[Resenha] Amante Desperto – Irmandade da Adaga Negra

Nas sombras da noite em Caldwell, Nova York, desenrola-se uma sórdida e cruel guerra entre vampiros e seus carrascos. Há uma irmandade secreta, sem igual, formada por seis vampiros defensores de sua raça. Dentre eles, Zsadist é o membro mais assustador da Irmandade da Adaga Negra.
Tendo sido por muito tempo um escravo de sangue, Zsadist ainda carrega as cicatrizes de um passado repleto de sofrimento e humilhação. Conhecido por uma fúria que não acaba e por atos sinistros, ele é um selvagem, temido igualmente por humanos e vampiros. A raiva é sua única companheira e o terror, sua única paixão… Até que resgata uma bela vampira das garras da maligna Sociedade Redutora. Bella sente-se imediatamente enfeitiçada pela ardente força que emana de Zsadist. Entretanto, mesmo quando o desejo de ambos começa a consumi-los, a sede de vingança de Zsadist contra os torturadores de Bella o leva à beira da loucura. Agora, Bella deve ajudar seu amante a superar as feridas de seu atormentado passado e vislumbrar um futuro ao lado dela…

Sério gente, ainda estou me recuperando dessa leitura. Livro simplesmente lindo e maravilhoso.

Desde que comecei a ler IAN, que o personagem de Zsadist (que não consigo de jeito nenhum pronunciar isso) sempre me cativou. Nos dois primeiros livros dessa série, principalmente no segundo, já dá pra sacar o quanto esse personagem é controverso, ou o quanto ele é muito mais do que demonstra.

Como sabemos a Irmandade da Adaga Negra é uma espécie de enclave dos vampiros, formadas por guerreiros para proteger a espécie de vampiros contra seus inimigos, os redutores – caçadores de vampiros.

Em cada livro, conhecemos melhor um guerreiro que faz parte da Irmandade ou um personagem importante para a obra de J.R. Ward, como é o caso de Butch e Marissa que protagonizam o quarto livro da série.

Neste terceiro livro temos a oportunidade de conhecer melhor o Zsadist, o guerreiro considerado o mais abominável dentro da irmandade, o que carrega com ele cicatrizes de um passado repleto de sofrimento e humilhação. Isso porque Z, conforme é chamado pelos irmãos, viveu anos de sua existência como escravo de sangue, até ser resgatado por seu gêmeo Phury e ingressar na Irmandade. Mesmo assim o vampiro ficou marcado pelas humilhações que sofreu no período que viveu como escravo, ficando acorrentado a essas lembranças do passado, o que fez dele um vampiro amargurado, frio e masoquista.

Mas tudo muda para o atormentado vampiro quando Bella, ainda no segundo livro, entra em sua vida. Bella era exatamente o que Z precisava. E  sentindo-se fortemente atraído pela bela vampira aristocrata , ele passa a lutar contra sentimentos ternos que são despertados nele por causar dela. Bella sente-se atraída pelo vampiro apesar de suas cicatrizes e alma atormentada, mas Z sente-se sujo e indigno de receber o reconhecimento e todo o amor que a vampira demonstra sentir por ele.

Esse livro é muito, mais muito bom. O inicio dele é meio arrastado, mas do meio para o final, não dá pra largar. Zsadist é um personagem incrível, que tem um crescimento, uma evolução dentro da estória que é de tocar o coração. O final é lindo!!!!Simplesmente lindo!!!

Aconteceram coisas incríveis com outros personagens que me deixaram sem folego.

Em algumas partes me vi meio que entendiada com o redutor que teve o maior destaque nesse volume, o Sr. O. Na verdade, achava que essa estória merecia vilões melhores, menos patéticos, embora eu ache que muita coisa boa ainda vai rolar.

Só posso dizer uma coisa dessa série: Leiam, leiam!É maravilhosa!

Livros da série IAN até o momento:

Anúncios

7 pensamentos sobre “[Resenha] Amante Desperto – Irmandade da Adaga Negra

  1. Pingback: [Resenha] A Irmandade da Adaga Negra – Amante Sombrio | No Meu Mundo

  2. Pingback: [Resenha] Amante Eterno – A Irmandade da Adaga Negra | No Meu Mundo

  3. Pingback: [Resenha] Amante Revelado – por Taiany Araujo | No Meu Mundo

  4. Como assim o início é arrastado??
    Como assim merecia vilões melhores??
    Pvfr!
    Revoltei com essa resenha. ¬¬ Quem escreveu não deve se considerar fã de IAN, admito que os livros estão longe de serem perfeitos, mas essas críticas foram infundadas e superficiais. Acho o livro do Z um dos melhores, pois explora bem todo o sofrimento dele de uma maneira em que podemos de fato entender como ele ficou daquele jeito.
    Ele merece tudo de bom que entrar na vida dele. xD
    Foi mal a revolta, mas amo demais a irmandade.
    Se você não gostou dos redutores agora, depois gostará, acredite em mim. Ou os odiará, como no meu caso. Pois teremos todo o tipo de redutor principal, o inteligente, o estrategista, o riquinho mimado, o psicopata, o drogado que não faz ideia de nada… Não necessariamente nessa ordem. o/

    Gostar

    • Eu gostei muito do livro Drika. é o melhor livro que eu li da série. Mas EU achei o inicio meio parado sim(me refiro as primeiras páginas e não ao livro inteiro), mas ele não demora a ficar muito bom, a pegar fogo, a ficar impossível parar de ler. Falei tudo isso aí na resenha.

      Drika: Acho o livro do Z um dos melhores, pois explora bem todo o sofrimento dele de uma maneira em que podemos de fato entender como ele ficou daquele jeito.
      Ele merece tudo de bom que entrar na vida dele. xD

      Resenha: Neste terceiro livro temos a oportunidade de conhecer melhor o Zsadist, o guerreiro considerado o mais abominável dentro da irmandade, o que carrega com ele cicatrizes de um passado repleto de sofrimento e humilhação. Isso porque Z, conforme é chamado pelos irmãos, viveu anos de sua existência como escravo de sangue, até ser resgatado por seu gêmeo Phury e ingressar na Irmandade. Mesmo assim o vampiro ficou marcado pelas humilhações que sofreu no período que viveu como escravo, ficando acorrentado a essas lembranças do passado, o que fez dele um vampiro amargurado, frio e masoquista.”

      “Esse livro é muito, mais muito bom. O inicio dele é meio arrastado, mas do meio para o final, não dá pra largar. Zsadist é um personagem incrível, que tem um crescimento, uma evolução dentro da estória que é de tocar o coração. O final é lindo!!!!Simplesmente lindo!!!”

      Não sou fã fã de IAN, mas sempre leio de coração aberto e gosto muito da série.

      /

      😀

      Gostar

  5. Pingback: [Resenha] Amante Liberto – Por Ana Carolina | No Meu Mundo

  6. Pingback: [Resenha] Amante Consagrado (Irmandade da Adaga Negra) – por Ana Carolina | No Meu Mundo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s