[Resenha] A Canção do Súcubo – Richelle Mead

Quando se fala de empregos no inferno, ser um Súcubo parece bastante glamuroso. Uma garota pode ser qualquer coisa que ela quiser, o guarda-roupa é de matar e homens mortais farão qualquer coisa por apenas um toque. Claro, eles geralmente pagam com suas almas, mas por que ser tão técnico? Mas a vida da Súcubo de Seattle Georgina Kincaid é muito menos exótica. Seu chefe é um demônio de médio escalão com uma queda por filmes do John Cusack. Seus melhores amigos imortais (ou melhores amigas …) ainda não pararam de provocá-la por causa da vez em que ela se transformou na Deusa Demônio, completa, com chicote e asas. E ela não consegue ter um encontro decente sem sugar parte da vida do cara. Ao menos ela tem seu emprego diário em uma livraria local – livros de graça; Todos os mochas de chocolate branco que ela conseguir tomar; e acesso fácil ao sexy escritor de bestsellers, Seth Mortensen, aka Aquele por Quem Ela Daria Tudo Para Tocar mas Não Pode. Mas os sonhos sobre Seth vão ter que esperar. Algo estranho está acontecendo no submundo demônio de Seattle. E, dessa vez, todos os seus charmes e cantadas de cair morto não vão ajudá-la porque Georgina está para descobrir que há algumas criaturas que tanto Céu quanto o Inferno querem negar…

A canção do Súcubo é um livro de Richelle Mead, muito conhecida pela série Academia de Vampiros que ganhará uma versão para as telonas em 2014. No entanto, ao contrário de Academia de Vampiros que é nitidamente feito para um público adolescente, a série súcubo é voltada para o público mais adulto.

O livro conta a história de uma súcubo, Georgina Kincaid. Súcubos são demônios em forma masculina ou feminina que invadem os sonhos dos homens e mulheres e roubam a energia vital deles através de um ato sexual.

Richelle pegou essa mitologia e transformou num mito dentro da história, porque Georgina é sim uma súcubo, mas não invade os sonhos de ninguém, nem tem olhos vermelhos e asas demoníacas Ela simplesmente comparece pessoalmente para as pessoas que escolhe para roubar a energia vital, transa com elas e pronto, fica revitalizada.

O livro possui tanta informação que fica difícil escolher uma para começar, mas vamos lá.

Georgina tem dois mil e quinhentos anos e como um súcubo de Richelle Mead, ela pode mudar de forma num piscar de olhos para seduzir e corromper as pessoas(homens ou mulheres tá). Apenas para não fugir da rotina, ela é um ser imortal que gosta de se ater as suas raízes humanas, por isso ela trabalha numa livraria,é apaixonada por dança, mocha de chocolate branco, Nine Inch Nails, Ginlet feito com Grey Goose, livros e por sua gata, Aubrey, fofamente chamada por ela de Aub.

Como uma protagonista de Mead, Georgina é inteligente, determinada, debochada, engraçada, sagaz, divertida, sensual, coração de ouro e linda de morrer, pois, como uma súcubo, ela pode escolher a forma que seu corpo vai ter, o jeito e cor dos cabelos e olhos, além de poder trocar jeans por um vestido Valentino em um piscar de olhos. O sonho de qualquer mulher.

Mas como nada na vida de ninguém é perfeito…No fundo Georgina é uma mulher inteiramente infeliz e solitária que almeja coisas simples que qualquer outra mulher deseja por mais independente e feminista que seja. Georgina busca um amor. Família e bebês. Coisas que ela não pode ter por causa de seu contrato com o inferno.

Sim, eu disse contrato com o inferno. No universo de súcubo, é assim que você vira um súcubo, ou um vampiro. Que tal um duende?

Quando o mundo vira as costas pra você e você vira as costas para o mundo, eis que surge um diabinho pra você e oferece um contrato para “consertar” as burradas que você fez ou que fizeram com você, em troca da sua alma, claro.

E é assim que você se torna um ser perfeito e imortal, um funcionário do inferno. Georgina trabalha numa livraria, mas o verdadeiro trabalho dela é seduzir os homens e instigá-los a corromper, matar, trair, essas coisas que sujam a alma de qualquer ser humano e faz com que o inferno fique com ela ao invés do céu.

A história se passa em Seattle, embora a autora nos forneça um trechinho da primeira vida de Georgina, ainda como humana, em sua terra natal(Grécia), para que o leitor possa entender como ela se tornou uma imortal inferior.

Mortal inferior é o termo usado para imortais como Georgina, que assinaram um contrato com o Hell.

Jerome, o chefe dela de verdade, é um imortal completo,por ser um demônio(ex servo do Senhor que caiu para o lado do mal rs). Outro imortal completo é Carter,que é nada mais do que um anjo puro,sagaz e sarcástico. Carter mantem uma relação peculiar com Jerome e sempre parece interessado na vida de Georgina, apesar da opinião que ela tem quanto a forma que ele insiste em se vestir.

Pois bem.

Com uma bagagem de mil e quinhentos anos, Georgina tornou-se um súcubo hábil, bom de papo mas intimamente frustrado e infeliz conforme já mencionado. Desanimada com o seu cargo de súcubo ,ela passa a exercer o seu ofício apenas com os malzinhos, porque eles já estão corrompidos e assim ela não tira muitas energias deles, e nem ferra muito o que já pertence ao inferno.

Ela acaba encontrando uma espécie de conforto nos livros que ler, principalmente nos livros do famoso autor de Best-seller, Seth Mortensen.

Georgina é fã do cara, ler todos os livros que ele lança, espera ansiosamente pelos próximos lançamentos e tem uma tática toda especial para estender a leitura dos livros de Seth pelo máximo de tempo que o seu líbido pela escrita dele consegue aguentar. Ela faz isso tudo mas não sabe nada da vida do cara, nunca sequer viu como ele é. Ela cria uma imagem de Seth apenas em seu imaginário Ela não é poser. Apenas é fissurada pela ideologia que ele passa sem se interessar muito pela vida do próprio autor.

Pelo menos até aqui.

Pois tudo muda para Georgina quando em uma turner de lançamento de um livro de sua série mais famosa, Seth faz uma apresentação justamente na livraria em que Georgina trabalha. É o grande dia D para ela. E é daí em diante que sua vida passa da monotonia total para algo agitado e totalmente fora dos planos quando Seth Mortensen entra em seu caminho.

Seth é totalmente o oposto do que Georgina tinha imaginado, baseando-se nas coisas bem humoradas, fluídas e perspicazes com a qual ele escrevia seus livros. Seth Mortensen é completamente introvertido, tímido e inseguro durante um diálogo. Fã de camisetas personalizadas, distraído e sempre se mostrando mais no mundo da lua do que na Terra devido a sua grande criatividade. Apesar do visual desleixado e da personalidade introvertida, a atração entre ele e Georgina é inegável. Seth é meigo e sensível. Tão tímido que chega a ser fofo. Possui uma grande humanidade em meio a tantas coisas sobrenaturais.

O que é legal neste é romance, é que na sinopse do livro você ver que Seth tende a ser o par romântico de Georgina, mas Richelle fez uma coisa genial nessa primeira parte, que te faz se questionar se eles ficarão juntos ou não até o final do livro. Todas as cenas entre eles dois são fortes e comoventes, levemente sensuais. Mas um milhão de coisas fica entre eles durante o livro todo. E uma delas é o sexy e charmoso Roman. Você acaba ficando totalmente refém do mundo que ela criou para Georgina e Seth. Georgina se sente atraída e conectada a Seth, mas tende a negar o sentimento por ele por ser uma súcubo e não achar justo corrompê-lo com sua natureza predatória. Ainda mais que ele é seu autor favorito. Roubar a energia dele é altamente fora de cogitação para ela apesar dos apelos de seus sentimentos tanto quanto mulher, quanto como súcubo.

E é neste ritmo, que essa heroína maravilhosa se ver de repente em meio a uma série de atentados contra outros seres sobrenaturais, sem saber que está sentada bem no olho do furacão.

A história é narrada através dos olhos de Georgina, mas com a escrita solta e divertida de Richelle Mead. A autora criou personagens maravilhosos com os quais você se identifica logo de cara. Richelle ressurge nesta história mais apimentada e ousada do que nunca.

Nesta série você encontra romance, família, amigos dos tipos mais variados, sexo bem escrito e muito mais.

Ufa!

É muita coisa pra contar.

Todos os seis volumes da série já foram lançados no Brasil.

Vou ali tomar um folego e depois volto com a segunda parte da história de Seth e Georgina, O poder do Súcubo.

Anúncios

24 pensamentos sobre “[Resenha] A Canção do Súcubo – Richelle Mead

  1. Eu amoooooo a Georgina, já devorei esse livro algumas vezes e estou louca para ler a continuação.
    Gostaria de deixar uma critica construtiva sobre a resenha, ela ficou um pouco confusa demais, e quem não conhece o livro pode ficar um pouco perdido;

    Gostar

  2. É que é muita coisa pra falar sobre esse livro,fica difícil até saber por onde começar a falar sem ficar perdido. Se eu fosse mais detalhista daria spoilers pra quem ainda não leu. Mas obrigada por ter comentado, tento ser mais clara nas demais.

    Gostar

  3. Quando o mundo vira as costas pra você e você vira as costas para o mundo – o rei leão. Ri aqui.
    Esse livro tem um conteúdo muito farto mesmo,é muita coisa pra explicar, mas você conseguiu falar muito bem apenas o essencial(que já é muita coisa),para não dar spoiller para quem não leu. Parabéns.

    Gostar

  4. Sempre olhei muito desconfiada pra esse livro mas confesso que depois do que li, fiquei com muita vontade de ler. Richelle Mead é simplesmente umas das melhores autoras da atualidade. Parabéns ao blog pelo bom trabalho que vem fazendo.

    Gostar

  5. Pingback: [Resenha] A Revelação do Súcubo | No Meu Mundo

  6. Pingback: [Resenha] O Sonho do Súcubo | No Meu Mundo

  7. Pingback: [Resenha] O Poder do Súcubo [Possuí Spoiller de "A Canção do Súcubo"] | No Meu Mundo

  8. Pingback: [Resenha] O Calor do Súcubo | No Meu Mundo

  9. Pingback: [Resenha] A Sombra do Súcubo | No Meu Mundo

  10. Pingback: [Resenha] Último Sacrifício – Academia de Vampiros | No Meu Mundo

  11. Pingback: [Notícias] Fãs de “Academia de Vampiros” organizam um abaixo assinado para ter o filme no Brasil! | No Meu Mundo

  12. Pingback: [Notícias] Richelle Mead fala sobre estreia de “Irmãs de Sangue” no Brasil | No Meu Mundo

  13. Pingback: [Resenha] Filha da Tempestade (Dark Swan) – Por Amanda Silva | No Meu Mundo

  14. Pingback: [Resenha] O Lírio Dourado | No Meu Mundo

  15. Pingback: [Filme] O Beijo das Sombras – Academia de Vampiros | No Meu Mundo

  16. Pingback: [Resenha] A Herdeira – Série A Seleção | No Meu Mundo

  17. Pingback: [Análise] O Círculo Rubi – da série Bloodlines | No Meu Mundo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s