[Resenha Filme] Cisne Negro

Beth MacIntyre (Winona Ryder), a primeira bailarina de uma companhia, está prestes a se aposentar. O posto fica com Nina (Natalie Portman), mas ela possui sérios problemas pessoais, especialmente com sua mãe (Barbara Hershey). Pressionada por Thomas Leroy (Vincent Cassel), um exigente diretor artístico, ela passa a enxergar uma concorrência desleal vindo de suas colegas, em especial Lilly (Mila Kunis). Em meio a tudo isso, busca a perfeição nos ensaios para o maior desafio de sua carreira: interpretar a Rainha Cisne em uma adaptação de “O Lago dos Cisnes”.

“A identidade somente se torna uma questão quando está em crise, quando algo, supostamente fixo, coerente e estável é deslocado pela experiência da dúvida e incerteza” (Hall, 1995, p.9)[1]

A história do filme se passa no meio competitivo do balé clássico, com todo o desgaste físico e psicológico que vai para além do dançar por si só.

A personagem principal do filme chama-se Nina, ela é extremamente dedicada ao que faz, procurando sempre pertencer aquele meio e se destacar dentro dele. Parte-se do principio que ela e todo o seu entorno gira pela dança.

A companhia de balé da qual faz parte estava desenvolvendo uma adaptação do “O Lago do Cisne”, então estavam procurando uma bailarina que pudesse ter uma identidade hibrida e ser tanto o Cisne Negro como o Cisne Branco e transmitir com perfeição os opostos. Na realidade é mostrar que em uma sociedade fragmentada o sujeito se reconstrói com diversas informações e acaba criando múltiplas identidades.

O corpo para a bailarina é o principio de tudo, ele passa a mensagem aos demais, então a atitude e a postura são necessárias e há uma rigorosidade consigo mesmo em relação a isso. Você tende a exigir mais do seu psicológico e do seu próprio corpo chegando aos seus limites.

No decorrer do filme, após ser escolhida para fazer a Rainha Cisne, Nina acaba perdendo o seu EU, não conseguindo distinguir quem eram os personagens e quem era Nina Sayers. Ela queria perder o controle e entrou de tal forma no mundo dos personagens, que ela passou a se ver como duas pessoas paralelas, a menina boa, que seria a controlada e a menina má, que não segue padrões que tenta ir sempre além sem pensar nas consequências. E em meio a essas novas sensações ela se via confusa, por que aquilo estava se enraizando nela.

A personagem Lily tem a atitude e a postura que eram necessárias para o papel da Rainha Cisne e isso para Nina foi preocupante, pois ela se viu ameaçada, mas ao mesmo tempo ela queria ser como a Lily. Desejando-a em todos os sentidos.

Perdeu-se no que seria real e o que seria imaginário. Sua concepção estava tão perturbada que ela se viu matando o Cisne Negro, no caso a Lily, para se tornar ele, se transformar em uma pessoa segura de si, só que ela estava ferindo a si mesma.

“A única pessoa no seu caminho é você. É hora de se libertar. Solte-se”.

(Citação do filme – Personagem Thomas)


[1] HALL, S. A questão da identidade cultural. Textos Didáticos. Campinas: IFCH/UNICAMP, 1995


Anúncios

3 pensamentos sobre “[Resenha Filme] Cisne Negro

  1. This is the reverse 301 Moved Permanently diary for anyone who wants to move out out near this subject. You remark so such its virtually wearying to debate with you not that I real would want…HaHa. You definitely put a new rotation on a content thats been longhand nearly for geezerhood. Overnice personalty, simply extraordinary!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s