O Perfume – A História de um Assassino

França, século XVIII. O recém-nascido Jean-Baptiste Grenouille é abandonado pela mãe junto a restos de peixes em um mercado parisiense. Rejeitado também pela natureza, que lhe negou o direito de exalar o cheiro característico dos seres humanos, pelas amas-de-leite e por instituições religiosas, o menino Grenouille cresce sobrevivendo ao repúdio, a acidentes e doenças. Ainda jovem descobre ser dotado de imensa sensibilidade olfativa e parte em busca da essência perfeita, do perfume que lhe falta para seduzir e dominar qualquer pessoa. Nessa busca obsessiva, ele usurpa a essência dos corpos de suas vítimas.

O Perfume é um romance do escritor alemão Patrick  Süskind, publicado pela primeira vez no ano de 1985. Foram vendidos 15 milhões de exemplares em quarenta línguas diferentes. O título original em alemão é  Das Parfum, die Geschichte eines Mörders , que no Brasil foi traduzido para: O Perfume – A história de um assassino.

É um livro maravilhoso, sinistro e extremamente bem estruturado. Dizem que   Patrick  Süskind ficou totalmente recluso durante todo o tempo em que produziu está impressionante obra prima da literatura mundial.

O livro conta a estória de  Jean-Baptiste Grenouille, que foi abandonado e repudiado por todos, até mesmo pela sua própria mãe que o abandonou num mercado de peixes na imunda e asquerosa Paris do século XVIII.

O Perfume é um livro extremamente sensorial, o autor foi tão detalhista em nos falar sobre os odores e da imundice em que as pessoas viviam naquela época, que às vezes até as minhas próprias mãos se recusavam a segurarem as páginas com medo delas serem tão podres e fétidas quanto as descrições encontradas nelas. Meu nariz também sofreu com a riqueza de detalhes asquerosos, como se ele fosse capaz de sugar do interior das páginas o odor desagradável da Paris de 1738.  Meus olhos já não queriam ficarem abertos para ler as palavras sujas e tão pouco meu cérebro se mostrou  disposto a criar um quadro da desagradável situação.

A narrativa do autor é densa e pesada, mesmo assim, com todos os pesares, não tem como largar esse livro de tão perfeito e incrível que ele é.

O que acho muito interessante, é o poder que a sociedade tem de transformar e  modelar as pessoas, por que foi exatamente isso que acontece com o protagonista desse livro.

Jean-Baptiste Grenouille nasceu com um dom, ele conseguia sentir o cheiro de tudo, até mesmo o da alma das pessoas. A alma tem cheiro –  ele disse uma vez.

Mas ele é descrito como alguém que não possui cheiro, dessa forma ele é abandonado e abominado por todas as pessoas que o cercavam. Ninguém o suportava pois ele era uma criatura estranha que parecia observar a todos o tempo inteiro. Não com os olhos e sim com o seu nariz.  Assim ele percebe que conseguia fazer coisas incríveis com o seu nariz, com um faro não humano que o permitia sentir qualquer odor e nunca mais esquecê-lo.

Grenouille queria fazer uma coleção de todos os cheiros que ele conseguisse sentir, não importando se fossem bons ou ruins, o que importava era sentir e captar o máximo de odores possíveis. Ele começou a criar perfumes tirados de sua própria cabeça, com cheiros cada vez mais maravilhosos, até que um dia  descobriu que  podia criar um perfume único, o melhor perfume do mundo. Um perfume feito da essência de garotas jovens e virgens. E para fazer isso… Ele tinha que matar. E é assim que o rejeitado Jean-Baptiste Grenouille, se transforma em um assassino, mergulhando numa loucura e num sofrimento incompreendidos pela maioria dos leitores dessa obra.

O perfume é um livro que nos leva através de um universo de uma criança maltratada que sem querer descobre o que precisa fazer para ser aceita, mesmo que isso signifique ter que matar para conseguir o perfume mais perfeito e mais desejado do mundo, que fazia com que todos o amassem finalmente.

Em alguns momentos eu me via cheia de medo da mente e do nariz do Grenouille enquanto lia,como se ele estivesse me espreitando através das páginas, sentindo o meu cheiro. Mesmo assim eu não deixei de me simpatizar ou de me compadecer com ele.

O livro ganhou uma adaptação para os cinemas em 2006 e não ficou para trás na grandiosidade. Foi um dos raros filmes que ficou fiel ao seu livro.  Foi produzido quase vinte anos após a primeira publicação do livro, sendo um dos motivos da demora, o fato do produtor ter trabalhado muito para produzi-lo, pela a estória ter um tema complexo e pela dificuldade que ele teve em extrair imagens a partir das sensações.

O filme contou com um elenco de celebridades, tais como Dustin Hoffman e Alan Rickman. O personagem central da história foi interpretado pelo jovem Ben Whishaw. O orçamento da produção extrapolou o valor de 50 milhões de euros, segundo informações contidas no sítio da Deutsche Welle.

Eu já trabalhei uma época numa famosa empresa de cosméticos e durante o meu treinamento tive que aprender tudo sobre perfume. É um mundo fascinante, olfativo e que te faz realmente divagar com suas vagas propagandas. Que têm a única intenção de fazer você acreditar que será o máximo, ou que vai encontrar com o seu grande amor se comprar aquele perfume X. É um marketing  que mexe diretamente com o nosso psicológico e a  técnica usada por  Grenouille para fazer o seu perfume perfeito, é a forma mais antiga do mundo de se fazer perfume. Os perfumes feitos com essa técnica são chamados de Absolutos,  e são os perfumes mais caros do mundo inteiro.

Além do cinema o livro foi inspiração para uma canção da banda Nirvana. Isso porque Kurt Cobain, vocalista e guitarrista, considerava “O Perfume” como sendo seu livro favorito. A canção se chama Scentless Apprentice, faixa 02 do álbum In Utero gravado em 1993.

Sinopse do filme:

Paris, 1738. Jean-Baptiste Grenouille (Ben Whishaw) nasceu em um mercado de peixe, onde sua mãe (Birgit Minichmayr) trabalhava como vendedora. Ela o tinha abandonado, mas o choro de Jean-Baptiste faz com que seja descoberto pelos presentes na feira. Isto também faz com que sua mãe seja presa e condenada à morte. Entregue aos cuidados da Madame Gaillard (Sian Thomas), que explora crianças órfãs, Jean-Baptiste cresce e logo descobre que possui um dom incomum: ele é capaz de diferenciar os mais diversos odores à sua volta. Intrigado, Jean-Baptiste logo demonstra vontade de conhecer todos os odores existentes, conseguindo diferenciá-los mesmo que estejam longe do local em que está. Já adulto, ele torna-se aprendiz na perfumaria de Giuseppe Baldini (Dustin Hoffman), que passa por um período de pouca clientela. Logo Jean-Baptiste supera Baldini e, criando novos perfumes, revitaliza a perfumaria. Jean-Baptiste cada vez mais se interessa em manter o odor de forma permanente, o que faz com que busque meios que possibilitem que seu sonho se torne realidade. Só que, em suas experiências, ele passa a tentar capturar o odor dos próprios seres humanos.

1 comentário Adicione o seu

    1. Bubik disse:

      I like to party, not look areilcts up online. You made it happen.

  1. I loved as much as you will receive carried out right here. The sketch is attractive, your authored subject matter stylish. nonetheless, you command get bought an shakiness over that you wish be delivering the following. unwell unquestionably come further formerly again as exactly the same nearly a lot often inside case you shield this hike.

    1. Andres disse:

      That really cartpues the spirit of it. Thanks for posting.

    1. Anjalie disse:

      Short, sweet, to the point, FRexlEEact-y as information should be!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *