clary voltam a se encontrar, Clary fica horrorizada ao descobrir que a magia do demônio Lilith ligou Jace ao perverso Sebastian, e que Jace tornou-se um servo do mal. A Clave decide destruir Sebastian, mas não há nenhuma maneira de matar um sem destruir o outro. Mas Clary e seus amigos irão tentar mesmo assim. Ela está disposta a fazer qualquer coisa para salvar Jace, mas ela pode ainda confiar nele? Ou ele está realmente perdido?

Este é o 5° livro da saga Instrumentos Mortais e o penúltimo antes do Gran Finale.

Devo admitir que fiquei um pouco frustrada com este livro, é um ótimo livro, mas ainda sim não supriu as minhas expectativas.

Sua narrativa é lenta, o que te dá a impressão de que levou muito mais tempo o que na verdade levou, porque no caso o livro todo se passa em duas semanas.

No final do 4° livro, ficamos especulando bastante sobre o que poderia acontecer com o Jace depois do ritual de ressurreição do Sebastian/Jonathan, até mesmo na possibilidade dele morrer novamente (Jace é meio Highlander a final de contas). Mas o fato é, a partir desse evento a ligação de ambos se tornou mais forte, a ponto de praticamente serem uma pessoa só, do tipo tudo o que acontece com um afeta literalmente o outro. Para que fique mais claro, quando um é ferido os dois sangram, além de questões mais psicológicas como a vontade se torna dos dois, sendo um deles totalmente submisso a vontade do outro, no caso o Jace era submisso ao Sebastian.

A historia do 5° livro se inicia após desaparecimento do Jace e ressurreição de Sebastian/Jonathan e com isso vemos o posicionamento dos personagens em relação ao acontecido e a tentativa de encontrá-los. Por um tempo a Clave estava participando das buscas, mas o foco mudou por questões de prioridades, então essa necessidade de encontrá-los se tornou mais familiar.  Veja bem, nem o Magnus estava conseguindo rastreá-los, o que levou todos crer que eles só seriam encontrados se assim o quisessem. E não deu outra, Fake Jace e Sebastian, foram buscar a Clary para que ela fizesse parte do plano deles. Inicialmente ela não foi, mas sabe como é a Clary, ainda mais quando se trata do Jace.  O interessante é que eles estavam vivendo em uma outra dimensão, tipo um universo paralelo (meio Fringe a parada) e exatamente por isso que ninguém consegue rastreá-los.

Com essa grande confusão de Fake Jace/ Sebastian, podemos enfim conhecer esse novo vilão, pois na realidade o que havia sido falado sobre ele era muito superficial.

Nessa questão dos vilões, a serie é divida em Valentim e pós Valentim, de certa forma eles se complementam, mas suas visões são muito diferentes. Valentim, pra mim é um personagem bem construído, apesar de seus propósitos conturbados acreditava naquilo que ele pregava, já o Sebastian/Jonathan é megalomaníaco e vingativo, os objetivos dele não são ligados a crenças ou a algum objetivo maior e sim a pura e simples vingança.

Em alguns momentos do livro, chegamos a sentir pena do personagem, pois vemos o quanto sozinho ele se sente, fora todo esse lance dele ser renegado pela família e tudo mais. (Psicólogo urgente!!) Mas enfim ele é mau, e faz o que faz por prazer, então.

O que enxergamos bem nesse universo Clary/Jace/Sebastian,  é que o Sebastian realmente se importa, de um jeito meio torto, com os dois. Ao conversar com uma amiga, chegamos a conclusão que na cabeça do Sebastian o Jace é o seu Parabatai,  não só por causa ressurreição, mas pela ligação que sempre existiu entre eles. E a Clary, ele a ama pela similaridade, por serem tão parecidos em atitudes e temperamento, fora parte física. A concepção de família é diferente para ele, visto que acredita que a sua união com a Clary fortaleceria a linhagem.  Há séculos atras isso era muito comum irmãos se casarem ou primos com o objetivo de manter o mesmo sangue e as riquezas da família.

O desenrolar da historia é basicamente esse: como quebrar a ligação de Jace/Sebastian sem matá-lo, descobrir quais são os verdadeiros planos de Sebastian e de quebra trazer Clary e Jace a salvo para casa.

Mas em meio a isso tudo, temos a pegação e muita por sinal, algumas essenciais para a historia e outras nem tanto. E as da Clary/Fake Jace são as mais complexas, se parar para pensar que o Sebastian sente tudo o que ele sente, então fica uma coisa extremamente bizarra, fora que o verdadeiro Jace também estava ali de certa forma. (Bizarro né?)

Como uma boa amante dos livros da Cassandra Clare, não posso deixar de comentar sobre a menção do livro “Um conto de duas cidades” de Dickens. O mais genial de tudo é que Jace estava lendo para a Clary o mesmo exemplar que o Will deu de presente a Tessa no “Peças Infernais”, visto que até falaram sobre a dedicatória.

Os ganchos para o próximo livro, realmente são bem interessantes, o que nos deixa cada vez mais curiosos sobre como será o fim dessa historia.

Livro da Série os Instrumentos Mortais lançados no Brasil até o momento:

8 pensamentos sobre “[Resenha] Cidade das Almas Perdidas

  1. Pingback: [Resenha] Cidade dos Ossos | No Meu Mundo

  2. Pingback: [Resenha] Cidade das Cinzas | No Meu Mundo

  3. Pingback: [Resenha] Cidade de Vidro | No Meu Mundo

  4. Pingback: [Resenha] Cidade dos Anjos Caídos | No Meu Mundo

  5. Pingback: [Análise] Os dez livros mais impactantes de 2013 | No Meu Mundo

  6. Pingback: [Resenha] Cidade do Fogo Celestial | No Meu Mundo

  7. Pingback: [Resenha] Dama da Meia-Noite – Trilogia Artifícios das Trevas | No Meu Mundo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s